A variante Delta, identificada na Índia, do SARS-CoV-2 já representa 70% dos casos de infeção na região de Lisboa e Vale do Tejo (LVT). A informação foi dada na noite desta terça-feira, 22, por João Paulo Gomes, investigador do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA), no programa "É Ou Não É" da RTP.

As novas informações surgem depois de, no domingo, 22, o INSA ter feito saber que a prevalência da variante Delta em LVT era de 60%.

"Aqueles 60% de que nós falámos como sendo a prevalência da variante Delta em LVT, neste momento já está em 70%", explicou o especialista, segundo cita o jornal "Expresso". No entanto, alerta para o facto de esse número ser superior no concelho de Lisboa, local onde a prevalência está, "claramente, acima de 70%".

Posso sair e entrar de Lisboa para ir trabalhar? E para ir ao hospital? As exceções às restrições da AML
Posso sair e entrar de Lisboa para ir trabalhar? E para ir ao hospital? As exceções às restrições da AML
Ver artigo

Também na região norte do País, onde, no domingo, a variante Delta estava associada a 15% dos casos de infeção, a prevalência subiu. "Já não estamos a falar de 15%, estamos a falar de 20%", refere.

Estes novos dados não deixam margem para dúvidas e confirmam que além de ser a mais proeminente, a variante Delta é também a mais contagiosa. Especificamente, 60% mais contagiosa do que a variante Alfa, inicialmente detetada no Reino Unido. Dada a força da variante em questão, não é possível a João Paulo Gomes dizer até que ponto os dados atuais poderão mudar ao longo dos próximos dias.

Nas últimas 24 horas, Portugal registou mais seis mortes e 1.020 novos casos de infeção por COVID-19. Todas as vítimas mortais foram registadas em LVT, bem como mais de metade dos novos infetados.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.