Estávamos em outubro de 1964 quando um grupo de estudantes alemães escavou um túnel por debaixo do muro de Berlim para escapar à Alemanha comunista. Ainda que o túnel tenha permitido a fuga de 57 cidadãos, a missão culminou com a morte de um soldado alemão que, após ter descoberto o túnel, foi ferido por um dos estudantes. Numa troca de tiros, o soldado foi novamente ferido, desta vez mortalmente, por uma bala perdida de um dos seus companheiros.

O tiroteio foi encoberto durante vários anos até à queda do muro, em 1991, altura em que Egon Schultz foi identificado como o soldado assassinado. Atualmente, no local encontra-se um memorial que relembra não só a fuga dos cidadãos alemães, mas também a memória do soldado ferido mortalmente durante o período em que o muro de Berlim esteve erguido.

A história real do grupo de estudantes que criou aquele que mais tarde viria a ser conhecido como o Túnel 57 vai agora ser adaptado para a ficção. A notícia foi avançada em exclusivo pela revista "Deadline", que diz que a produção vai estar a cargo da produtora britânica Sister, conhecida por deter os direitos de "Chernobyl" — a série de sucesso da HBO que venceu vários Emmys.

A mesma publicação explica que, embora se trate de uma história real, a produtora teve de comprar os direitos do podcast Tunnel 29, da BBC, que recorda a missão do grupo de estudantes e que desde o lançamento, em meados de novembro, já soma mais de cinco milhões de downloads em todo o mundo.

Entrevistámos uma das vítimas não oficiais do desastre nuclear de Chernobyl
Entrevistámos uma das vítimas não oficiais do desastre nuclear de Chernobyl
Ver artigo

No entanto, e apesar de já ser oficial que o projeto vai mesmo avançar, ainda não se sabe se a história vai ser adaptada para a televisão ou para o cinema.

"A produtora confirmou que a compra pelos direitos já tinha sido concluída mas que, nesta fase inicial do projeto, ainda era muito cedo para revelar se se tratava de uma produção televisiva ou cinematográfica", lê-se.

Mas a mesma revista acrescenta ainda que o negócio terá sido muito competitivo ao trazer grandes nomes do meio para as negociações.

Uma das produtoras que tentou comprar os direitos da história foi a Neal Street, que produziu o filme "1917", realizado por Sam Mendes, e que esteve nomeado para vários Óscares. Visto que o projeto ainda se encontra na fase de arranque, não se conhece data de estreia, nem quem serão os realizadores e argumentistas responsáveis por trazer a história para o ecrã.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.