Após cinco anos de investigações, vão ser julgadas 12 pessoas que terão estado envolvidas no assalto à mão armada, em 2016, ao apartamento de Paris de Kim Kardashian, que foi ameaçada e trancada da casa de banho. As joias roubadas terão sido avaliadas em 10 milhões de dólares, o equivalente a cerca de 8.9 milhões de euros.

A notícia foi conhecida este sábado, 20 de novembro, mas ainda não foi adiantada qualquer data para o início do julgamento. Nesta fase, tanto Kim Kardashian como o seu advogado estão em silêncio e não comentaram o avanço do processo.

O incidente, ocorrido em outubro de 2016, terá sido o momento mais assustador da vida de Kardashian. Foi assim que a própria recordou a experiência traumática em entrevista a David Letterman, em "O Próximo Convidado", o seu especial de conversas produzido em exclusivo para a Netflix.

É oficial: Kim Kardashian e Pete Davidson confirmam namoro
É oficial: Kim Kardashian e Pete Davidson confirmam namoro
Ver artigo

"Ele [referindo-se a um dos assaltantes] agarrou-me e, naquele instante, eu estava a usar só um robe e não tinha nada [vestido] por baixo. Pensei que aquele seria o momento em que iria ser abusada. Preparei-me mentalmente para isso, mas depois ele prendeu-me as mãos e vi a arma", recordou em entrevista. "Só conseguia pensar na Kourtney [Kardashian]. Em como ela iria chegar a casa e me iria encontrar morta no quarto, em como iria ficar traumatizada para o resto da vida se me visse. Achei, genuinamente, que era isso que ia acontecer", referiu.

Kim Kardashian foi trancada na casa de banho até os assaltantes saírem do apartamento e ainda hoje vive com as sequelas do incidente, que lhe terá causado ansiedade generalizada.

"Fiquei muito assustada com tudo o que aconteceu. Atualmente não consigo dormir à noite se não souber que tenho dezenas de guarda-costas e seguranças a guardar a minha casa. Foi nisso que se tornou a minha realidade", lamentou, visivelmente emocionada, a David Letterman.

Uma das joias roubadas terá sido um anel avaliado em 4 milhões de dólares (cerca de três milhões de euros). "Um dos assaltantes exigiu, com um sotaque francês muito carregado, que lhe desse o meu anel. Quando lhe disse que não sabia do que estava a falar, ele tirou a arma e mostrou-ma", lê-se no relatório da polícia ao qual a revista "People" teve acesso.

Dos 12 suspeitos de ter participado no crime, Aomar Ait Khedache, que está detido, terá enviado uma carta a Kim Kardashian dizendo lamentar o sofrimento que lhe causou.

O caso deverá começar a ser julgado em breve.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.