O Escama abriu portas há somente quatro meses e já está envolto em polémicas. Esta marisqueira na Parede foi representada por Pedro Silva Carvalho, um dos sócios do projeto, numa entrevista à revista "Time Out". Durante a mesma, foram proferidas declarações misóginas.

"Não sou apologista de mulheres a trabalhar em restauração", declarou o então sócio do Escama à publicação. "Sem querer ferir susceptibilidades, os homens são mais eficazes a trabalhar em restauração", esclareceu, não descartando a possibilidade de vir a ter mulheres na equipa. Sendo que, à data da abertura do espaço e a realização da entrevista, a equipa era composta apenas por homens.

Andam a raptar mulheres com recurso a perfumes? Autoridades negam, mas relatos multiplicam-se
Andam a raptar mulheres com recurso a perfumes? Autoridades negam, mas relatos multiplicam-se
Ver artigo

Pedro Silva Carvalho crê que "as mulheres são muito conflituosas a trabalhar em restauração". "Isto é um trabalho desgastante, e não é fácil a longo prazo gerir certas coisas", continuou, concluindo: "Nós, homens, pela experiência que eu tenho, lidamos com as coisas de uma forma diferente, não nos deixamos ferir tão facilmente".

A entrevista, publicada na quarta-feira, 7 de setembro, tem vindo a ser partilhada nas redes sociais. Esta sexta-feira, a página oficial do restaurante divulgou um comunicado no qual asseguram não se rever naquilo que foi dito e garantem que Pedro Silva Carvalho já foi afastado do projeto.

"Toda a equipa do restaurante apresenta as suas sentidas desculpas", escrevem, referindo a "convicção pessoal e individual relativamente à posição das mulheres" exposta pelo ex-sócio. "Pedro Silva Carvalho expressou a sua opinião – uma que o Escama não partilha", afirmam.

E reforçam: "Queremos deixar claro que o restaurante Escama e a sua equipa não se identificam minimamente com o tipo de ideologia e pensamento machista demonstrados no artigo". "Posto isto, Pedro Silva Carvalho foi afastado do projeto a partir desta sexta-feira, dia 9 de setembro de 2022", esclarecem, intitulando-se de "fortes apoiantes da igualdade de género".

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.