No mundo digital, são conhecidos por Explorerssaurus. Raquel Janeiro, de 26 anos e Miguel Mimoso, de 32 anos, formam o casal sensação das redes sociais e transformaram os seus passatempos num trabalho a tempo inteiro. Raquel transmitiu a sua paixão por viagens ao namorado, que tinha o gosto por fotografar. A conta de Instagram, que tem mais de um milhão de seguidores, começou em agosto de 2017 e, desde então, entre fotografias e vídeos, já lá vão quase mil registos partilhados, inúmeros países visitados e infinitas aventuras para recordar.

Explorerssaurus. Conheça o casal que tira as fotos de viagens mais incríveis do Instagram
Explorerssaurus. Conheça o casal que tira as fotos de viagens mais incríveis do Instagram
Ver artigo

À dupla de portugueses junta-se, agora, Marie Fe, de 31 anos e Jake Snow, de 29 anos, de nacionalidades alemã e australiana, respetivamente e com um percurso digital similar. Dos cursos online às villas para alojamento (quase prontas) na ilha de Bali, Indonésia, são vários os projetos que estão a desenvolver em conjunto. A MAGG falou com os Explorerssaurus e eles contaram-nos tudo, desde o início da ideia à concretização dos planos — e ainda fizeram revelações sobre os próximos projetos.

"Nós conhecemos a Marie e o Jake no verão de 2019. Nesse verão, passámos um mês e meio em Bali, só a produzir conteúdo para nós e a Marie e o Jake já tinham Bali como a segunda casa", explica Raquel. "Eles chegaram a Bali e a Marie enviou-nos uma mensagem a perguntar se nos queríamos encontrar com eles e irmos jantar juntos. Nós íamos embora da ilha no dia a seguir, portanto calhou mesmo bem." Naquela altura, já se "conheciam", do Instagram, isto é, tinham trocado algumas mensagens, mas nunca tinham estado juntos, presencialmente.

Segundo a jovem, encontraram-se em Bali "por sorte". No entanto, um ano depois, sem estarem a contar, os caminhos de Marie e Jake voltaram a cruzar-se com os dos Explorerssaurus. "No verão de 2020, estávamos a ir para a Grécia e eu vejo uma história da Marie a dizer que iam para Santorini no dia a seguir ", revela Raquel, contando que se encontraram, novamente, os quatro. — Spoiler alert: foi aí que tudo começou.

"O nosso nicho sempre envolveu viagens"

Os Explorerssaurus contam que, uns meses antes da viagem para as ilhas Gregas, no início do confinamento português, devido à pandemia da COVID-19, sentiram necessidade de pensar em novos projetos, além do Instagram.

"O nosso nicho sempre envolveu viagens, viajar, maioritariamente os nossos clientes eram hotéis e resorts e de repente ficámos: 'E agora?' Foi um momento um bocadinho assustador", recorda Raquel. "Uma das coisas que nós sempre fizemos no nosso percurso foi não só mostrar o por detrás das câmaras, como também mostrávamos sempre o antes da foto, o depois de aplicar edição de cor (portanto, um filtro de edição) e depois de usarmos Photoshop, quando usávamos para alterar um céu falso, para adicionar uma lua ou um sol, ou um pássaro, ou flores."

A jovem relata à MAGG que recebiam bastantes questões sobre como tratavam as fotografias, pelo que surgiu a ideia de lançarem um curso de edição de fotografia e vídeo, com recurso apenas ao telemóvel. "Ao mesmo tempo, a Marie e o Jake tinham tido uma ideia similar [segundo Raquel, o foco era o Instagram], porque estavam na mesma situação, só que em vez de estarem presos em Portugal, estavam presos em Bali. Quando nós os reencontramos, na Grécia, eu perguntei à Marie como estava a correr o curso e a Marie disse 'desistimos da ideia, é muito trabalho para duas pessoas'".

Como os Explorerssaurus já tinham escrito um guião para o curso — mas ainda faltava "uma série de coisas", nomeadamente as gravações — propuseram aos amigos "unir forças" e estes aceitaram, de imediato. Como explica Raquel, assim, além de não terem que "competir uns contra os outros", os cursos seriam "os melhores do mercado", dado que tinham "os pontos de vista de quatro pessoas diferentes".

"Passado dois meses [Marie e Jake] vieram ter connosco a Portugal, continuámos a trabalhar para aperfeiçoar os guiões e gravámos tudo" explica a jovem, assegurando que foi "um mês intenso" de trabalho. Estavam, assim, reunidas as condições necessárias para o lançamento do projeto e Club Life Design nasceu a 15 de novembro de 2020.

Em relação à designação escolhida, os Explorerssaurus contam que a ideia surgiu durante um "brainstorming", na Grécia.

"O Jake disse logo 'nós temos potencial para fazer muito mais do que um curso só, nós podíamos ensinar realmente tudo o que nós sabemos e o que nos permitiu alcançar a vida que temos hoje'", recordam. Marie, Jake, Raquel e Miguel deixaram, então, de pensar num "nome para um curso", mas, sim, para "uma academia".

"Como nós dizemos sempre: o que nós queremos ensinar é a "desenhar a vida dos sonhos deles [dos alunos]", então ficou Life Design."

"Tivemos alunos que, em quatro meses, conseguiram aumentar 200 mil seguidores"

Raquel esclarece que os conhecimentos que transmitem partem da sua experiência, portanto "é normal haver erros", mas ressalva que têm "melhorado muito com o feedback" que recebem dos alunos. O Club Life Design tem, de momento, dois cursos e alunos de "mais de cinquenta países", segundo revela Miguel à MAGG.

O primeiro "foi um sucesso" e quem o garante são os Explorerssaurus, sublinhando que têm 6 mil alunos — muitos dos quais passaram de "cinquenta likes por foto" para, "do nada, ter quatrocentos". Lançado logo no início do projeto (novembro de 2020), "Mobile Editing Master Course" foca-se em edição de fotografia e vídeo no telemóvel, tem o custo de 139€ e está sempre aberto a inscrições. O segundo, "O poder do Instagram", disponível desde junho de 2021, custa 297€ e recebeu 4.600 alunos. Para já, não tem vagas — só na lista de espera — mas vai abrir uma nova edição em breve, que, segundo asseguram Raquel e Miguel, vai ter um desconto de Black Friday.

People of Lisbon. Estes vídeos e fotografias mostram as pessoas que fazem Lisboa
People of Lisbon. Estes vídeos e fotografias mostram as pessoas que fazem Lisboa
Ver artigo

O segundo é mais "completo", dado que o tópico também é mais "complexo". Iniciaram pela edição por considerarem que "é muito difícil as pessoas crescerem uma conta, sem primeiro saberem criar conteúdo".

Os conteúdos foram pré-gravados, em inglês, mas estão legendados em português, inglês e alemão, assim como todos os materiais e fichas de apoio — que, conforme ressalvam, são "mesmo muitos". "As pessoas podem começar o curso quando quiserem, assistir ao ritmo que quiserem. Uma vez por mês, nós fazemos diretos com os alunos, em videochamada, portanto têm sempre acompanhamento connosco, onde podem tirar todas as dúvidas que queiram. Além disso, também temos uma comunidade no Facebook, onde podem tirar dúvidas todos os dias."

Raquel sublinha, ainda, que os conteúdos estão em constante atualização — sobretudo no que respeita às ferramentas do Instagram.

Ainda sobre as temáticas dos cursos, Club Life Design faz, ocasionalmente, webinares, em inglês e português. O próximo será nos dias 20 e 21 de novembro, mas Raquel e Miguel garantem que será o último conteúdo relacionado com o Instagram sem custos associados. A plataforma tem um limite de 5 mil pessoas em simultâneo, pelo que é necessária inscrição.

Em relação ao feedback, Raquel garante que o crescimento das contas de Instagram dos alunos foi "rápido e exponencial" e dá exemplos: "Já tivemos alunos que, em quatro meses, conseguiram aumentar 200 mil seguidores, 70 mil seguidores." Enfatizando que "está a ser surreal", revela que os tempos que correm são propícios ao sucesso na plataformas digitais.

"Desde que começámos o Instagram [2017], esta tem sido a fase mais fácil para crescer. É preciso, na mesma, ter muito trabalho, mas os reels vieram trazer oportunidades muito diferentes. (...) Não consegues alcançar muitas pessoas, por norma, com uma foto, se não tiveres já muitos seguidores e com os reels, nós temos alunos com 1 mil seguidores e 10 milhões de views, 1 milhão de views, 2 milhões de views." Para sustentar a afirmação, os Explorerssaurus exemplificam: "o máximo de alcance que uma foto nossa tinha tido, até à data, tinha sido 1 milhão de pessoas e nós temos reels com um alcance de 30 milhões".

Sobre os próximos projetos, revelam que estão a trabalhar num terceiro curso, sobre "como fazer dinheiro online, de qualquer forma possível". "Neste curso, nós vamos convidar mais de vinte especialistas, de temas diferentes. Muitos deles estão em Bali, outros vamos fazer as entrevistas através do Zoom."

Jake, Marie, Raquel e Miguel, com a ajuda apenas de um editor (que, de acordo com Raquel, viaja sempre com eles), trataram de tudo para o primeiro curso acontecer. Hoje, contam com uma copywriter, uma designer, um responsável pelos anúncios, tradutoras e uma gestora de equipa — que trabalham remotamente, de várias partes do mundo.

As dificuldades têm-se prendido com a "construção do curso". "Nós achávamos que seria bem mais fácil, mas é muita coisa a pensar. Primeiro, temos que pensar no conteúdo do curso, estruturá-lo, escrever o guião, é preciso gravar, é preciso editar, fazer toda a parte de design, toda a parte das traduções, toda a parte de código que é preciso no site", contam os Explorerssaurus.

Apesar de a equipa ter crescido, Raquel e Miguel continuam a ser os responsáveis pela parte fotográfica. "Quando viajamos com a Marie e o Jake, eles tiram-nos a nós e nós tiramos-lhes a eles. Quando viajamos sozinhos, continua a ser o nosso tripé", clarifica.

Com "os frutos" dos cursos, criaram um alojamento em Bali: "Belajar Bali Hotel & Retreat"

Traduzido da Língua Indonésia, "Belajar" significa "aprender". O "Boutique Hotel", de nome "Belajar Bali Hotel & Retreat" é um investimento dos Explorerssaurus, de Marie e Jake e localiza-se na zona sul da Indonésia, em Canggu. Raquel e Miguel explicam à MAGG que a "ideia base" do projeto são "retiros", mas o espaço poderá servir, eventualmente, para aulas dos cursos, em formato presencial. Fora isso, será um "alojamento normal", que vai permitir alojar dezasseis pessoas, em oito quartos (em Bali designam-se "villas").

O custo será de, aproximadamente 150€ por noite, para duas pessoas, em época alta e, em princípio, vai estar pronto em março de 2022. A abertura ao público estão a apontar para maio desse ano.

Quer viajar sem gastar (muito) dinheiro? É possível e os Explorerssaurus explicam-lhe como
Quer viajar sem gastar (muito) dinheiro? É possível e os Explorerssaurus explicam-lhe como
Ver artigo

"Nós recebemos sempre imensas mensagens a perguntar se nunca pensámos em levar seguidores connosco nas viagens e como Bali é a segunda casa, quer da Marie e do Jake, como agora é, um bocadinho, nossa, nós pensamos que podíamos acolher pessoas aqui e mostrar-lhes a ilha, porque é um sítio que conhecemos muito bem e nos sentimos muito confortáveis", conta Raquel.

"Ainda não sabemos se vamos fazer cursos ou se vamos viajar com as pessoas que vierem, dar dicas de fotografia, mas enquanto estamos em campo. Se tivéssemos que ir para um hotel com o grupo, estávamos misturados com outras pessoas, assim temos um espaço que é só nosso."

Sem excluir a hipótese de avançarem com uma casa própria na ilha, Raquel confessa: "Eu acho que nós vamos fazer sempre a nossa vida entre cá [Bali] e Portugal". "A qualidade de vida que se tem aqui [Bali], para quem recebe um ordenado europeu, é muito superior." Os Explorerssaurus estão, de momento, na Indonésia, mas têm acompanhado o projeto, maioritariamente, à distância.

À MAGG garantem confiam na equipa, de nacionalidade sueca e que a burocracia nada tem que ver com Portugal. Como termo de comparação, relatam que ainda não conseguiram autorização para começar a construir a casa que ambicionam em Vila Nova de Gaia, num terreno comprado em setembro de 2020.

"Todos nós temos pontos fortes muito diferentes, acabamos por nos completar em áreas distintas"

Raquel atesta à MAGG que trabalhar com Miguel nem sempre foi fácil. "No início, 60% do tempo, à vontade, nós passávamos a discutir, porque temos opiniões diferentes. E acima de tudo, quando trabalhas em casal, com um amigo, com um familiar, o problema é que nós temos demasiada confiança com esta pessoa, por isso, às vezes, a forma como nós falamos um com o outro seria impensável nós falarmos com o nosso patrão. (...) É um bocadinho difícil colocar as emoções de lado e ser tão profissional quanto serias se estivesses a lidar com uma pessoa desconhecida".

Pelo contrário, trabalhar com outro casal, com um percurso similar, "ajuda imenso".

"As dificuldades que nós sentimos são exatamente as mesmas que eles sentem, portanto nós sentimos que temos alguém que, realmente, nos compreende", explica, acrescentando que, por se dedicarem a segmentos diferentes do projeto, acabam por passar menos tempo em casal o que, segundo a própria "também faz muito bem". Raquel trabalha, maioritariamente, em conjunto com Marie e Miguel com Jake.

"A melhor parte de sermos quatro pessoas é que todos nós temos pontos fortes muito diferentes, acabamos por nos completar em áreas distintas. Cada um de nós está responsável por um departamento diferente: o Miguel está responsável pelo departamento de Marketing, vídeo e edição; o Jake está completamente responsável pela parte das finanças; eu [Raquel] sou responsável pela parte de construção do curso em si e Instagram e a Marie é responsável por fazer a gestão da equipa toda e delegar as tarefas."

Os dois casais estão alojados na mesma casa em Bali e, apesar de estarem a uma distância de cinco minutos da praia, a maior parte do dia é passada em trabalho. Raquel narra à MAGG a rotina diária: "Acordamos sempre às seis da manhã, a primeira coisa que fazemos todos é ir ao ginásio e vamos entre as 6 horas e as 7 horas/7h30. A seguir vamos todos diretos para a praia e fazemos uma caminhada de três a cinco quilómetros e, por norma, bebemos água de côco, é o nosso momento matinal de lazer. Regressamos a casa, começamos a trabalhar por volta das 9 horas e fazemos reunião de equipa, em que delegamos sempre as tarefas que cada um tem que fazer. O dia vai sendo diferente, consoante o que temos para fazer mas, neste momento, estamos em fase de gravação de curso: o Miguel, por norma, está mais por trás das câmaras e eu, a Marie e o Jake estamos mais à frente. Ao final do dia, tentamos ir sempre ver o pôr do sol à praia (...) e temos o que nós chamamos 'dinner date', que é o tempo para estarmos em casal".

No final da entrevista à MAGG, Raquel ressalva que nunca imaginaram chegar onde estão e recorda quando perceberam que podiam juntar o gosto de fotografia de Miguel à sua paixão por viajar e transformar os dois hobbies numa profissão.

"Um dos primeiros hotéis com que trabalhámos, tirámos imensas fotos e disponibilizámos à dona. Era um hotel de luxo, em Positano (Itália). Usaram uma foto nosso para um anúncio e o retorno que tiveram foi 1 milhão de euros", explica Raquel, referindo que a informação lhes foi dada pela própria dona do alojamento, quando regressaram, um ano depois da sessão fotográfica.

"As pessoas, às vezes não entendem como é que os influenciadores são pagos tanto dinheiro por uma foto, mas às vezes não é uma foto, é pela comunidade que têm, porque sabem que vão atrair vendas e clientes para a marca."

Raquel e Miguel estão noivos desde abril e vão casar a 19 de setembro de 2022. À MAGG adiantam que vai ser em Portugal, mas a cidade, para já, ainda "é surpresa". Sem revelar muitos pormenores, contam, ainda, que estão a preparar um novo projeto para dezembro, que vai "facilitar as pessoas a encontrar tendências no mundo digital".

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.