Uma das séries mais populares da Netflix dos últimos meses está de volta. Falamos de "Quem Matou Sara?", a história que em poucos dias se tornou numa das mais vistas da plataforma de streaming e acompanha a figura de Alex Guzmán, condenado injustamente pela morte da irmã.

Quando a série começa, já Alex cumpriu os 18 anos da sua pena e sai do estabelecimento prisional com a promessa de vingar-se pelo verdadeiro responsável pela morte de Sara. Esse, é-nos insinuado ao longo dos primeiros episódios, terá sido Rodolfo Lazcano — uma das figuras mais perigosas da família Lazcano.

Todas as estreias que deve ver já no cinema (e outras que podem ficar para mais tarde)
Todas as estreias que deve ver já no cinema (e outras que podem ficar para mais tarde)
Ver artigo

Problema? Contra toda as probabilidades, Rodolfo também é inocente e o verdadeiro assassino está à solta. No meio de uma história que mistura intriga, drama e violência, a intensidade promete subir de tom nos próximos episódios que chegam à Netflix já a 19 de maio.

Mas essa é só uma das novidades que vai poder ver a partir a partir das próximas semanas. Há mais, como o regresso de "Master of None" ou "O Método Kominsky".

Mostramos-lhe as séries (e os filmes) mais interessantes que vão chegar às várias plataformas de streaming disponíveis em Portugal já a partir de maio.

"The Boy From Medellín" (Amazon, 7 de maio)

No centro deste documentário, realizado por Matthew Heineman, está o cantor e artista colombiano J Balvin que, em meados de 2019, regressou a Medellín, a sua cidade, para um concerto especial.

Além de analisar a carreira do cantor, a produção foca-se ainda no contraste entre a euforia do concerto e o clima de tensão que se vivia na Colômbia da altura.

É que no momento em que o cantor se preparava para subir ao palco, o país estava dividido devido às manifestações contra a corrupção, a violência usada pelas autoridades nas ruas (que resultou na morte de um jovem de 18 anos) e às várias medidas de austeridade impostas pelo governo conservador.

"The Boy From Medellín" é o retrato de um homem que, marcado pela ansiedade e a depressão que enfrenta há vários anos, sente nos ombros a responsabilidade de denunciar as injustiças que se sentem no seu país.

"Midsommar" (Amazon, 15 de maio)

Realizado por Ari Aster, o mesmo que realizou e escreveu "Hereditário", este "Midsommar" é a prova de que o género de terror está tudo menos aborrecido. Ao contrário dos filmes do género, mas de segunda, os de Ari Aster demoram cerca de uma hora até pôr o pé no acelerador e pregar-nos aqueles sustos que nunca parecem gratuitos ou previsíveis.

Mas antes disso, é dado algum tempo para que a narrativa ganhe corpo e as personagens se vão desenvolvendo. Porque só assim faz sentido que, mais tarde, os desfechos sejam negros e quase sempre trágicos. Aqui, a história acompanha um grupo de amigos que decide viajar até à Suécia para entender a forma de viver de um culto pagão. Essa viagem, sabemos de antemão, torna-se no pior pesadelo das suas vidas.

Mas a verdade é que este terror é outro monstro. Não é demasiado duro nem assusta ferozmente, mas mói. E é capaz de agradar até mesmo aos que não são fãs do género.

"Manchester By the Sea" (Amazon, 15 de maio)

Estrado em 2016 nos cinemas, "Manchester by the Sea" é protagonizado por Casey Affleck e Michelle Williams. No centro da história, a figura de um homem que vive desolado pela morte trágica do filho e que, no processo do luto, é obrigado a cuidar de outra criança.

No processo, é obrigado a enfrentar as suas falhas e os seus demónios mais obscuros à medida que tenta salvar o que resta da sua família.

Foi um dos filmes mais elogiados de 2016 que chega agora ao streaming.

"Quem Matou Sara?", Temporada 2 (Netflix, 19 de maio)

A série começa com uma pergunta: quem, afinal, matou Sara? A justiça condena Alex Guzmán a uma pena de 18 anos pelo seu envolvimento na morte da irmã, mas o espectador sabe de antemão que Alex é inocente.

É este o ponto de partida de "Quem Matou Sara?", a nova série mexicana da Netflix que junta drama, suspense e ação numa primeira temporada composta por dez episódios.

Séries obrigatórias no confinamento: "Brooklyn Nine-Nine" — a esquadra mais hilariante da TV
Séries obrigatórias no confinamento: "Brooklyn Nine-Nine" — a esquadra mais hilariante da TV
Ver artigo

A série arranca no momento exato em que Alex sai da prisão, 18 anos depois de ter entrado, com a missão de se vingar daquele que acredita ser o responsável pela morte de Sara.

Falamos de Rodolfo Lazcano, que é descrito com uma das figuras mais importantes da família Lazcano e que, no momento em que a série se inicia, é promovido à posição de CEO da empresa dos pais. Movido pelo ódio e a vingança, Alex tenta sondar todas as pessoas que, de alguma forma ou de outra, mantiveram um contacto regular com Sara antes da sua morte. O objetivo, claro, é o de recolher o maior número de provas contra Rodolfo e poder, assim, executar o seu plano de vingança ao mais ínfimo pormenor.

Mas há, como em todas as séries do género, um problema que alavanca a reviravolta principal: o facto de, afinal, Rodolfo não ser o responsável.

"Master of None", Temporada 3 (Netflix, 23 de maio)

Antes do escândalo sexual que o obrigou a afastar-se da representação e do espaço mediático, era na série "Master of None", um exclusivo da Netflix, que Aziz Ansari transportava para o ecrã um bocadinho da sua vida enquanto ator de origem indiana que tentava singrar em Hollywood.

É nesse percurso, que poderá ser comum a atores emergentes, que a série brilha ao mostrar, afinal, o que é esta coisa de ser millennial num mundo cada vez mais frenético e globalizado.

O enfoque da história, que toma a perspetiva de Aziz Ansari em quase toda a série, são os desamores, as irritações sem importância, os problemas de primeiro mundo, mas também questões tão importantes como o racismo e o consentimento em relações.

Nesta nova temporada, há muito esperada, Aziz Ansari passa para detrás das câmaras e assume o papel exclusivo de realizador.

"O Método Kominsky", Temporada 3 (Netflix, 28 de maio)

A comédia que junta Michael Douglas e Alan Arkin nos papéis principais. "O Método Kominsky"acompanha a carreira de um ator veterano que depois do sucesso ganha a vida a dar aulas de representação para um grupo de teatro local.

A história enriquece à medida que os dilemas de Douglas acabam por preencher toda a narrativa e atrapalhar todo o seu dia a dia no teatro ou nas relações que mantém com as pessoas mais próximas.

A série esteve nomeada para dois Emmys mas não conseguiu levar nenhuma das estatuetas para casa.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.