Um homem acusado pela ex-companheira de violência doméstica, agressões e ameaças de rapto da filha do casal acabou por ser absolvido pelo Tribunal Judicial de Loures. Com base nesta decisão, o Tribunal de Família e Menores decidiu que a filha de ambos, de 7 anos, deveria ser entregue ao pai, para que passe tempo com ele, escreve o jornal "Correio da Manhã". Isto apesar dos inúmeros episódios de violência relatados pela ex-companheira que deram origem ao processo.

Os episódios de violência terão começado pouco tempo de depois do nascimento da filha do casal e evoluíram de insultos para agressões mais graves. A mulher terá tentado pôr fim à relação em 2018, mas a decisão não foi aceite pelo homem. Terão existido situações de violência, bem como as ameaças de que raptaria a filha menor. O último episódio relatado pela vítima foi de que o companheiro terá enviado uma caixa com fotos da filha de 7 anos e duas facas no interior.

Violência doméstica aumenta nas crianças e jovens e há mais de 41 mil em situações de perigo
Violência doméstica aumenta nas crianças e jovens e há mais de 41 mil em situações de perigo
Ver artigo

Todas as situações de violência foram relatadas ao Ministério Público aquando o início do processo e durante o período em que decorria a decisão sobre a regulação do poder parental da filha de ambos. A vítima recorreu à Associação Portuguesa de Apoio à Vitima (APAV), à PSP, ao Espaço Vida e está com o sistema de teleassistência ativado há três anos. De acordo com todas as entidades, a mãe e a menor vivem em situação de risco com consequências imprevisíveis. Tudo isto levanta muitas dúvidas e preocupações relacionadas com a decisão agora tomada pelos tribunais que permite que o homem esteja regularmente com a filha.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.