Com o Natal à porta, apresentamos-lhe uma série de sugestões de filmes natalícios que a Netflix foi lançado à medida que a quadra se foi aproximando. "Solteiro Até No Natal", a primeira comédia romântica gay da plataforma de streaming, é uma excelente sugestão para ver no sofá, ou enquanto come à mesa, juntamente com a família. Conta a história de um jovem a que, a prever as inúmeras questões da família sobre a falta de compromisso a uma relação, lhe tentam impingir um PT solteiro, carismático e interessante.

Prepare o chapéu de chuva. O Natal vai ser molhado, com vento e trovoada
Prepare o chapéu de chuva. O Natal vai ser molhado, com vento e trovoada
Ver artigo

Só que este, sem a família saber, tem um truque na manga: o facto de ter pedido ao melhor amigo para fingir ser namorado dele durante o Natal. Este aceita, mas porque, ainda que inconscientemente, já esteja apaixonado por ele. De repente, o que temos é um caos bom em plena época natalícia que, apesar disso, acaba em bem porque nestes filmes não se quer tragédias ou dilemas muito complexos e irreversíveis. Mas esta é só uma das nossas sugestões.

Pode ainda ver uma das apostas mais recentes da Netflix, "Um Natal Nigeriano", que põe três filhos a reavaliar as suas relações interpessoais a pedido da mãe que quer ver um desejo muito especial concretizado durante o Natal.

Para que não tenha de perder muito tempo a escolher o filme que vai ver sozinho ou em família durante o Natal, fizemos o trabalho de casa.

Mostramos-lhe seis filmes natalícios da Netflix para ver à mesa ou no sofá.

"Um Natal Nigeriano"

Neste novo filme da Netflix, a história dá a conhecer o desejo especial de uma mãe que, em plena época natalícia, põe os seus filhos a competir por um prémio que será atribuído a quem o conseguir cumprir.

No centro do conflito de "Um Natal Nigeriano" estão três irmãos que, apesar dos laços de sangue que partilham, estão cada vez mais desunidos devido a problemas vários.

É com este desafio proposto pela mãe, percebemos logo de início, que os três são levados a encontrar o verdadeiro amor e o espírito natalício.

"Solteiro Até No Natal"

A primeira comédia romântica gay da Netflix. Aqui, ficamos a conhecer Peter, um solteiro inveterado, que com a chegada do Natal quer fintar as perguntas chatas e aborrecidas da família sobre quando assumirá uma relação estável.

É nesse sentido que pede ao melhor amigo, Nick, para que finja ser o seu namorado durante a consoante. Este aceita, claro, porque na verdade está apaixonado por Peter, mas depressa se vê no meio de uma situação complicada quando descobre que a família quer impingir o filho a um PT carismático.

"Solteiro Até Ao Natal" destaca-se pela forma como dá palco a uma história LGBTQI+ sem que, apesar disso, faça dela o centro do filme.

"Love Hard"

"Love Hard" dá-nos a conhecer a figura de Natalie Bauer, uma escritora de Los Angeles, nos EUA, especializada na publicação de crónicas românticas, que decide viajar até Nova Iorque para se encontrar com um homem com quem começou a conversar numa app de relacionamentos e encontros online.

Quando o encontra, no entanto, descobre rapidamente que foi enganada e que o homem com quem está a falar não é aquele que o próprio diz ser nas fotografias que lhe envia. Apesar disso, esta jovem decide fazer de conta que ambos são namorados, desde que o impostor a ajude a conquistar o homem por quem o rapaz se fez passar na internet.

O resultado? Caos à mesa de Natal.

"A Todos Um Bom Natal"

Quatro irmãs de costas voltadas há vários anos e um pai ausente que decide voltar a casa para celebrar o Natal com a família, embora com outra mulher. É este o resumo possível deste filme da Netflix que tem John Cleese e Kelsey Grammer nos papéis principais.

É esse regresso inusitado que dá corpo à tensão cómica que marca o filme desde o início.

Apesar do final feliz (que todos os filmes de Natal têm), a história está bem construída e mostra como até as famílias mais disfuncionais podem, apesar disso, voltar a estar juntas e felizes. Mesmo que isso se limite à ficção.

"Um Castelo de Natal"

"Um Castelo de Natal" apresenta-nos uma escritora de renome, responsável por vários best-sellers de qualidade dúbia, que viaja para a Escócia para fugir de um escândalo que ameaça manchar-lhe a imagem.

Chegada ao país onde decide viver, apaixona-se por um castelo fantástico com séculos de história e que, no momento em que o encontra, já está decorado a rigor para o Natal. Os problemas, claro, começam quando o proprietário do icónico castelo se revela um brutamontes sem escrúpulos.

Na verdade, é por ele que também acaba por se apaixonar. É a típica história romântica de Natal que, embora repetida por diversas vezes, nunca nos cansamos de ver e acompanhar.

"Um Rapaz Chamado Natal"

O foco está no jovem Nikolas que, depois de vários dias sem saber do pai, decide partir à descoberta com o único objetivo de o encontrar são e salvo.

Mas a viagem, no entanto, é cheia de surpresas. É que este jovem descobre a vila mágica dos Elfos que, à medida que o Natal se aproxima, fazem de tudo para que as festividades nunca sejam postas em pausa.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.