Já todos passámos alguma vergonha na nossa primeira ida a um restaurante de sushi em que tínhamos de pedir os chamados “pauzinhos com ajudas”. Aqueles com molas, sabe? Ou quando achávamos já ter dominado a bela arte de comer qualquer peça com um pauzinho e esta, assim que a levávamos à boca, caía no último instante. Mas sabia que nem todas as peças de sushi se devem comer com este utensílio? Pois é, pois é.

Os japoneses defendem que os makis, aqueles rolinhos simples com arroz, peixe e alga, por exemplo, devem ser comidos com as mãos. E nós, intrigados, fomos confirmar isso mesmo com o sushi chef do U.M.I, o restaurante com dois espaços em Lisboa — um no Parque das Nações, o U.M.I Ásia; e outro muito próximo do El Corte Inglés, o U.M.I Sushi Avenida.

Combinados especiais, gunkans deliciosos e muito salmão. A nova carta do U.M.I é para os fãs da cozinha asiática
Combinados especiais, gunkans deliciosos e muito salmão. A nova carta do U.M.I é para os fãs da cozinha asiática
Ver artigo

Mas os ensinamentos não se ficam por aqui. No caso de querer usar wasabi, nunca o deve misturar com o molho de soja. Mas há mais técnicas e segredos para descobrir e alguns erros para desconstruir.

Da próxima vez que for a um dos restaurantes U.M.I, poderá aplicar tudo o que aprendeu neste texto.

Dissolver o wasabi no molho de soja?

Nem pensar. Nunca.

Para começar a comer sushi como um japonês, tem, obrigatoriamente, de parar de dissolver o wasabi no molho de soja.

Começa a refeição por qualquer peça? Está a fazer mal

Não vai acreditar, mas há mesmo uma ordem a seguir para comer sushi. Isto, claro, se a ideia for comer seguindo a tradição japonesa.

Deve começar a sua refeição pelo peixe branco, o prateado e o encarnado. Depois disso, pode passar para o salmão e para as ovas de salmão, seguindo-se o atum, ovos e makis simples.

A refeição deve terminar com uma sopa miso.

Come as peças às dentadas? Não o deve fazer

Segundo a tradição, qualquer peça de sushi bem confecionada, como aquelas que encontra nos restaurantes U.M.I, deve ter o tamanho ideal para caber na boca de uma só vez.

Isto significa que a ideia é que as peças não se partam quando as está a comer e, por isso, devem ser comidas de uma assentada e nunca às dentadas.

Conhece um amigo que come um maki ou um gunkan aos bocadinhos? Mostre-lhe este texto.

Quando come nigiris, também há uma ordem a seguir

São as peças com uma forma côncava, em que o peixe está em cima do arroz. Deve mergulhar o peixe no molho de soja e será essa parte que deve tocar na língua e não, como é habitual vermos, o arroz.

Ou seja, na altura de comer o niguiri, deve virá-lo ao contrário para sentir a fusão de sabores potenciadas pelo molho de soja no peixe.

U.M.I. Avenida abre perto do El Corte Inglés com menu a 15,50€ onde pode comer o sushi que quiser
U.M.I. Avenida abre perto do El Corte Inglés com menu a 15,50€ onde pode comer o sushi que quiser
Ver artigo

Não molhe o arroz no molho de soja

Outro erro comum: mergulhar o arroz no molho de soja que está unicamente destinado para o peixe.

Pode molhar a alga que envolve a peça, mas nunca o arroz.

Misturar gengibre e molho de soja? Nunca

Assim como o arroz, o gengibre não pode ser acompanhado pelo molho de soja.

O gengibre serve para ser degustado sozinho, entre as diferentes peças, e funciona como um elemento fundamental para cortar e separar os sabores.

Agora, está na altura de pôr o que aprendeu à prova

Depois de tantas vezes a cometer os mesmos erros, está na altura de ir testar tudo aquilo que aprendeu neste texto.

Para isso, nada melhor do que ir a dois dos melhores restaurantes para comer sushi em Lisboa: O U.M.I Ásia, no Parque das Nações, ou o U.M.I Sushi Avenida, perto do El Corte Inglés. Qualquer que seja o restaurante que escolha, a qualidade manter-se-á sempre a prioridade do espaço.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.