Depois de se ter retirado da prova coletiva e individual de ginástica artística e das provas no cavalo e paralelas assimétricas, Simone Biles vai participar na final da trave olímpica marcada para esta terça-feira, 3 de agosto, nos Jogos Olímpicos de Tóquio, no Japão.

A participação na prova (que acontece às 09h50) será a última oportunidade da ginasta arrecadar mais uma medalha depois de, nos Jogos Olímpicos de 2016, no Brasil, ter conseguido o bronze na modalidade em questão. Ainda que Biles não tenha confirmado a sua presença, o anúncio foi feito esta segunda-feira, 2, pela Federação de Ginástica dos EUA, através de uma nota oficial.

"Estamos muito entusiasmados por poder confirmar que amanhã será possível ver duas atletas americanas na prova final a trave olímpica: Suni Lee e Simone Biles. Mal podemos esperar por ver as duas [em ação]", pode ler-se.

Como a atleta Simone Biles desistiu dos Jogos Olímpicos (e abriu o diálogo sobre saúde mental)
Como a atleta Simone Biles desistiu dos Jogos Olímpicos (e abriu o diálogo sobre saúde mental)
Ver artigo

Antes do comunicado oficial, já Mykayla Skinner, atleta da equipa americana de ginástica artística, tinha deixado essa hipótese em aberto. "Não sei se [a participação de Biles na final da trave] está confirmada, mas parece que sim. Ela está a lidar com tudo isto melhor do que imaginava. Ri connosco todos os dias, estimula-nos. Talvez seja diferente quando regressar a casa, mas, como está do nosso lado, provavelmente irá competir", explicou Skinner, citada pela imprensa americana.

Simone Biles abriu a porta para a importância do diálogo sobre a saúde mental dos atletas de alta competição quando decidiu retirar-se da final coletiva de ginástica artística — desfalcando a equipa americana — para se focar na sua saúde mental e bem estar.

Ainda que, inicialmente, se teorizasse que a não comparência nas provas tinha que ver com problemas físicos, foi a atleta que esclareceu os motivos. "Depois da minha prestação na prova, simplesmente não queria continuar", começou por explicar em declarações à imprensa, segundo cita a BBC.

"Tenho de me focar na minha saúde mental, numa altura em que o tema é cada vez mais abordado nas modalidades. Temos de proteger as nossas mentes e os nossos corpos e não fazer aquilo que o mundo espera de nós", continuou, admitindo que, atualmente, já não se sente tão confiante.

"Talvez seja um sintoma do crescimento. Houve dias em que toda a gente me mencionava [nas redes sociais] e isso faz-te sentir o peso do mundo."

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.