Foi num caderno encontrado perto do seu corpo que Brian Laundrie admitiu, por escrito, a "responsabilidade" pela morte da namorada, Gabrielle Petito. A informação foi revelada pela polícia federal norte-americana (FBI) num comunicado partilhado esta sexta-feira, 21 de janeiro.

Os restos mortais da jovem foram encontrados a 19 de setembro de 2021 e o corpo de Laundrie foi encontrado um mês mais tarde, a 20 de outubro, depois de o jovem desaparecer de casa dos pais em meados de setembro. Apesar de o jovem ser o principal suspeito desde o arranque das investigações, esta é a primeira vez que as autoridades norte-americanas atribuem formalmente a culpa a Brian Laundrie.

Família de Brian Laundrie diz que não haverá funeral do jovem suspeito de matar Gabby Petito
Família de Brian Laundrie diz que não haverá funeral do jovem suspeito de matar Gabby Petito
Ver artigo

O desaparecimento de Petito, durante uma viagem com o namorado Brian Laundrie, despertou a atenção das autoridades norte-americanas depois de o jovem norte-americana ter regressado a casa dos pais, 1 de setembro, com a carrinha de Gabby, mas sem a namorada.

Dez dias depois, os pais da vítima participaram o desaparecimento filha às autoridades, com as quais Brian Laundrie recusou colaborar. Ainda assim, até então, o norte-americano era apenas classificado como "pessoa de interesse".

O FBI revelou, numa nota no Twitter, que Brian Laundrie deixou uma confissão escrita do homicídio, num caderno, antes de se suicidar. A nota foi encontrada junto aos restos mortais do jovem, com 23 anos à data da morte, num pântano da Florida, em outubro do ano passado.

"A investigação não identificou quaisquer outros indivíduos, para além de Brian Laundrie, directamente envolvidos na trágica morte de Gabby Petito", avançou, no mesmo comunicado, Michael Schneider, o agente responsável pela divisão do FBI responsável pelo caso de Petito na cidade de Denver, nos Estados Unidos.

Uma vez que "todas as etapas lógicas da investigação já foram concluídas", o caso deverá ser encerrado nos próximos dias.

"Agradecemos verdadeiramente os esforços diligentes e cuidadosos do FBI neste caso", lê-se numa declaração da família de Petito, enviada à imprensa norte-americana. "A qualidade e quantidade dos factos e informações recolhidos pelo FBI não deixam dúvidas de que a Brian Laundrie assassinou Gabby", lê-se na publicação do jornal "The Guardian".

A família de Laundrie também enviou uma nota à imprensa. “Gabby e Brian já não estão com as suas famílias e esta tragédia tem causado enorme dor e sofrimento emocional a todos”, lê-se na declaração da família da Laundrie. “Só podemos esperar que com o encerramento do caso hoje, cada família possa começar a curar-se e a avançar e encontrar a paz nas e com as memórias dos seus filhos”.

Recorde-se de que Gabby Petito e Brian Laundrie iniciaram uma viagem de carrinha pelos Estados Unidos no Verão passado. O casal partiu de Nova Iorque a 2 de julho e o objetivo era chegar à costa este do país quatro meses depois. A jovem foi vista pela última vez no dia 24 de agosto, quando estava a sair de um hotel em Salt Lake City, em Utah, e nesse mesmo dia fez uma última videochamada com a mãe. Desde então todas as mensagens que Gabby trocou com a família, sabe-se agora, foram escritas por Brian, para despistar os familiares e levar a crer que a jovem ainda estaria viva.

O corpo de Gabby esteve no deserto de Wyoming durante um mês antes de ser encontrado em meados de setembro. A autópsia revelou que foi estrangulada, pelo menos três semanas antes de o corpo ser encontrado. Até à data, não há qualquer informação relativa ao que pode ter motivado o crime.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.