Quer esteja ou não na corrida para ver alguns dos filmes que estão nomeados para os Óscares, há muita coisa para ver no cinema agora que o governo deu ordem para que se iniciasse a nova fase de desconfinamento. A partir desta segunda-feira, 19 de abril, as salas vão poder voltar a abrir e há muita coisa para ver.

É o caso de "Nomadland — Sobreviver na América", nomeado para o Óscar de Melhor Filme", ou "Mortal Kombat", o primeiro grande filme do ano que os estúdios da Warner Bros. esperam que seja o blockbuster que ambicionaram — ou seja, um sucesso de bilheteiras.

À partida, tem os ingredientes certos: ação, pancadaria (explícita, já agora) e que homenageia um dos universos mais icónicos — e amados — dos videojogos.

De "Promising Young Woman" a "Nomadland", saiba onde ver os filmes nomeados para os Óscares
De "Promising Young Woman" a "Nomadland", saiba onde ver os filmes nomeados para os Óscares
Ver artigo

No cinema independente, pode ainda contar com "Marighella", o primeiro de Wagner Moura ("Tropa de Elite" e "Narcos") na cadeira de realização ou dois clássicos do realizador chinês Wong Kar-Wai.

Damos-lhe a conhecer todos os filmes que vão chegar às salas de cinema até entre abril e maio, dividindo-os em duas categorias: aqueles que tem mesmo de ver já e os outros que pode ficar para depois.

Os filmes que deve mesmo ver já (e sem receios)

"Nomadland — Sobreviver na América" (19 de abril)

É um dos grandes nomeados para os Óscares. O filme de Chloé Zhao, protagonizado por Frances McDormand, acompanha os esforços de uma mulher que vive há vários anos uma autocaravana depois de ter perdido tudo o que tinha decorrente da crise económica que atravessou fronteiras no início do século XXI, e que viria a ficar conhecida como a Grande Recessão.

É um das grandes estreias deste mês.

"Mortal Kombat" (19 de abril)

É o primeiro blockbuster do ano, ou seja, aquele que se espera que possa atrair o maior número de público ao cinema durante esta fase de reabertura.

Além dos efeitos especiais e da pancadaria em dose extra (vá por nós, este não é para os estômagos sensíveis), "Mortal Kombat", por se inspirar no videojogo de grande sucesso que já faz parte da cultura popular, é a grande estreia de ação deste mês.

O trailer mostra o regresso de algumas das personagens do universo que começou a ser estabelecido em 1992 e espera-se que abra portas para novos filmes — e novas personagens.

"Undine" (19 de abril)

Inspirando-se na figura mitológica de Ondina, a ninfa aquática que ganha forma humana quando se apaixona e que morre quando a pessoa que ama a traí, "Undine" transporta o mito para a vida real e para as ruas de Berlim, na Alemanha.

Aqui, em pleno século XXI, Undine é uma historiadora que, confrontada com o facto de a pessoa que ama a querer deixar, se vê obrigada a matar o amante para regressar à água.

O filme fará parte da programação do Cinema Nimas.

Marighella" (20 de abril)

É o primeiro filme com o brasileiro Wagner Moura ("Tropa de Elite") na realização.

Inspirado na biografia do jornalista Mário Magalhães, "Marighella" foca-se nos últimos anos de vida de Carlos Marighella — o escritor, político e membro de uma guerrilha, que morreu em 1969 vítima de uma emboscada violenta.

O filme fará parte da programação do Cinema Trindade, no Porto.

A SIDA em Portugal. "Havia uma forte culpabilização interna e uma vergonha castradora"
A SIDA em Portugal. "Havia uma forte culpabilização interna e uma vergonha castradora"
Ver artigo

"Quo Vadis, Aida?" (22 de abril)

Quando a pequena vila de Sebrenica é invadida pelas forças militares da Sérvia, a família de Aida (Jasna Djuricic), que até então trabalhava como tradutora para as Nações Unidas, é uma das dezenas de famílias obrigadas a procurar ajuda nos campos de refugiados montados pela organização.

Realizado por Jasmila Zbanic, que também assina o argumento, "Quo Vadis, Aida?" é um dos filmes nomeados para os Óscares.

"O Homem Que Vendeu a Sua Pele" (27 de abril)

"O Homem Que Vendeu a Sua Pele", também nomeado para os Óscares, diz-lhe tudo aquilo que precisa de saber sobre o filme.

No centro da ação está Sam, um refugiado de origem síria cujo corpo é, na verdade, uma espécie de tela que decide vender (expondo-se) num museu.

No entanto, e à medida que a história se vai desenrolando, Sam depressa entende que poderá ter vendido muito mais do que apenas a sua pele — mas, também, a sua identidade.

"Mais Uma Rodada" (29 de abril)

"Mais Uma Rodada" é o que acontece quando os protagonistas, todos na casa dos 40 anos, descontentes com a monotonia e a inércia em que as suas vidas se tornaram, decidem começar a beber diariamente. A experiência surge com a crença de que, se o fizeram, isso servirá para os desinibir social e profissionalmente.

O filme, nomeado para os Óscares, é divertido, eufórico e, em parte, profundamente triste — exatamente como a vida (e algumas ressacas).

É talvez o melhor papel de Mads Mikkelsen até agora.

"Uma Miúda Com Potencial" (29 de abril)

É uma das estreias mais esperada do mês e um dos filmes que mais falatório tem gerado a propósito da sua nomeação para os Óscares. "Uma Miúda Com Potencial" põe, no centro da ação, uma mulher que vive traumatizada devido a um acontecimento no passado que a mudou para sempre.

Agora, vive com a missão de se fingir alcoolizada e vingar-se de todos os homens que se tentem aproveitar do seu aparente estado de fragilidade.

"O Pai" (6 de maio)

Com Anthony Hopkins e Olivia Colman nos papéis principais, "O Pai" mostra o trabalho (e os dilemas) dos cuidadores informais.

Neste caso, a personagem de Olivia Colman tem de lidar com o lento deteriorar do estado mental do pai que, apesar das mudanças que sente na sua mente, recusa toda a ajuda que lhe é oferecida.

À medida que vai definhando, este homem vai questionando o amor daqueles que lhe querem bem e, acima de tudo, a sua própria realidade.

"Minari" (13 de maio)

Nomeado para o prémio de Melhor Filme, "Minari" passa-se em 1983 e acompanha a família Yi que decide mudar-se da Califórnia para Arkansas.

É através da mudança de uma família sul-coreana, agora a tentar singrar na zona rural dos EUA, que o filme aborda questões como o multiculturalismo, o racismo e o sentimento de pertença num contexto cada vez mais global.

"Minari" destaca-se ainda por ser um dos papéis mais elogiados de Steven Yeun, que se popularizou na série "The Walking Dead".

Os filmes que pode esperar para ver mais tarde

"Music" (19 de abril)

Misturando o drama, a comédia e o género musical, "Music", realizado pela cantora e compositora Sia, acompanha a evolução de Zu — uma jovem que, após a morte inesperada da avó, se vê obrigada a assumir o papel de cuidadora legal da irmã autista, Music.

A produção, que chega agora às salas de cinema portuguesas, assenta na importância da família, mas também na necessidade de encontrarmos a nossa própria voz. Haja ou não música que nos acompanhe.

"Happy Together" (21 de abril)

Além dos filmes nomeados para os Óscares, também vai poder encontrar alguns dos clássicos do realizador Wong Kar-Wai. "Happy Together" é um deles, sobre um casal que decide fazer uma viagem até Argentina com o objetivo de, talvez, tentar salvar o que resta da relação.

A viagem, no entanto, faz com que os dois homens se afastam cada vez mais um do outro. E nem o amor parece ser suficiente para os salvar.

Albano Jerónimo. "A vida muitas vezes não nos salva e eu gosto dessa crueldade"
Albano Jerónimo. "A vida muitas vezes não nos salva e eu gosto dessa crueldade"
Ver artigo

"2046" (27 de abril)

Considerado por muitos como um dos grandes clássicos de Wong Kar-Wai, "2046" acompanha a vida de vários mulheres que, por razões várias, acabam por fazer parte da vida de um autor de ficção científica que vive em desgosto depois de ter perdido aquela que considerava ser o seu amor verdadeiro.

"Raya e o Último Dragão" (19 de abril)

O filme já está na Disney+, mas só agora chegará às salas de cinema do País. A nova grande aposta na animação da Disney passa-se em Kumandra, a cidade que ficou marcada por uma profunda harmonia entre humanos e dragões que conviviam sem conflitos.

Pelo menos, até o momento em que força exterior, e de identidade desconhecida, ameaçou destruir a terra, exterminando os dragões que tentaram proteger a humanidade.

Nesta nova aventura, Raya tem a tarefa hercúlea de encontrar o último dragão e salvar, uma vez mais, o mundo.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.