O documentário da HBO “Leaving Neverland” estreou a 4 de março e não deixou ninguém indiferente. Dividido em duas partes, conta a história de James Safechuck e Wade Robson que dizem ter sido abusados por Michael Jackson em criança — apesar de eles próprios e as suas famílias terem defendido o cantor nos vários julgamentos em 2005.

Na sequência destas acusações, foram várias as rádios em todo o mundo que começaram a banir as músicas do cantor falecido em 2009. Do Canadá à Nova Zelândia e Austrália, já são algumas as estações que preferem deixar cair as músicas do Rei da Pop.

“Estamos atento aos comentários dos nossos ouvintes e o documentário gerou algumas reações”, afirmou um representante de uma cadeia de rádio canadiana.

Escândalo Michael Jackson. Mãe de uma das alegadas vítimas dançou quando o cantor morreu
Escândalo Michael Jackson. Mãe de uma das alegadas vítimas dançou quando o cantor morreu
Ver artigo

Entre as rádios de Quebec e de Ontário, serão 23 as estações que deixaram de passar a música do cantor, afetando cerca de cinco milhões de ouvintes.

Do outro lado do mundo, na Nova Zelândia, três estações do rádio optaram por deixar de passar Jackson temporariamente. Um diretor de uma das rádios explicou numa entrevista: “Não estamos a julgar se Michael Jackson é culpado ou não. Estamos só preocupados que a nossa rádio passe a música que os nossos ouvintes querem”.

A estação de rádio de Sidney foi das últimas a banir o cantor da sua programação. “À luz do que aconteceu, a SmoothFM não continuará a passar nenhuma das músicas de Michael Jackson”, explicou o diretor de programas Paul Jackson.

Newsletter

A MAGG é uma magazine para mulheres MAGGníficas. A MAGG faz um apanhado das mais estranhas que encontrámos nos sites das lojas.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma magazine para mulheres MAGGníficas. A MAGG faz um apanhado das mais estranhas que encontrámos nos sites das lojas.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.