Os testes rápidos à COVID-19 vão voltar a ser gratuitos nas farmácias portuguesas até, pelo menos, 30 de junho. A informação surge depois de Marta Temido, ministra da Saúde, ter dito o contrário na quarta-feira, 18 de maio. Dois dias depois, o secretário de Estado Adjunto da Saúde, António Lacerda Sales, assinou a portaria sobre a gratuitidade dos testes, explica a agência Lusa, citada pelo jornal “Expresso

A mudança de estratégia tem que ver com aquela que é a realidade atual no País. O aumento do número de casos de COVID-19 pode “contribuir para o aumento de circulação de variantes com maior potencial de transmissão, estimando-se que a linhagem BA.5 da variante Omicron já seja dominante em Portugal”, lê-se na portaria que acompanha a medida.

Estou com COVID-19 e apetece-me treinar em casa. Devo fazê-lo? Especialistas respondem
Estou com COVID-19 e apetece-me treinar em casa. Devo fazê-lo? Especialistas respondem
Ver artigo

Após o alívio das restrições, como o fim da obrigatoriedade do uso de máscara em espaços fechados, Portugal tem registado um aumento significativo de casos. No domingo, 22, foram identificados 10.024 casos. Desde 6 de fevereiro que não existiam tantos casos a um domingo, explica o “Correio da Manhã”.

Mas para poder ter acesso ao testes gratuitos, é preciso que tenha uma prescrição médica para o efeito. Esta pode ser lançada através da linha telefónica SNS24 ou pelo médico de família que o esteja a acompanhar

O limite de 10€ por teste já tinha sido decretado entre março e abril.

Apenas entre dezembro de 2021 e fevereiro deste ano é que o limite por teste subiu para 15€. A presidente da Associação Nacional de Farmácias considera que o limite de preço não impedirá as pessoas de se testarem, explica ao “Jornal de Notícias”.

Além disso, garante que esta será uma medida importante para “ajudar a reduzir a taxa de incidência da COVID-19, quebrar cadeias de transmissão, manter a economia aberta e para promover a acessibilidade da população aos testes."

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.