O The Royal Rawness é o novo spot de café de especialidade, localizado no Factory Lisbon, no Hub Criativo do Beato, em Lisboa. Fica numa antiga fábrica de manutenção militar para o Ultramar, onde eram produzidas massas e bolachas. E tem imensas opções de café para levar ou beber por lá.

Graças ao ambiente descontraído, é possível ficar a trabalhar num dos 20 lugares sentados. Em breve, contam instalar uma esplanada. Este espaço pet-friendly não se limita a servir café. Além disso, dá quase uma aula, explicando-o como se de ciência se tratasse.

O Matchamama junta o melhor da comida asiática e da peruana (e tem um jardim secreto)
O Matchamama junta o melhor da comida asiática e da peruana (e tem um jardim secreto)
Ver artigo

"É uma experiência imersiva, quase uma lição", compara Paulo Pinho, um dos responsáveis pelo projeto. Do filtro de papel japonês à balança que utilizam, está longe de ser um café qualquer. Há variedades com sabor a brandy, kombucha com café e até cerveja com café (4€).

"As pessoas ficam viciadas em café de especialidade. Há quem não beba café porque a primeira experiência foi má", aponta. No The Royal Rawness, optam por grãos mais doces, dispensando a utilização de açúcar. Nós, que ainda não conseguimos abdicar dele, não sentimos falta ao provar o café deste spot.

Um espresso custa 1€ ou 2€ se for duplo, um chocolate quente 3€, um iced latte 4€, um iced americano 3€, um chá quente 3,50€, café filtrado 4,50€, um macchiato 2,50€, um flat white 3€, um latte 3,50€, um cappuccino 3,50€, um café preto 2,50€ e um piccolo latte 2,50€.

Se encomendar online com antecedência, pode chegar e apenas levantar o seu pedido. Com este passo, deixará um registo daquilo de que gosta, para que o projeto fique a par e consiga sugerir-lhe as melhores opções para o futuro. Pretendem proporcionar uma experiência "taylormade", "artesanal" e "gourmet", assim como nos disse Paulo Pinho.

Por 3€ consegue beber um café com latte art, ou seja, aqueles desenhos mega instagrammáveis, feitos a partir de espuma e do talento de baristas como Jesús Martínez, que, em segundos, desenhou um cavalo marinho e um unicórnio no topo destas bebidas quentes.

Todas as bebidas são feitas no local. No futuro, esperam produzir um género de Coca-Cola artesanal e ter mais opções on tap (em torneiras). Na tentativa de melhorarem o serviço, também estão a fazer testes à água, já que 90% do café é composto por este líquido.

Além de leite de vaca, disponibilizam alternativas vegetais a partir de aveia e caju, também feitas lá. Para acompanhar as bebidas, há opções com assinatura da padaria Lully 1661, como croissants a 3€, cannele a 3€, cookies a 2€ e pain au chocolat a 3€.

O projeto começou há três anos em Marvila e, em julho deste ano, mudou-se para a Factory Lisbon, um edifício de escritórios inserido no Hub Criativo do Beato, desenvolvido pela Factory International e gerido pela Jamestown. Aqui trabalham empresas como a Web Summit e a Sixt.

"Queremos atrair as marcas mais inovadoras, criativas e tecnologicamente avançadas, para o desenvolvimento da indústria das start-ups. Criar um espaço que os inspire e que fomente a criatividade. Funciona como uma cidade", explicou-nos a responsável de marketing da Jamestown em Portugal, Marta Monteiro Gil.

Marta Monteiro Gil acrescentou ainda que, na nova casa do The Royal Rawness, foram preservados elementos da fábrica, como o chão original e as paredes com graffiti, de modo a "enaltecer o passado". Este projeto, que tem no logótipo um lobo e um leão com coroas para simbolizar a realeza, transforma o café no que o cliente quer, seja a nível do sabor ou da temperatura.

The Royal Rawness

Localização: 143 (Unit, Av. Infante Dom Henrique 143 S01, 1950-406 Lisboa
Horário: de segunda a sexta das 8h às 17h
Contactos: 21 136 7922 / Instagram

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.