É oficial. A NASA vai iniciar um projeto de investigação sobre Objetos Voadores Não Identificados (OVNI), anunciou a agência espacial esta quinta-feira, 9 de junho. A ideia é não só investigar fenómenos ​​nos céus da Terra — só em 2021, foram registados 144 avistamentos inexplicáveis, segundo um relatório dos serviços de inteligência dos EUA — como também desmistificar os mistérios em torno da temática.

"Uma das coisas que esperamos fazer, como parte deste estudo, ao simplesmente falar sobre isto abertamente, é ajudar a remover parte do estigma associado ao fenómeno, e isso resultará, obviamente, em maior acesso a dados, mais relatórios, mais avistamentos", afirmou Daniel Evans, cientista da NASA responsável pela coordenação do estudo.

Área 55. No Porto, há extraterrestres à mesa — mas estamos a falar de um Benedict de picanha
Área 55. No Porto, há extraterrestres à mesa — mas estamos a falar de um Benedict de picanha
Ver artigo

Outro dos objetivos é promover a segurança do país. "Fenómenos não identificados na atmosfera são tanto de interesse para a segurança nacional quanto para a segurança aérea. Estabelecer que eventos são naturais é um primeiro passo fundamental para identificar ou mitigar tais fenómenos, o que se alinha com um dos objetivos da NASA, o de garantir a segurança das aeronaves. Não há evidências de que os OVNIs sejam de origem extraterrestre", afirma a agência.

A ideia da operação é reunir dados de civis, do governo, de organizações sem fins lucrativos e empresas, e posteriormente tentar perceber se "é possível reunir mais dados e como melhor analisá-lo", segundo o astrofísico David Spergel, que vai liderar a equipa do estudo independente da NASA.

Para este trabalho, a agência tem a vantagem de ter "acesso a uma ampla gama de observações da Terra a partir do espaço", assim como ferramentas úteis e uma equipa com conhecimento vasto para explorar fenómenos desconhecidos.

O projeto vai começar em outubro e terá uma duração de nove meses, findos os quais será apresentado um relatório, publicamente, permitindo assim que qualquer pessoa veja ou estude as descobertas (e mate a curiosidade que vem de há longos anos).

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.