Ao longo de todo o mês de junho, vai poder ser reembolsado pelos pagamentos que fizer com o telemóvel. Os requisitos obrigatórios são apenas dois: que o pagamento seja por telemóvel, ou seja, sem contacto, e que o cartão usado para o pagamento seja o da Lydia, a empresa francesa que, tal como o Revolut, se especializa no setor financeiro.

A iniciativa surge com o objetivo de a empresa se tornar na grande impulsionadora dos pagamentos com recurso a telemóvel em Portugal. Por isso, a Lydia oferece 10% do valor que pagou numa determinada compra (o chamado cashback) desde que esse pagamento tenha sido feito por telemóvel e com recurso ao cartão virtual da empresa.

IVAucher. Como vai funcionar e em que lojas posso usar o desconto do IVA? Saiba tudo
IVAucher. Como vai funcionar e em que lojas posso usar o desconto do IVA? Saiba tudo
Ver artigo

Pode acumular até três euros por transação, nunca excedendo uma acumulação final de 30 euros. Os 10% de cashback são reembolsados no dia seguinte à compra, segundo a empresa numa nota oficial.

Para que possa começar já a acumular, a única coisa de que precisa é da aplicação, disponível para telemóveis Android e iPhone, instalada no seu equipamento. Depois de se registar e de verificar a sua identidade, processo que demora poucos minutos, basta começar a usar o cartão virtual da aplicação para pagar.

Pode adicionar dinheiro à sua conta Lydia através de carregamentos ou associando a sua conta bancária principal à aplicação. Independentemente do meio escolhido para a carregar, é importante que todos os pagamentos sejam feitos com o cartão Lydia (a aplicação permite-lhe ter esse controlo para poder decidir de que cartões sai o dinheiro) para que seja reembolsado no dia seguinte.

Na versão base do serviço, a mesma que permite a funcionalidade de reembolso até final de junho, não há subscrições associadas ao serviço e a Lydia é totalmente gratuita.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.