Há mais nove mortes e 2.830 novos casos de infeção em Portugal pelo novo coronavírus. São estes os dados divulgados esta quinta-feira, 2 de setembro, pela Direção-Geral da Saúde (DGS), no novo boletim epidemiológico referente à evolução da crise sanitária no País.

Esta quarta-feira, 1, a DGS recomendou uma dose adicional da vacina contra a COVID-19 para pessoas com imunossupressão maiores de 16 anos. "Fizemos hoje a atualização da norma, incluindo uma dose adicional — uma nova oportunidade de vacinação — para pessoas com imunossupressão e mais de 16 anos e essa administração da dose é feita sob orientação e prescrição do médico assistente", adiantou Graça Freitas em entrevista à agência Lusa, citada pela TSF. 

COVID-19. Há mais 14 mortes e 1.565 novos casos de infeção em Portugal
COVID-19. Há mais 14 mortes e 1.565 novos casos de infeção em Portugal
Ver artigo

De acordo com a diretora-geral da saúde, os "centros de saúde terão capacidade de as vacinar", visto que este processo "será exatamente como já aconteceu nas outras fases" com a vacinação prioritária das pessoas com insuficiência cardíaca, respiratória e renal e doentes graves, escreve a mesma fonte noticiosa.

A marcar a atualidade internacional está a estimativa do Centro Europeu para Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC) que refere que centenas de milhares de mortes foram já evitadas na União Europeia devido à vacinação contra a COVID-19.

"No que toca ao impacto das vacinações na mortalidade, ainda não fizemos estudos específicos, mas [...] durante a última vaga, entre dezembro e abril, houve uma mortalidade média de 50 a 100 mortes por milhão e agora, no pico da atual vaga que é substancial em termos de número de casos, a mortalidade é inferior a 10 por milhão", indica o diretor do departamento de Vigilância do ECDC, Bruno Ciancio, em entrevista à agência Lusa, citado pelo "Diário de Notícias". 

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.