Há mais sete mortes e 1.323 novos casos de infeção em Portugal pelo novo coronavírus. São estes os dados divulgados esta sexta-feira, 10 de setembro, pela Direção-Geral da Saúde (DGS), no novo boletim epidemiológico referente à evolução da crise sanitária no País.

O governo anunciou esta quinta-feira, 9, que no ensino superior as máscaras serão de uso obrigatório no regresso às aulas. A medida surge poucos dias do arranque do ano letivo 2021/2022 — entre 14 e 17 de setembro — e diz respeito apenas a aulas presenciais e é para ser cumprida por toda a comunidade escolar. "É obrigatória a utilização de máscaras nas instituições científicas e de ensino superior por estudantes, docentes, não docentes, investigadores e outros colaboradores, de acordo com a legislação vigente", estabelece o documento a que o "Jornal de Notícias" teve acesso. Além disso, o governo refere que a vacinação é "fortemente recomendada".

Festas em bares da praia de Santa Cruz provocam surto de infetados com COVID-19
Festas em bares da praia de Santa Cruz provocam surto de infetados com COVID-19
Ver artigo

Há ainda outras orientações importantes para o ensino superior, que diferem das regras do ano passado, como o facto de o acesso às residências poder "ser condicionado à exigência do certificado digital".

Ainda sobre a COVID-19, estão a ser estudados os moldes como vai ser feita a queima das fitas de Coimbra, que não é realizada desde 2019. Este ano, com datas previstas para a semana de 22 a 29 de outubro, a Comissão Organizadora da Queima das Fitas (COQF) espera pode ter uma lotação mínima de entre 10 a 20 mil pessoas. "A única coisa que não está definida é a lotação das pessoas, a sua circulação e distanciamento. Ainda não sabemos as regras que irá haver na altura", disse o secretário-geral da Queima das Fitas, Carlos Missel, de acordo com o jornal "Observador", que cita a agência Lusa.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.