O incêndio deste domingo, 19 de dezembro, no Hospital de São João, no Porto, foi causado por um cigarro. Um paciente do sexo masculino internado na sala de pneumologia que sofre, alegadamente, de perturbações mentais, acendeu um cigarro no interior do hospital, dando então origem ao fogo no nono piso. O incêndio começou pelas 17h30 deste domingo, e causou um morto e nove feridos, entre pacientes e profissionais de saúde, salienta a CNN Portugal.

Incêndios de Pedrógão Grande são tema de documentário produzido por Leonardo DiCaprio
Incêndios de Pedrógão Grande são tema de documentário produzido por Leonardo DiCaprio
Ver artigo

Após acender o cigarro, o homem, que estaria a receber oxigénio, pegou imediatamente fogo à própria roupa, entrou em pânico e deambulou pela sala de pneumologia. Foi desta forma que o fogo se alastrou até à cama imediatamente ao lado, onde estava um paciente completamente incapacitado, sendo assim impossível para este fugir ou pedir ajuda, sendo esta a vítima mortal a registar até ao momento, também de acordo com o canal noticioso.

O homem que causou o incêndio é um dos feridos do incêndio, e encontra-se em estado crítico na unidade de queimados do hospital. Para além deste paciente, existem mais feridos, com menos gravidade, incluíndo profissionais de saúde de São João que também tiveram de ser assistidos.

O incêndio acabou por dar origem a uma explosão e a um fumo intenso, sendo que os trabalhos de socorro foram dificultados devido à sala de pneumologia, onde o fogo começou, ser uma ala com muitos pacientes incapacitados. No entanto, o Hospital de São João garante que o plano de emergência foi imediatamente ativado.

Os doentes foram retirados do local e uma equipa da Polícia Judiciária já esteve no local a recolher indícios, salienta o "Observador".

Marcelo Rebelo de Sousa falou na noite deste domingo com Fernando Araújo, o presidente do Conselho de Administração do Hospital de São João, e exprimiu “solidariedade com todos os afetados e respetivas famílias, mas também com os profissionais daquela unidade de saúde", lê-se no site da presidência.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.