Foram fotografadas dezenas de máscaras cirúrgicas em frente ao Hospital Santa Maria, em Lisboa. A situação foi dada a conhecer através do “Correio da Manhã” que partilhou duas fotografias numa zona que é comum à entrada e saída da unidade hospitalar. Nas fotografias é também possível ver que existem dois caixotes do lixo próximos – o que poderia ser uma solução para que as máscaras não acabassem no chão.

A obrigatoriedade do uso de máscara em locais fechados, trouxe também o revés da moeda que se materializa em mais poluição por parte das mesmas. Esta aliás é uma preocupação do secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales, que já tinha chamado a atenção para que luvas e máscaras descartáveis não fossem deitadas para o chão depois de usadas.

COVID-19. Devemos repensar a forma como os espaços públicos estão organizados ou manter tudo como antes?
COVID-19. Devemos repensar a forma como os espaços públicos estão organizados ou manter tudo como antes?
Ver artigo

“Constatamos frequentemente nos espaços públicos que existem muitas máscaras eliminadas”, começou por dizer na conferência de imprensa do dia 29 de maio. “O apelo que queria fazer era que essas máscaras não fossem eliminadas para o espaço público, que fossem eliminadas para o lixo doméstico, que é de facto o correto, como indicam as autoridades de saúde”.

As máscaras e luvas devem ser descartadas no caixote do lixo comum, preferencialmente dentro de sacos. O Ministério do Ambiente e da Ação Climática também reitera que estes elementos de proteção não devem ser colocados nos ecopontos.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.