Recentemente, a HBO Max estreou dois documentários sobre um dos confrontos jurídicos mais mediáticos dos últimos tempos. Agora, é a vez de a plataforma de streaming norte-americana Tubi, sob a alçada da Fox, revisitar o caso de Johnny Depp e Amber Heard à sua maneira, apenas poucos meses depois do veredito final.

Prepare as pipocas, porque não vai querer perder “Hot Take: The Depp/Heard Trial”, mais que não seja para se entreter ao comentar a execução do filme. Isto porque o trailer evidencia, desde logo, que esta produção está longe de receber (ou ser nomeada) para um Óscar – não o denunciasse a rapidez com que foi concebida, apenas quatro meses depois do encerramento do caso, em junho deste ano.

Críticas ferozes foram tecidas em relação a este lançamento da Tubi. "O único hot take [opinião controversa] aqui é o facto de que eu preferia ver novamente seis semanas de gravações gratuitas e cruas do tribunal a qualquer projeto amador só com o objetivo de lucrar", comentou um utilizador do Youtube no trailer do projeto. O comentário já conta com 2.000 "gostos", apenas menos 400 do que o trailer.

"Se eu tivesse uns trocos, nunca cairiam na tua mão". Johnny Depp escreveu duas canções sobre o julgamento com Amber Heard
"Se eu tivesse uns trocos, nunca cairiam na tua mão". Johnny Depp escreveu duas canções sobre o julgamento com Amber Heard
Ver artigo

No entanto, a estreia tem data marcada para esta sexta-feira, 30 de setembro, e o filme vai debruçar-se sobre a relação conturbada que os atores mantiveram entre 2012 e 2016. Além de podermos contar com a reprodução de momentos passados na sala de audiências, também vão ser reencenados alguns dos episódios de abuso levados a cabo por ambos.

Johnny Depp e Amber Heard são interpretados por Mark Hapka e Megan Davis, respetivamente, ambos com mais experiência no âmbito das curtas-metragens e telefilmes. Já as atrizes Melissa Marty e Mary Carrig interpretam as advogadas de cada um dos lados da história, Camille Vasquez e Elaine Bredehoft.

Veja o trailer do filme.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.