Os desabafos públicos de Britney Spears continuam à medida que se intensificam os esforços com o objetivo de libertar-se da tutela do pai, Jamie Spears, um estatuto que o próprio detém há cerca de 13 anos e que é aplicado apenas a indivíduos que denotem estar num estado avançado de deterioração mental e que se revelem incapazes de cuidar de si próprios. Num novo texto partilhado este domingo, 18 de julho, na sua página de Instagram, Britney criticou a sua "rede de apoio" e a tutela que, nas suas palavras, lhe "destruiu" os sonhos.

"Para todos os que escolhem criticar os vídeos em que surjo a dançar, fiquem a saber que não voltarei aos palcos tão cedo enquanto o meu pai controlar aquilo que uso, digo, faço ou penso. Fiz isso durante os últimos 13 anos", lê-se na mensagem que, à data da publicação deste artigo, conta com mais de 132 mil comentários e mais de dois milhões de gostos.

Madonna defende Britney Spears e afirma que tutela é uma "violação dos direitos humanos"
Madonna defende Britney Spears e afirma que tutela é uma "violação dos direitos humanos"
Ver artigo

"Não vou maquilhar-me e tentar subir ao palco outra vez sabendo que não poderei atuar de verdade", continuou. Em causa está o facto de a cantora ter pedido a possibilidade de interpretar canções novas nos seus espetáculos, pedido que a tutela rejeitou. "Por isso, desisto", desabafa.

"Não gostei que a minha irmã tivesse ido a uma entrega de prémios cantar as minhas canções. A minha rede de apoio magoou-me muito e esta tutela destruiu os meus sonhos. A única coisa que tenho agora é esperança, e essa é talvez a única coisa que é difícil de destruir", continua, argumentando que há quem o queira fazer.

No mesmo texto de desabafo, Britney Spears disse ainda não gostar "da forma como os documentários recuperaram momentos humilhantes" do seu passado. "Já ultrapassei essa fase e já a ultrapassei há muito tempo. Como disse, a esperança é a única coisa que tenho neste momento. As pessoas tentam destruir isso porque essa sensação é talvez uma das coisas mais vulneráveis e frágeis na vida".

O novo advogado e a luta contra a tutela que persiste

A mensagem termina com Britney Spears a desvalorizar as críticas daqueles que reagem negativamente às suas partilhas nas redes sociais. "Se não querem ver-me a dançar na minha sala de estar ou se isso não estiver em concordância com aquilo que esperam de mim, vão ler um livro".

Na contínua batalha para se libertar da tutela do pai, Britney Spears conseguiu recentemente ter a possibilidade de escolher o seu próprio advogado para a defender. Chama-se Matthew Rosengart, foi procurador do Ministério Público e já representou figuras como Steven Spielberg e Sean Penn. A mudança de equipa legal surge depois de, no início de julho, o tribunal ter decidido que o seu património e a gestão da sua carreira continuariam a ser controlados pelo pai.

Apesar da decisão, formalizada pela juíza Brenda Penny, a audiência em questão não decorre do apelo de Britney Spears, a 23 de junho, no Tribunal Superior de Los Angeles, onde falou em público, pela primeira vez, de uma tutela que considerava "abusiva". "O meu pai e todos os envolvidos nesta tutela, e na sua gestão, desempenharam um papel fundamental neste meu castigo e deveriam estar presos", disse a artista em tribunal, noticiou a Reuters, citada pelo "Público".

Ainda que esta nova decisão não decorra do mais recente apelo de Spears (sobre o qual a equipa de advogados da cantora terá agora de apresentar uma nova moção de recurso para que o caso siga em frente), foi tomada após a cantora ter falado pela primeira vez sobre o caso em frente a Brenda Penny que, na altura, a elogiou.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.