Morreu o milionário norte-americano Robert Durst, condenado a prisão perpétua por matar a melhor amiga e que ficou famoso depois da estreia de um documentário sobre a sua vida na HBO. Tinha 78 anos e morreu no hospital prisional de Stockton, no estado norte-americano da Califórnia.

Durst morreu “de causas naturais", disse Chip Lewis, um dos seu advogados, que frisa que o milionário já tinha uma "longa lista de problemas de saúde", realçados repetidamente no tribunal nos últimos dois anos.

"Causa Própria". Revelamos tudo (o que podemos) sobre o novo drama criminal da RTP
"Causa Própria". Revelamos tudo (o que podemos) sobre o novo drama criminal da RTP
Ver artigo

O tribunal de Los Angeles condenou o milionário norte-americano de 78 anos a pena perpétua, sem possibilidade de liberdade condicional, pelo homicídio em primeiro grau (o equivalente a homicídio qualificado) de Susan Berman, a 14 de outubro de 2021, segundo a agência de notícias Associated Press (AP), cita a Renascença.

A tese de acusação avança que Durst matou a alegada melhor amiga para impedi-la de o denunciar à polícia de Nova Iorque e revelar o que aconteceu à mulher do milionário, que desapareceu sem deixar rasto.

Berman foi encontrada morta na sua casa em Beverly Hills, com um tiro na cabeça, depois de ter sido interrogada pela polícia sobre o desaparecimento da primeira mulher de Robert Durst, Kathleen McCormack. Kathleen desapareceu sem deixar rasto em 1982, após manifestar o desejo de se divorciar do marido, num caso ainda por esclarecer.

"Este crime é um homicídio de uma testemunha", disse o juiz Mark Windham, antes de proferir a sentença, de acordo com a mesma publicação. "Esta circunstância agravou enormemente este crime terrível e perturbador", acrescentou. O magistrado rejeitou o pedido da defesa para a realização de novo julgamento, afirmando que havia "provas suficientes, ou mesmo esmagadoras, de culpa".

"O que é que eu fiz? Matei-os a todos, é claro"

O milionário, que se declarou inocente, foi detido em março de 2015, na véspera da transmissão do último de seis episódios de um documentário sobre a sua vida, exibido pela HBO. Chama-se "The Jinx: The Life and Deaths of Robert Durst" e inclui declarações de Robert Durst em que, a falar sozinho na casa de banho, com o microfone sem fios a gravar, admite ter matado três pessoas: "O que é que eu fiz? Matei-os a todos, é claro".

A mesma produção inclui também o homicídio de um vizinho, que o milionário teria desmembrado e atirado ao mar, numa tentativa de fazer desaparecer o corpo.

Robert Durst herdou a fortuna de uma família de Nova Iorque, que enriqueceu com negócios no imobiliário, e esteve na mira da justiça mais de três décadas, por ser considerado suspeito de crimes ainda por resolver e que envolviam pessoas próximas das suas relações. O documentário sobre a sua vida faz parte do catálogo da HBO Portugal, e está disponível na plataforma de streaming.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.