Ron Jeremy, o ator pornográfico norte-americano que se encontra a cumprir pena por abuso sexual, foi acusado de mais sete crimes, o que em conjunto com as acusações anteriores, resulta numa sentença de mais de 300 anos de prisão. Depois de ser acusado pela primeira vez em junho deste ano, sabe-se agora que o ministério público de Los Angeles o acusou de mais crimes de abuso sexual que envolvem seis mulheres, e recuam até 1996.

O norte-americano de 67 anos, cujo nome completo é Ron Jeremy Hyatt, é acusado de crimes contra 23 mulheres, entre 1996 e 2020, escreve o site da CBS News. As novas acusações incluem três crimes de violação, dois crimes de sexo oral forçado e uma acusação de abuso com a intenção de cometer penetração manual forçada, e a idade das vítimas envolve mulheres entre os 17 e os 38 anos.

Pornografia infantil vai ser bloqueada em Portugal já a partir de setembro
Pornografia infantil vai ser bloqueada em Portugal já a partir de setembro
Ver artigo

Entre outras acusações, o ator pornográfico é acusado de violar uma mulher de 19 anos durante uma sessão de fotos em Los Angeles em 1996. Também é acusado de mais crimes de violação, como a de uma jovem de 17 anos, numa residência na zona de Woodland Hills, também em Los Angeles.

O advogado de Ron Jeremy, Stuart Goldfarb, já afirmou estar surpreso com as novas acusações. "São mais do mesmo, e é estranho como as estão a adicionar no contexto atual", salienta o canal noticioso. "Ele [Ron Jeremy] não nega ter estado com algumas dessas mulheres, mas foi consensual." O advogado de defesa refere ainda que espera que o caso seja julgado em tribunal, e não resolvido num acordo judicial.

A ser condenado pelas mais de 30 acusações, Ron Jeremy enfrenta uma sentença máxima de vida na prisão de 330 anos. O norte-americano era professor em Queens, Nova Iorque, até que a sua carreira no mundo da pornografia disparou depois de uma namorada ter enviado fotografias de Ron despido para a revista "Playgirl". Apareceu em cerca de dois mil filmes para adultos, bem como em produções cinematográficas comuns.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.