No prefácio de um novo livro dedicado a todas as crianças de profissionais de saúde que morreram vítimas da COVID-19 no Reino Unido, o príncipe Harry reflete sobre a morte da mãe, a princesa Diana, que aconteceu em 1997 quando este tinha apenas 12 anos.

"Hospital By the Hill", assim se chama o livro, conta a história de um jovem que se vê confrontado com o luto quando a mãe, uma das profissionais na linha da frente do combate à pandemia, morre vítima da doença. O livro será entregue a todas as crianças que perderam os pais, numa iniciativa do governo britânico para assinalar o início do primeiro confinamento no país.

Harry e Meghan. Versões do príncipe e da mulher sobre questão do racismo não coincidem
Harry e Meghan. Versões do príncipe e da mulher sobre questão do racismo não coincidem
Ver artigo

"Se estás a ler este livro, é porque perdeste um progenitor ou um ente querido. E embora pudesse abraçar-te neste preciso momento, espero que esta história te possa dar algum conforto e te faça saber que não estás sozinho", escreve Harry no início do préfacio, citado pelo jornal "The Guardian".

"Quando era muito jovem, perdi a minha mãe. Naquela altura, não quis acreditar ou aceitar, e isso deixou um enorme vazio dentro de mim. Sei como te sentes e quero assegurar-te de que, à medida que o tempo for passando, esse vazio começará a ser preenchido com muito amor."

E continua: "Podes sentir-te sozinho, triste e zangado. Esses sentimentos vão passar e vou fazer-te uma promessa: vais sentir-te melhor e mais forte assim que estiveres preparado para falar sobre como é que tudo isso te faz sentir."

Príncipe William reage às acusações de Harry e Meghan. "Não somos uma família racista"
Príncipe William reage às acusações de Harry e Meghan. "Não somos uma família racista"
Ver artigo

A reflexão acerca da morte da mãe surge no rescaldo da entrevista que Harry e Meghan Markle concederam a Oprah Winfrey, na qual a duquesa acusou a família real britânica de racismo e Harry argumentou que toda a sua família vive presa dentro de um sistema do qual não se conseguem ver livres.

Relação de Harry e William continua instável

Durante a mesma entrevista, Harry revelou que a sua relação com o irmão, William, não estava estável, mas que esperava que o amor que nutrem um pelo outro pudesse servir de reconciliação.

Na terça-feira, 16 de março, no entanto, Gayle King, pivô do canal americano CBS, revelou que a conversa entre os dois já terá acontecido, mas que, apesar disso, não terá sido produtiva.

"A informação que me chegou foi que a conversa que eles tiveram não foi produtiva, mas que ambos estão aliviados de, pelo menos, terem começado a conversar. Creio que o que os está a incomodar é o facto de, apesar de querem falar em privado, continuarem a surgir notícias falsas sobre o caráter de Meghan Markle", explicou a pivô em direto.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.