"Uma criança numa loja de brinquedos". É assim que a chef Carla Sousa se sente na cozinha do renovado Sítio, o restaurante do Valverde Hotel, uma unidade de luxo em plena Avenida da Liberdade, em Lisboa, que reabre portas esta terça-feira, 8 de junho, depois de um período encerrado para uma intensiva transformação.

E "se a vida te dá limões, faz limonada" ou trocando para um contexto atual, se há uma pandemia que obrigou o turismo e a restauração a encerrar, há que rentabilizar o tempo da melhor forma. Depois de abrir portas em 2014, o hotel de cinco estrelas não parou, e aproveitou os meses de encerramento para fazer obras de ampliação que resultaram num aumento de 25 para 48 quartos, novas áreas comuns, uma fabulosa e maior piscina e um restaurante — e uma cozinha — feita à medida de Carla Sousa.

Há mais homens na alta cozinha portuguesa? Sim, porque as mulheres "nunca lá chegam"
Há mais homens na alta cozinha portuguesa? Sim, porque as mulheres "nunca lá chegam"
Ver artigo

O nome manteve-se — ou não fosse o Sítio um dos restaurantes mais concorridos da avenida lisboeta, principalmente aos almoços —, mas tudo o resto elevou-se. Mais lugares (34 no interior e dez na esplanada), mais sofisticação e uma decoração detalhada e deslumbrante que nos leva imediatamente a pensar num espaço asiático, muito devido às linhas simples, mas cuidadas, do espaço.

Sitio
O Sítio abre esta terça-feira completamente renovado. créditos: alexdelrio.com

No entanto, aqui no Sítio continua a servir-se a melhor comida portuguesa pelas mãos da chef que já passou pelo Penha Longa Resort e pelo Bairro Alto Hotel, entre outras conceituadas cozinhas. Sem deixar de lado uma possível inspiração internacional e as suas raízes cabo-verdianas, Carla Sousa admite que aquilo de que gosta de cozinhar são mesmo os sabores nacionais.

"Os nossos pratos têm todos muito sabor, uma identidade. É claro que posso ter uma inspiração ou outra, até pela minha descendência. Por exemplo, o molho do robalo que provaram é feito com chouriço por causa do meu pai, que sempre fez peixe assado no forno com chouriço. Nós estranhávamos, mas a verdade é que eleva o sabor", explica a chef à MAGG no almoço em que estivemos presentes para conhecer o renovado Sítio.

Sitio
O novo restaurante também ganhou uma esplanada. créditos: alexdelrio.com

E é justamente devido às novas condições que tem, como uma cozinha com tudo o que precisa para se tornar a primeira mulher portuguesa com uma estrela Michelin — uma ambição não de sempre, mas que hoje acredita ser possível —, que Carla Sousa já pensa em novos voos, apesar de manter os pés bem assentes na terra e querer garantir que os clientes fieis do Sítio continuam a visitá-lo pelo sabor que a chef coloca nos pratos.

"Gosto de ser fiel às memórias que os nossos clientes têm. As pessoas vêm cá porque a comida é boa, não porque o prato é bonito. É claro que temos de ter cuidado com a apresentação — e temos cada vez mais —, mas é o sabor que não pode faltar. Mas este novo espaço dá-me condições para ter mais técnica, mantendo a qualidade, para experimentar coisas novas, já penso em implementar um menu de degustação. Mas, ao mesmo tempo, quero assentar e desfrutar de ter uma cozinha a sério. Foram seis anos a trabalhar com condições mais limitadas e agora quero aproveitar ao máximo", revela a chef de cozinha.

E o que é que pode provar neste fabuloso Sítio? Os pratos de peixe são incontornáveis, ou não fosse esta matéria-prima a preferida de Carla para cozinhar. Renda-se ao lombo de garoupa braseada (18€) ou ao tagliatelle nero de lulas (14,50€) na carta de almoço, ou ao arroz malandro de bivalves, garoupa e salicórnia (20€) na carta de jantar, entre outras opções.

Tranche de Garoupa
A chef assume preferir cozinhar peixe, como esta tranche de garoupa.

Já no departamento da carne, há barriga de leitão (19,50€), tornedó de novilho grelhado (26€) ou magret de pato (22€), entre mais sugestões, sem esquecer as iguarias doces que Carla Sousa tem para si, como as texturas de chocolate (13€) ou o cheesecake de alfarroba e chia (9€).

Ao almoço, a chef assume a tendência para pratos mais rápidos, que servem que nem uma luva aos muitos trabalhadores da zona que procuram um espaço para almoçar calmo e sofisticado, mas que consiga servir uma refeição sem grandes demoras. A pensar nisso, existem dois conceitos de menu executivo: o menu Chef à Sítio, composto por prato principal, entrada ou sobremesa, água, café ou chá e petit-fours (25€), ou a proposta Chef à Valverde, na qual não tem de escolher entre sobremesa ou entrada, mas tem direito às duas opções (29,50€).

Piscina
Para além dos novos quartos e espaços, o Valverde Hotel tem agora uma nova piscina. créditos: @alexdelrio.com

Para além do Sítio, que reabre esta terça-feira, 8, também o Valverde Hotel volta a receber hóspedes. As estadias começam nos 220€ por noite.

Morada: Valverde Hotel, Avenida da Liberdade 164, Lisboa
Telefone: 210 940 310
Horário: 12h30-22h30

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.