O ar condicionado nos escritórios é uma guerra que nunca terá fim: existem aqueles que preferem o ar mais fresco e outros que não podem viver sem calor. Mas agora já existe fundamentação científica para continuar a querer o ar desligado — pelo menos no caso das mulheres. Uma investigação veio comprovar que o cérebro das mulheres trabalha melhor com temperaturas altas.

Os homens, pelo contrário, trabalham melhor com temperaturas mais frescas, aumentando assim a sua produtividade, de acordo com um estudo publicado na passada quarta-feira, 22 de maio, no jornal "PLOS One".

Morgan Freeman transforma rancho num santuário de abelhas
Morgan Freeman transforma rancho num santuário de abelhas
Ver artigo

O estudo foi conduzido na Alemanha e testou a habilidade de 500 homens e mulheres em realizar tarefas com temperaturas diferentes. Os resultados não deixam margem para dúvidas: em ambientes mais quentes as mulheres realizaram melhor tarefas matemáticas e verbais, enquanto que o contrário se revelou nos homens.

Segundo a investigação, o aumento de produtividade nas mulheres a trabalhar com temperaturas mais altas é significativamente maior do que a situação contrária nos homens. “Os nossos estudos sugerem que é possível aumentar a produtividade se se aumentar a temperatura standard nos ambientes de trabalho”, conclui a investigação.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.