Se já fica de perna a tremer e nervos em franja com programas como "Hell's Kitchen" ou "MasterChef", é porque ainda não conhece o formato "Iron Chef", que se estreou em 1993, no Japão, e cuja mais recente adaptação norte-americana é uma novidade fresquinha na Netflix Portugal.

Culinária "tuga" está a chegar à Disney+ (com Tia Cátia e Henrique Sá Pessoa)
Culinária "tuga" está a chegar à Disney+ (com Tia Cátia e Henrique Sá Pessoa)
Ver artigo

Trata-se de uma espécie de simbiose perfeita entre o conceito tradicional de um programa de culinária e um reality show, que eleva a fasquia daquilo que é trabalhar sob pressão. É implacável, é exigente e só admite os melhores dos melhores.

O formato japonês terminou em 2002, depois de sete temporadas e um total de 296 episódios, mas acabou por regressar através de versões norte-americanas como "Iron Chef" ou "Iron Chef America". Agora, em pleno 2022, a mais recente chama-se "Iron Chef: Quest for an Iron Legend" e está disponível no catálogo da Netflix Portugal desde as 08h01 desta quarta-feira, 15 de junho.

créditos: © 2022 Netflix, Inc.

Qual é a premissa do programa?

Descrever "Iron Chef" como uma competição culinária chega a roçar o ofensivo, tendo em conta o nível da competição, mas, em termos práticos, é essencialmente isso: uma competição.

Na tradicional versão norte-americana, idêntica ao formato japonês, trata-se de um concurso em que vários Iron Chefs, os chamados chefs da casa, enfrentam um grupo de chefs que ousa enfrentá-los em desafios gastronómicos. Isto, com o Kitchen Stadium (agora renovado) como palco, uma cozinha gigante, que, às tantas, parece um campo de batalha.

Em cada episódio, é dado um ingrediente secreto que não é divulgado até pouco antes do início da batalha, com base no qual os chefs devem criar de 4 a 6 pratos para serem avaliados por um painel de juízes distintos. Daí em diante, cada concorrente recebe uma pontuação e, voilá, encontra-se o grande vencedor.

No entanto, desta vez, a premissa é ligeiramente diferente. A ideia base é a mesma, é certo, sendo que todos os chefs vão testar os seus limites de resistência e criatividade enquanto preparam criações gastronómicas extraordinárias e cada Challenger Chef, assim se chamam os concorrentes, será presenteado com uma determinada pontuação no final de cada prova.

Só que, desta vez, no oitavo e último episódio, o melhor concorrente regressa para uma batalha na grande final, na qual terá de enfrentar os cinco Iron Chefs. Leu bem. Se um já é difícil, imagine-se cinco. Caso consiga cumprir a proeza, arrecadará a cobiçada faca dourada e, consequentemente, o título supremo de "Iron Legend".

créditos: Adam Rose/Netflix © 2022

Sem spoilers, já se sabe que em "Iron Chef: Quest for an Iron Legend" poderá esperar, pelo menos, um confronto entre dois chefs com duas estrelas Michelin. Só para ter noção do nível desta competição.

Quem são novos Iron Chefs?

Geralmente, cada Iron Chef é especialista numa determinada área gastronómica. No entanto, todos terão de ser capazes de provar que são versáteis e superiores aos Challenger Chefs que ousaram desafia-los.

Desta vez, o painel é composto pelo chef australiano Curtis Stone, pela chef francesa Dominique Crenn, por Marcus Samuelsson (responsável pelo restaurante Red Rooster, em Nova Iorque), pelo norte-americano Ming Tsai e, ainda, pela mexicana Gabriela Cámara. Todos eles, em áreas específicas, chefs reconhecidos no panorama internacional.

Curtis Stone, Dominique Crenn, Gabriela Camara, Marcus Samuelsson e Ming Tsai são os novos Iron Chefs da competição. (Da esquerca para a direita) créditos: Netflix

Porquê tantas nacionalidades distintas?

"Iron Chef: Quest for an Iron Legend" admite que só dá palco aos melhores dos melhores. Por isso, não faria sentido contar apenas com intervinientes norte-americanos. Dos chefs aos produtos, trata-se de uma competição internacional.

A frase "diz-me o que comes, dir-te-ei quem és", de Jean Anthelme Brillat-Savarin, foi o mote do programa japonês e continua a ser umas das referências do formato. Mais do que apresentar pratos saborosos, os jurados exigem produções com essência.

E os apresentadores?

O mesmo se aplica no que toca aos apresentadores. Desta vez, Alton Brown, o apresentador norte-americano que, além de edições anteriores de "Iron Chef", também apresentou o programa "Good Eats" ao longo de 14 temporadas, vai deixar de assumir as rédeas do programa sozinho.

Vai dividir o palco com Kristen Kish, uma chef de ascendência coreana, que arrecadou o primeiro lugar da 10.ª edição do programa "Top Chef".

Alton Brown, Mark Dacascos e Kristen Kish. créditos: Adam Rose/Netflix © 2022

"Allez Cuisine!"

"Iron Chef: Quest for an Iron Legend" é um formato ligeiramente face às anteriores versões de "Iron Chef" norte-americanas, no entanto Alton Brown não é o único rosto conhecido que volta a intergrar o concurso. Também Mark DaCascos está de regresso. O famoso Chairman que anuncia os desafios e, de uma forma tão característica, berra "Allez Cuisine" para assinalar o início de cada prova.

Mark Dacascos créditos: Adam Rose/Netflix © 2022

Este ator norte-americano de 58 anos é, para muitos, o rosto do programa, no entanto a famosa frase "Allez Cuisine" não é propriamente uma marca pessoal. Isto porque remonta à versão japonesa do formato, em 1993. Foi o ator Takeshi Kaga, quem fez nascer esta referência, da mesma forma que fez com que a frase "se a memória não me falha", de Arthur Rimbaud, se tornasse quase obrigatória no arranque de cada episódio japonês.

O que é certo é que a marca ficou e, em pleno 2022, os episódios de "Iron Chef: Quest for an Iron Legend" continuam a ser marcados pela expressão "Allez Cuisine", à margem dos famosos truques marciais de Mark DaCascos, claro. Não fosse este Chairman mestre em Karaté e Kung Fu e um dos rostos de filmes como "American Samurai" ou "Serbian Scars".

Eis alguns dos pratos cuja confeção vai poder acompanhar em "Iron Chef: Quest for an Iron Legend"

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.