Aos 31 anos, Alice Trewinnard é considerada uma das personalidades mais influentes do mundo digital em Portugal — título que lhe valeu uma nomeação para o prémio de Social Star Portugal, dos People's Choice Awards 2021. Este galardão distingue as personalidades que mais se destacaram no ano em causa pela sua atividade nas redes sociais ao longo do último ano. Alice concorre contra Adri da Silva, Bárbara Corby, Catarina Gouveia, Mafalda Castro, Mariana Machado, Mel Jordão e Paulo Teixeira.

"É sempre uma honra estar nomeada junto de outras pessoas que eu também admiro", disse Alice à MAGG, acrescentando que  ficou "super contente" com esta nomeação para a qual "não estava nada à espera". "Eu fiquei particularmente feliz", garantiu, "porque há muito trabalho de valor no digital e, portanto, é bom haver este tipo de reconhecimentos". As votações do público para eleger a próxima Social Star Portugal encerraram a 17 de novembro. Em 2020, Helena Coelho foi a premiada. O vencedor de 2021 vai ser anunciado a 7 de dezembro, durante a cerimónia transmitida em exclusivo no canal E!.

Qual é o percurso de Alice Trewinnard?

Alice Trewinnard é licenciada em Nutrição e Dietética pela Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa, do Instituto Politécnico de Lisboa, mas não tem o título de nutricionista. Optou por este curso "um bocadinho por exclusão de partes", apesar de sempre ter tido um "interesse genuíno na área". "Na altura, de facto foi o que fez mais sentido para mim. Agora, olhando para trás, reconheço que se calhar ainda era um bocadinho imatura", começou por revelar à MAGG.

Na altura, era "impensável" não ir para a faculdade. Esta pressão que sentiu culminou na escolha de Nutrição e Dietética. "E não me arrependo nada, por todos os conhecimentos que adquiri, pelos amigos que fiz. E, honestamente, eu acredito que foi por alguma razão", assegura Alice, acrescentando: "Apesar de, hoje em dia, não exercer, acredito que, se não tivesse seguido aquele caminho, se calhar não estaria aqui hoje."

Alice Trewinnard
créditos: Alice Trewinnard

Ainda que não tenha sido a Nutrição aquilo que "lançou" a carreira de Alice, como a própria sublinha, foi útil para obter novos conhecimentos. "Ainda hoje, se for preciso, eu pratico em algumas coisas. E agora até com uma filha", explicou. "Acima de tudo, o curso deu-me as ferramentas para ir buscar informação se precisar dela no futuro. Sempre que quiser saber alguma informação nova, sei onde hei-de ir buscar de forma credível", refere Alice sobre aquilo que considerou ser a mais valia do curso.

Perto do final do curso, começou a aperceber-se de que não saberia o que fazer no futuro. "Se calhar não é bem isto que eu vou querer fazer", pensou. A vertente clínica da Nutrição foi-lhe bastante incutida durante a licenciatura e ,depois de concluir vários estágios obrigatórios, concluiu: "Não me vejo a fazer isto no futuro". "Sou licenciada em Dietética e Nutrição, mas para ter o título de nutricionista tenho de fazer o exame à Ordem". 

"Sei que seria muito mais fácil, levantava menos questões", explicou à MAGG. Mas, depois de iniciar o estágio à Ordem para obter o título, desistiu ao fim de três meses. "E não tenho problema nenhum em dizer que sou licenciada em Dietética e Nutrição e não que sou nutricionista."

Dos penteados aos primeiros passos no digital

"Entretanto comecei a dar os meus primeiros passos no digital e isso sim puxou muito mais por mim do que a Nutrição", conta Alice, que decidiu "arriscar" e "dar uma oportunidade" a este novo caminho que surgia "um bocadinho por acaso". Tudo começou quando, "a meio do curso", Alice aprendeu a fazer penteados, e decidiu começar a partilhá-los numa página do Facebook, a Golden Locks.

Criada em junho de 2013, servia como plataforma para Alice divulgar os penteados, bem como conseguir marcações para realizar penteados ao domicílio. "Na altura até era bastante popular. Ainda não se ligava muito ao Instagram" e esta popularidade trouxe consigo a oportunidade de Alice lançar um livro de penteados, dois anos depois da criação da Golden Locks.

"Alice no Mundo das Tranças e dos Penteados" chegava às bancas em junho de 2015, com mais de 60 sugestões de penteados criados por Alice Trewinnard. "E foi na sequência do livro que criei o meu canal de Youtube de penteados, logo após o lançamento, numa de dar seguimento ao conteúdo do livro", esclareceu Alice, que havia aprendido "quase tudo aquilo que sabia", no que toca a penteados, com youtubers estrangeiras.

Um canal de Youtube com quase 190 mil subscritores

O Youtube pareceu-lhe "a plataforma ideal" para prosseguir com a sua criação, mas "não foi nada premeditado". "Eu já tinha pensado antes que até gostava de fazer isso, mas não tinha coragem. E nem sequer tinha conhecimentos de câmaras e edições nem nada disso, tive de aprender tudo até bastante rápido", confessa a influencer. Ceder à vontade de criar um canal no Youtube foi revigorante para Alice. Hoje, acumula quase 190 mil subscritores na plataforma.

"Apesar de ter gostado muito do que estudei, acho que sempre tive uma veia muito mais artística que nunca cheguei a explorar. E esta oportunidade dos penteados, do digital e de comunicar acabou por ter muito mais a ver comigo, e isso deu-me algum novo ânimo para poder explorar essa veia, esse lado novo que tinha acabado de surgir. E até hoje cá estou."

Depois de mais de um ano com conteúdo exclusivamente à base de penteados, Alice decidiu que "tinha mais para dar e mais para oferecer". Os laços que desenvolvia com a comunidade que estava a criar motivaram-na a expandir conteúdo, e foi assim que começou a diversificar a oferta. Em 2017, começou a fazer Weekly Vlogs, um género de vlogs de lifestyle em que Alice partilha a sua semana. "Acima de tudo, retratam a minha vida. É um tipo de conteúdo onde eu consigo ser mais eu mesma", esclarece. "Honestamente, é o conteúdo que as pessoas mais gostam de ver da minha parte. Portanto acaba por se juntar o útil ao agradável".

Os conteúdos mais recentes publicados por Alice no seu canal de Youtube têm sido precisamente Weekly Vlogs. A carga de trabalho derivada do Instagram, que neste momento é a "plataforma principal" de Alice (onde tem quase 300 mil seguidores), e a necessidade de cuidar de Vera, bebé com meio ano, fazem com que Alice tenha pouco tempo para se "dedicar tanto a conteúdos assim mais sentados, a falar em frente a uma câmara". "Não só por não ter esse tempo disponível, como também há muito conteúdo que eu fazia antigamente e que, se calhar, hoje em dia, já não me identifico ou já não acho que faça tanto sentido para a minha comunicação."

Além dos Weekly Vlogs, também os What I Eat In a Day são conteúdos favoritos dos fãs. Este tipo de vídeos permite-lhe utilizar alguns dos conhecimentos que adquiriu na licenciatura, o que também lhe garante credibilidade. "Por ter esses conhecimentos, aplico-os a mim, ao meu estilo de vida, e isso acaba por, se calhar, inspirar algumas pessoas. Ou educar, até", acredita Alice, que pensa ser por isso que os seus seguidores confiam no conteúdo que cria. E essa confiança que conquista da parte dos fãs contribui para o sucesso que tem nas colaborações que estabelece com as marcas.

A parceria de sucesso com Cata Vassalo

Nova coleção Alice Trewinnard e Cata Vassalo
Bandolete Sana (70€)

Alice Trewinnard e Cata Vassalo lançaram a primeira coleção de acessórios (como bandoletes, brincos e lenços) em parceria, em abril de 2020, e as peças esgotaram rapidamente. A segunda linha desta parceria surgiu em maio deste ano e representa uma das muitas bem sucedidas parcerias de Alice com marcas. No entanto, a influencer deixou claro à MAGG que o sucesso da sua coleção com Cata Vassalo reside na genuinidade associada à parceria: "Quando é um bom fit, que faz todo o sentido para a tua comunicação e conjuga com aquilo que tu és, acho que isso é meio caminho andado para que as coisas corram bem".

Alice Trewinnard. "Nunca me tinha passado pela cabeça que teria uma coleção com a Cata Vassalo"
Alice Trewinnard. "Nunca me tinha passado pela cabeça que teria uma coleção com a Cata Vassalo"
Ver artigo

Alice disse à MAGG que, além de já conhecer Cata Vassalo e a marca "há alguns anos", "usava genuinamente" as peças "lindíssimas". Acredita que o que produziram "gritava" a sua cara, por ser uma "boa fusão" entre a pessoa que é e "a assinatura e registo da Cata". Por se rever na coleção, afirma que a comunica "com muito orgulho e muito amor", o que faz com que as pessoas sintam que se trata de um pedacinho de Alice, como explicou. Para Alice, uma parceria, "quando faz sentido e reflete a tua essência", contribui "para que felizmente as coisas corram muito bem" e "acaba por resultar numa parceria de sucesso". Mas o sucesso de Alice estende-se aos projetos a solo.

Sobre a Tarwi? "Ainda há muito para dar"

Alice Trewinnard
créditos: Alice Trewinnard

A Tarwi é uma marca de snacks saudáveis criada por Alice Trewinnard, juntamente com Catarina Gorgulho e Pedro Godinho. No mercado desde o início de 2021, comercializa tremoços e hummus. De acordo com Alice, a marca foi "super bem recebida" em Portugal. "Ficámos muito felizes", mas "não corre tudo bem à primeira" e "ainda há muito para dar".

Alice Trewinnard explicou à MAGG que a Tarwi "tem sido uma aventura muito grande". Por se tratar de um produto alimentar "inovador no mercado", envolve "muita burocracia, muitos passos atrás para dar outro à frente". "É uma empresa recém criada, pequena, a tentar vingar num mercado muito competitivo e muito grande", adiantou Alice, sobre esta aprendizagem constante que perceciona como um "desafio".

Neste momento, revelou Alice à MAGG, "o foco está a ser o Reino Unido", por ser um mercado de grande dimensão natural e "mais voltado para healthy living". Os tremoços, por exemplo, não são algo habitual em terras inglesas. Os responsáveis pela Tarwi estão "cheios de fé". "Acreditamos muito no produto que estamos a pôr cá fora, que é um produto que tem tudo a ver connosco, com o nosso estilo de vida e com aquilo que comunicamos e praticamos cada um, no seu dia a dia, de forma individual", assegurou Alice à MAGG.

Não estranhe se tentar encomendar alguns produtos da Tarwi e não conseguir. A marca encontra-se numa "fase de reformulação", a "afinar uns detalhes" com "fábricas e fornecedores". Ainda assim, futuramente, poderá encomendar. Esteja atento às redes sociais para saber quando os produtos ficam novamente disponíveis.

"Tanto estou perdidamente apaixonada a olhar para ela como estou, no segundo a seguir, a chorar"

Para Alice, o casamento com Pedro Vasconcelos Pinheiro, a 1 de julho de 2020, foi "uma celebração do amor". Em janeiro deste ano, anunciou que estava grávida, e Vera, fruto do casamento do par, nasceu a 17 de maio. "É uma aventura muito boa, com altos e baixos", que "veio mudar muita coisa, como os filhos mudam. Para melhor", assegurou a nova mãe à MAGG. Vera fez seis meses esta semana, a 17 de novembro, e "está a passar a voar. É mesmo o que dizem: em menos de nada, já tem 18 anos", brinca Alice.

Quem são os namorados das influenciadoras?
Alice Trewinnard e o marido, Pedro Pinheiro. créditos: Instagram

As feições da pequena Vera têm gerado todo um debate no núcleo de seguidores de Alice. Afinal, a bebé é mais parecida com a mãe ou com o pai? Alice não tem dúvidas: "A Vera é mais parecida comigo. Até a minha sogra diz que ela é mais parecida comigo. Portanto, se até a sogra diz...", argumenta, acrescentando que as fotografias de Alice em pequena, quando em comparação com Vera, deixam evidentes as parecenças.

Ao fim de seis meses, Alice olha para trás com saudade, apesar das dificuldades que sentiu. "Amamentação foi o meu maior desafio. Extremamente difícil", exclama. Ainda assim, considera que tudo o que envolve ser mãe é desafiante. "Por mais que leias a teoria, só na prática é que sabes, porque só depois de um bebé estar cá fora, e estar ao teu cuidado, é que tu te sentes realmente nesse papel. Sentes-te constantemente assoberbada", explicou à MAGG.

Alice Trewinnard falou à MAGG acerca da "mistura de emoções", da "montanha russa de hormonas" que sente ao desempenhar o papel de mãe, pela primeira vez. "É dor, é amor, é emoção, é alegria, é tristeza. Tanto estou perdidamente apaixonada a olhar para ela como estou, no segundo a seguir, a chorar", refere.

"Os primeiros meses são um desafio em todos os sentidos. Estás a aprender a ser mãe, a conhecer o teu bebé, a aprender a viver este novo normal. Mas depois ganhas o jeito, fica tudo oleado, as dores passam", diz Alice, sobre aquilo que considera ser uma "fase". "Quando começam a sorrir já tudo sabe melhor. A natureza sabe o que faz e nós esquecemos quase tudo o que foi duro e difícil". No entanto, Alice está segura de que quer dar mais voltas nesta "montanha russa".

Alice Trewinnard
créditos: Alice Trewinnard

Sobra a filha: "Gostava muito que a educação dela, na escola, fosse bilingue"

Com Vera a completar seis meses, Alice tem bem definidos os timings para voltar a engravidar. "Não ia certamente engravidar agora. Pelo menos não está nos planos", revelou à MAGG, apontando para um futuro não tão longínquo. Gostava que os seus filhos "não tivessem mais de dois anos, dois anos e meio de diferença" para poderem ser aqueles irmãos amigos, próximos, que convivem e que partilham coisas".

Agora que Alice já tem a sua menina, não se importa que venham meninos. "O meu lado, ainda por cima, é só mulheres, portanto acho que é bom haver homens para equilibrar as coisas. Eu só precisava uma menina e já a tenho. Os outros dois podem ser meninos, desde que não sejam gémeos. Seria uma valente tareia."

Alice é fã incondicional de Taylor Swift: "Amo-a. Só quero que ela venha cá"

Alice Trewinnard é luso-britânica. Quando questionada acerca de se pretende implementar o inglês, desde cedo na vida da filha, esclareceu: "Gostava muito, mas não da forma como foi comigo". "Porque eu tinha um pai que falava connosco inglês em casa todos os dias, e isso para mim não faz sentido", já que fala e pensa em português e interage com o Pedro, marido e pai da Vera, em português, como explicou à MAGG. "Não me sairia natural. Mas gostava muito que a educação dela, na escola, fosse bilingue, e portanto seria mais por aí", esclarece, acrescentando que já passa pelos planos do casal. "Sem dúvida que gostávamos, porque é uma mais valia e é muito mais fácil quando eles são mais pequenos. São uma esponja. Estão muito mais abertos a aprender e a absorver esse conhecimento. Certamente será parte da educação dela."

"Sinto que sou a Alice de sempre"

Mesmo sendo considerada, por parte do público, uma das pessoas mais influentes do digital, Alice não se vê dessa maneira. "Sinto que sou a Alice de sempre". No dia 7 de dezembro vai saber-se quem conquistou o prémio de Social Star Portugal, dos People's Choice Awards 2021. As votações já estão encerradas.

Alice, fã assumida de Taylor Swift, contou à MAGG que está "há dias com a 'All Too Well' na cabeça", referindo-se à nova versão do tema da cantora Taylor Swift, que se encontra a regravar álbuns antigos. Além da versão de 10 minutos, a cantora divulgou ainda uma curta-metragem de 15 minutos, que tem hoje quase 40 milhões de visualizações no Youtube. "A curta-metragem mexeu francamente comigo. Fiquei genuinamente afetada", explicou-nos Alice, esclarecendo que este tema nunca foi um dos seus favoritos.

Ainda assim, a influencer está "felicíssima" por ver que Taylor Swift tem estado na ordem do dia. Nos últimos tempos, tem recorrido à internet para procurar os significados por detrás das canções e dos videoclipes da cantora: "Passo a vida a ler os comentários dos vídeos, os easter eggs, as teorias, para ficar a par". "Amo-a. Só quero que ela venha cá", expressou Alice à MAGG.

Quanto a projetos para o futuro, Alice Trewinnard afirma que as "ideias não faltam". Ainda estão por concretizar devido ao ano "bastante intenso" e a toda a "reviravolta na vida". Pretende ir "com calma" e pôr as ideias em prática "quando for oportuno e tudo se encaixar."

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.