O início do julgamento de Rui Pinto está marcado para as 9h30 desta sexta-feira, 4 de setembro. E está já montada uma grande operação de segurança para garantir que, quando o hacker se deslocar do local secreto no qual se encontra desde que foi libertado das instalações da Polícia Judiciária (PJ), a 7 de agosto, nada ponha em risco a sua chegada ao Campus de Justiça, em Lisboa.

A operação de segurança foi criada com o envolvimento das forças da  Polícia de Segurança Pública (PSP) e PJ, juntamente com a colaboração não só dos Serviços de Informações e Segurança, mas também da defesa do arguido — que vai ser julgado por 90 crimes. O fundador da plataforma Football Leaks, sabe-se agora, vai ser vigiado por duas equipas do Corpo de Segurança Pessoal (CSP) da PSP e por agentes à civil do Grupo de Operações Especiais (GOE) da mesma entidade.

Além disso, sabe-se também que todos os agentes das forças especiais têm autorização para disparar no caso de se verificar uma ameaça credível e sustentada à segurança de Rui Pinto, avança o "Correio da Manhã".

Rui Pinto. Acusações, comparações a Snowden e o que muda com o Luanda Leaks
Rui Pinto. Acusações, comparações a Snowden e o que muda com o Luanda Leaks
Ver artigo

Estão delineadas um conjunto pormenorizado de estratégias e modos de agir para que Rui Pinto passe despercebido na chegada ao Campus de Justiça, explica uma fonte policial, conhecedora do método de funcionamento da PSP em julgamentos delicados, ao jornal "Público".

Os cenários engendrados para manter o pirata informático em segurança assemelham-se àqueles que são usados nos filmes de ação através da utilização de carros falsos, disfarces ou até chegar ao tribunal em horários inesperados.

Mas a mesma fonte diz, com certeza, que haverá presença de agentes e viaturas descaracterizados nas imediações do Campus de Justiça, bem como armamento pesado. Mas vai mais longe ao avançar que, no caso de operações de maior risco, como é o da segurança de Rui Pinto, poderão ser utilizadores atiradores furtivos — snipers —, para reforçar a segurança.

No trajeto entre o local secreto em que o pirata informático se encontra hospedado e o tribunal, as autoridades irão, provavelmente, evitar túneis ou viadutos.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.