A organização de Intervenção de Resgate Animal (IRA) encontrou esta quinta-feira, 27 de maio, os cadáveres de nove cães de várias raças numa casa em Bucelas, Loures. O alerta foi dado por vizinhos, que sentiram o cheiro vindo da casa que pertence a um homem de 35 anos, relata o IRA. A organização partilhou nas redes sociais vários vídeos a mostrar as condições em que foram encontrados os animais.

"Em quatro anos de existência da nossa instituição, esta será provavelmente a maior tragédia com cães", diz o IRA após encontrar os "cães mortos dentro de arcas congeladoras na garagem, dentro dos armários dos quartos, dentro de canis no quintal", relata. Alguns dos animais estavam já em elevado estado de decomposição, uma vez que, segundo aponta a instituição, terão morrendo lentamente à sede e à fome.

Contudo, os cadáveres encontrados dentro das arcas congeladores "aparentavam uma boa condição corporal", estando prevista uma autópsia para apurar a razão da morte dos animais. Há apenas um cão sobrevivente, um pastor belga, que foi encaminhado para o gabinete médico-veterinario municipal de Loures.

Cães adotados estão a ser devolvidos depois de terem encontrado uma casa durante o primeiro confinamento
Cães adotados estão a ser devolvidos depois de terem encontrado uma casa durante o primeiro confinamento
Ver artigo

O indivíduo de 35 anos responsável pela casa e pelos animais não era visto desde dezembro e terá abandonado a residência, deixando os cães sem condições. O resultado está à vista e é condenado pelo IRA. "Nenhum ser vivo merece morrer desta forma", escreve a associação na publicação de Instagram. Entretanto, o dono dos cães já foi identificado e encontra-se "em parte incerta", revela a associação, acrescentando que o caso seguirá para procedimento criminal por se tratar de um crime de maus-tratos a vários animais.

O IRA partilhou três vídeos que expõem a situação de abandono dos animais em Bucelas que estão a chocar os portugueses. Alertamos que as imagens são chocantes.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.