Preparar as crianças para as aulas, seguir para as reuniões de Zoom (que se estendem sempre mais do que o desejado), voltar a atenção para as crianças e ajudá-las com os trabalhos de casa. Este ritmo, mesmo em casa, leva-nos a energia ainda o dia vai a meio.

Escusado é dizer que, quando chega a noite, já não há disposição para preparar o jantar e planear as refeições do dia seguinte. É verdade que pode recorrer à plataformas de entrega ao domicílio, mas nada disto é caseiro, logo, pouco saudável. Mas e se pudesse comer uma sopa quente ou um arroz de polvo sem ter trabalho? É esta a sugestão da Lisbela Petit Comité.

O projeto que era para ser um restaurante transformou-se antes numa cozinha caseira — que é agora também a cozinha de outros portugueses, principalmente da região de Lisboa — pelas mãos de Giuliana Zoratti, de 34 anos.

Giuliana é formada em administração de empresas e foi responsável por dois restaurantes bem sucedidos em São Paulo, no Brasil, que, entretanto, deixou para trás para vir para Lisboa com marido, Rogério Campos, de 47 anos, em outubro de 2019. Planeavam abrir um restaurante em Portugal, mas a pandemia trocou-lhes as voltas e optaram por converter o conceito e entregar em grandes caixas, grandes sabores.

Lisbela
Giuliana Zoratti, chef da Lisbela Petit Comité créditos: divulgação

E se passar uma semana sem ter de cozinhar?

A Lisbela Petit Comité começou por oferecer cabazes para levar para a praia ou para um piquenique na altura em que ainda não estávamos confinados, mas com este segundo confinamento Giuliana decidiu trazer uma novidade: o Lisbela Maison.

"Estar em casa em teletrabalho ou a cuidar dos filhos e o homeschooling são tarefas que tomam bastante tempo. Nem todos gostam de estar na cozinha a fazer comida e nem mesmo têm tempo para tal. Queremos que o tempo livre seja para usufruir com a família e com aqueles que amam, então deixem a comida por nossa conta", sugere a chef e responsável pelo projeto, acrescentando que se diferencia dos restaurantes pelas comidas mais "'caseiras' com sabor e tempero de casa".

O gosto de Giuliana Zoratti pela gastronomia veio por influência da família, em particular da avó que lhe passou a paixão e os ensinamentos sobre a cozinha. É então de prever que os sabores próprios da comida das nossas avós estejam também refletidos nas boxes que a chef de cozinha acaba de lançar.

Há duas opções, a box adulto (55€), para dois adultos, e a box kids (39€), para duas crianças, ambas compostas por três pratos principais, entre três a seis acompanhamentos e uma sopa/creme ou sobremesa — e mesmo quando opta pela sopa, pode assumir a gulosice e pedir um extra de fudge brownie (5€).

Estas são boxes que dão para pelo menos três dias, dependendo da fome, afirma Giuliana. "Ter em casa já refeições para três dias ou mais (digo isso por termos pratos bem servidos e às vezes pode dar para mais) é uma solução para quem tem pouco tempo disponível ou para quem não gosta de cozinhar".

Apesar de não haver um menu vegetariano (Giuliana admite que é uma área que ainda explora pouco), a chef apronta-se a criar pratos nesse sentido e deixa até algumas ideias para podem vir a constar nos futuros menus: lasanha de beringela, hambúrguer de grão de bico, crepe de ricotta ou arroz cremoso de cogumelos.

Vontade de adaptar e satisfazer é o que não falta, por isso a chef altera os pratos sempre que necessário. "É possível personalizar de acordo com restrições alimentares ou se houver algum prato que não agrade, temos sempre uma opção para realizar substituições. Todo nosso atendimento é personalizado", destaca.

A ementa muda todas as semanas — já contou com pratos como caril de gambas, lombo de vaca grelhado, bacalhau envolto na couve feito no vapor e massa ao pesto — e as novidades são lançadas a cada sexta-feira para que tenha tempo de fazer o pedido até domingo. Logo na terça-feira recebe então em casa as boxes com mantimentos para o resto da semana de modo a que não tenha de se preocupar com mais nada (a não ser cuidar da casa, dos miúdos, e de si — algo a nunca esquecer).

O que vai mais em caixinhas

Além das boxes de refeições, os primórdios da Lisbela Petit Comité mantêm-se: há cabazes de produtos artesanais para todos os gostos e momentos, sempre com nomes tão familiares quanto os sabores.

É o caso da Maria Clara (45€), ideal para um pequeno-almoço com panquecas, snacks de tapioca, waffles, iogurte, granola e frutas; a Chiara (65€) e a Chiara Piccola (49€), com iguarias como bacalhau mantecato, queijo Grana Padano DOP, caponata e tomate seco; a Brigitte Bardot (45€), que inclui húmus de beterraba, burrata e pão naan; e a Júlia (62€), uma edição de inverno, com um reconfortante queijo de ovelha em crôute e mel no favo.

Há ainda a Maria (49€), que é especial porque é o único cabaz que chega a qualquer parte do País. A Maria é um misto de todas sugestões, juntando o snack de tapioca da prima Maria Clara, a focaccia da Chiara, e acrescenta ainda um toque próprio do fudge brownie feito com 70% cacau, nozes e flor de sal.

Tal como as boxes são personalizáveis, o mesmo acontece com os cabazes, que podem ser alterados ou criados de raiz. "Já criamos caixas para necessidades específicas como um passei de barco, grávida com restrições, dia dos namorados, etc. A nossa missão é fazer parte e tornar momentos especiais em únicos e completos", diz Giuliana Zoratti.

Os restantes cabazes (exceto a Maria) e as boxes, podem ser entregues em toda a região de Lisboa, Oeiras, Cascais, Amadora, Odivelas, Loures e Almada. Também nos arredores, como Sintra, Barreiro, Seixal, Montijo e Vila Franca de Xira, podem ser feitas entregas mediante disponibilidade de data e horário.

Pode fazer a encomenda por mensagem privada no Instagram ou por WhatsApp.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.