Começou por ser um convento. O Convento dos Loios. Depois, quando chegaram os ventos da revolução, no século XVIII, foi transformado num hospital militar. Foi vendido, renomeado Palácio das Cardosas e esteve quase, quase para ser destruído quando, na década de 1980, numa época em que praticamente só restava a fachada, sofreu obras profundas. 30 anos depois, em 2011, reabre em todo o seu esplendor, desta vez com a identidade que lhe conhecemos hoje: hotel InterContinental - Palácio das Cardosas.

Dificilmente um hotel no Porto poderia ficar numa zona mais central e também mais bonita. Em plena Praça da Liberdade, ao fundo da Avenida dos Aliados, com o edifício neoclássico da câmara municipal mesmo em frente. Infelizmente, e porque o progresso assim o obriga, quando visitámos o Palácio das Cardosas as obras da linha rosa do metro estavam em pleno de ruído audiovisual e, bem aconselhados na receção, aceitámos a sugestão de um quarto com vista para o interior do hotel (e também para a torre dos Clérigos e uma nesguinha da estação de São Bento).

Dizem que o Porto é uma cidade soturna e que a capital é que é a terra da luz brilhante. Não queremos entrar em comparações nem em competições mas, aqui no lobby do Palácio das Cardosas, há tudo menos escuridão. Os mármores brancos, os apontamentos dourados e as janelas enormes, que dão para o pátio interior, juntamente com a decoração faustosa (que convida a passar uma tarde de livro na mão e um copo de vinho na mesa), criam um ambiente acolhedor e caloroso.

Ficámos alojados num quarto Deluxe (a partir de 223€, sem pequeno almoço incluído), com uma decoração luminosa e rica, de inspiração novecentistas, com pesados cortinados e uma poltrona azul cerúleo que não nos importávamos nada de ter na sala lá de casa. E se o quarto, com uma mesinha estrategicamente colocada para beber um chá um ou café e apreciar a vista, e uma cama alta e confortável (obrigada por escolherem colchões moles, a minha coluna vertebral agradece), constatámos com alguma desilusão que a casa de banho, quer na decoração quer nas amenities, não corresponde aos padrões de um hotel de cinco estrelas.

A diferença é ainda mais gritante se compararmos com a casa de banho ultramoderna e tecnológica de uma das outras unidades do grupo hoteleiro, o InterContinental Cascais-Estoril, que, além de uma banheira gigante e duche em câmara separada, tem ainda o extra da cromoterapia.

Nada que nos tivesse impedido de tomar um banho reconfortante, enquanto provávamos a pecaminosa cookie do Goela Abaixo (sobre a qual iremos falar em breve), acompanhada de um chá preto que, como bom hotel de cinco estrelas, está incluído na oferta do quarto (juntamente, claro, com a máquina de café e o mini fervedor de água). Uma outra nota negativa (e prometemos que é a última desta crítica): os secadores de cabelo são do tempo da Maria Cachucha e precisam urgentemente de ir para a reforma.

Descobrimos o que é um grelhador Josper. Tudo Graças ao Astória

A história do Palácio das Cardosas é também a do Astória. O restaurante, que ali viveu desde o início do século XX, virado para os Aliados, foi depois o Café Astória. Quando o palácio se degradou, desapareceu, sendo depois recuperado o nome aquando da abertura do InterContinental. Nos últimos dois anos, mudou de sítio na configuração do hotel, passando a ocupar o espaço virado para o pátio interior. Mudou também de chef, estando Tiago Sales à frente da cozinha desde novembro de 2021.

A decoração do Astória faz um contraste agradável com a opulência e majestosidade do resto do hotel. É clássica, minimalista, e a luz, discreta, cria um clima de intimidade e conforto a qualquer hora do dia. E se serenidade é a palavra que escolheríamos para caracterizar o ambiente do Astória, essa é também a palavra certa para descrever a carta concebida pelo chef Tiago Sales.

O conceito Farm to Table (ou seja, da quinta para a mesa) dita que a escolha dos elementos que compõem os pratos priorize a sazonalidade e os produtos locais. O chefe de sala explica-nos também que os grelhados "em Josper" são reis e senhores da carta. Não dizemos nada e deixamos que se afaste para irmos ao Google. Ah! Ok. Então. Josper é uma marca espanhola de fornos e grelhadores a carvão, que ganhou maior proeminência quando a tendência de grelhar sobre fogo vivo regressou às cozinhas e foi introduzida no fine dining. Pronto, já aprendemos alguma coisa esta noite.

Provámos os grelhados, claro. Mas já lá vamos. Para entrada, não resistimos à tortilha de batata (9,50€), que estava macia e bem temperada, suave mas não mole, com gel de gema de ovo, que confere aquele extra de untuosidade aveludada. Experimentámos também a tartelete de camarão, uma opção fresca, delicada e crocante, com um toque de tropicália (15€).

Pois que venham os grelhados, em particular o tentáculo de polvo (38€), acompanhado de arroz malandro que, naquele dia, era de feijão vermelho (6€). O polvo, grelhado na perfeição, deu-nos a garantia que o tal Josper era coisa que até gostávamos de ter lá por casa. A fome não era muita, mas ficámos de olho no leitão (27€) e numa das especialidades do chef, a balotine de frango, foie gras, trufã e avelã, servido com batata ratte dourada e esparregado (65€, duas pessoas). E porque há opções vegan, pedimos também o arroz caldoso de cogumelos selvagens e trufa (32€). Bem servido, com uma dose generosa de trufa e cogumelos, mas uma desilusão em termos de sabor (32€).

Mantendo o tema vegan, escolhemos um final doce, com o bolo de chocolate, creme de coco e sorvete de abacate (€8). Lembram-se de um snack de chocolate muito popular nos anos 90, o Bounty? Esta é a versão revista, melhorada e saudável. E o sorvete de abacate, que parece uma ideia péssima em teoria mas que, na prática, serve de contraste fresco e delicado à intensidade do chocolate? Aprovado. Acompanhámos a refeição com um Terras do Grifo branco (24€), um vinho duriense fresco e aromático.

Carta de ovos ou o sonho de uma manhã de inverno

Há duas coisas que nos fazem sorrir quando acordamos num hotel, em plena manhã fria de inverno: café de qualidade e uma carta de ovos. A primeira é relativamente fácil de encontrar, sobretudo se estivermos num hotel de cinco estrelas. A segunda é mais rara. E, para nosso gáudio, existe no InterContinental Palácio das Cardosas. Mas já lá vamos que isto foi só para vos abrir o apetite.

Há hotéis de cinco estrelas e depois há o InterContinental Cascais Estoril
Há hotéis de cinco estrelas e depois há o InterContinental Cascais Estoril
Ver artigo

Antes de um dos pequenos-almoços mais inacreditáveis que já tivemos oportunidade de provar, demos um saltinho ao centro de wellness (vulgo, ginásio) do hotel. Tal como no seu congénere do Estoril, o espaço, apesar de pequeno, está apetrechado com o equipamento essencial para os que gostam de começar a manhã com uma sessão de exercício físico. Seja isso uma corrida de uma hora na passadeira, sejam apenas alguns alongamentos no tapete (e sim, há espaço para estender o tapete à vontade que, aqui para nós, é um dos critérios que aplicamos quando avaliamos o ginásio de um hotel. Dá para praticar Pilates, ioga ou alongar sem ficar no caminho de ninguém? Então aprovamos).

De volta à sala do pequeno-almoço (ah, esta luz, logo pela manhã, anima até o mais rabugento e não madrugador dos seres humanos), ainda não nos tínhamos sequer sentado e já estávamos de olho nela, a carta de ovos, da qual podíamos escolher uma opção. Enquanto pedíamos café, fomos lestos na decisão. Ovos Royal (pão, salmão fumado e molho holandês). Florentine, Benedict, omelete simples, ovos escalfados, fritos ou cozidos são as outras opções mas, porque um dia não são dias, vieram estas almofadas delicadas, com a gema líquida mas a clara no ponto, com uma dose generosa de salmão fumado.

É difícil pedir mais, mas o buffet de pequeno almoço dá-nos mais, com tudo aquilo a que temos direito (do bacon aos ovos mexidos, passando por uma variedade enorme de fruta). Talvez um dia mudemos de ideias mas... o pequeno-almoço do InterContinental - Palácio das Cardosas entrou direto para o nosso top de favoritos.

InterContinental - Palácio das Cardosas
Praça da Liberdade, 25 , Porto ,4000-322, Portugal
+351-22-0035600

Reservas online ou através do 800 450 076

Facebook e Instagram

Restaurante Astória
+351 22 003 56 39
restaurante.astoria@ihg.com

Facebook e Instagram

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.