Os casos de COVID-19 em Portugal continuam a subir e há várias países a adotar medidas face à situação que se vive por cá. Esta quinta-feira, 8 de julho, foi a vez do governo francês desaconselhar os seus cidadãos a marcarem férias em Portugal e Espanha devido à evolução da pandemia na Península Ibérica.

O secretário de estado francês para os Assuntos Europeus afirmou que a situação nestes dois países é "particularmente preocupante", em entrevista ao canal de televisão France 2, e acrescentou que "nos próximos dias poderá haver um reforço das medidas" quanto às viagens, escreve o "Diário de Notícias". 

Para aqueles que ainda não reservaram as férias, Clement Beaune deixou ainda o conselho de que "evitem" Portugal e Espanha. "É melhor ficar em França ou ir para outros países", disse, citado pela mesmo diário.

COVID-19. Há mais oito mortes e 3.285 novos casos de infeção em Portugal
COVID-19. Há mais oito mortes e 3.285 novos casos de infeção em Portugal
Ver artigo

Esta quinta-feira, o Reino Unido deverá também anunciar mudanças nas exigências feitas aos britânicos vacinados que viajem até países da lista "âmbar", como Portugal, França, Espanha e Itália que deverão entrar em vigor já a 19 de julho, noticia a "Sky News". Atualmente, está já decidido que a quarentena deixa de ser obrigatória para britânicos vacinados que regressem ao Reino Unido de países desta lista.

Contudo, embora a quarentena acabe para os britânicos totalmente vacinados, quem viajar até aos territórios indicados na lista, terá de fazer testes de diagnóstico no segundo dia após o regresso. No caso das crianças há exceções, uma vez que estas podem não fazer quarentena no regresso mesmo não estando vacinadas.

Quanto aos britânicos ainda não vacinados que viajem para estes países da lista "âmbar", a quarentena continuará a ter de ser feita antes de poderem circular livremente no Reino Unido.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.