António Raminhos aproveitou a ida ao programa "Alta Definição", da SIC, para partilhar pela primeira vez que sofria de ansiedade. Agora, através de um vídeo partilhado na sua página de Instagram, contou um pouco mais sobre aquilo que sente e e que tem já um diagnóstico: Transtorno Obsessivo Compulsivo.

O humorista falou com os seus mais de 850 mil seguidores sobre o dia em que acordou "com uma neura como não tinha há anos." Neura essa que, por experiência própria, sabe que vai possivelmente espoletar ataques de ansiedade. "Quando uma pessoa acorda assim, toda a vibração e energia da pessoa baixa. Isso atrai logo más coisas, maus pensamentos. O que é que eu fiz? Fui fazer algo. A pior coisa que se pode fazer é embarcar nestes pensamentos e ficar parado, então fui dar um jeitinho à casota dos cães. Começo a dar uma volta à casota dos cães, começam a vir as minhas obsessões todas, e começa a aumentar a minha ansiedade. Porque estava ali, porque tinha muito pó e muita porcaria, faltam coisas das obras", explica.

António Raminhos conta que quando começou a sentir-se assim, decidiu não sair, continuar a fazer o que estava a fazer e tentar lidar com a ansiedade. Mas esta não sendo uma situação que se resolve de um momento para o outro, durou mais um tempo e o humorista sentiu que acabou por tratou mal a mulher, Catarina Raminhos."Tratei mal a Catarina, fui bruto com ela, porque entretanto me disse qualquer coisa e eu respondi de forma negativa, respondi mal."

A quarentena de... Catarina Raminhos. "De tão cansada, já tentei fechar a porta do quarto com o comando do carro"
A quarentena de... Catarina Raminhos. "De tão cansada, já tentei fechar a porta do quarto com o comando do carro"
Ver artigo

Mas, mais uma vez, António Raminhos não deixou o transtorno falar mais alto. Depois de um pedido de desculpas à mulher (que é algo que admite que só conseguiu fazer de forma tranquila mais recentemente), cuidou de si para se sentir melhor e foram almoçar fora. Ao chegar a casa, a "neura" ainda não tinha passado e, como tal, decidiu ler e meditar. Apesar de admitir que não tinha qualquer vontade de fazer tudo o que fez, acredita que foi a melhor opção. "Eu tenho a certeza absoluta que estaria muito pior se não tivesse feito nada disto."

O humorista referiu ainda a importância da terapia na vida de quem sofre de ansiedade e deste transtorno, pelo facto de ser uma ferramenta que ajuda a que a pessoa se comece a conhecer melhor, a identificar os sintomas de outra forma e, assim, a gerir tudo de forma mais tranquila.

António Raminhos termina o vídeo a explicar que o que o levou a fazer esta partilha foi o querer que quem passa pelo mesmo perceba que não está sozinho, que "não há vergonha nenhuma em pedir ajuda".

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.