O nome soa a Netflix, mas aqui substituiu-se o Net pelo Spam e criou-se a Spamflix que, feitas as contas, não é muito diferente de todas as outras plataformas de streaming disponíveis em Portugal. A única exceção é que esta não obriga a uma mensalidade obrigatória para consumir conteúdo. E o conteúdo, esse é dedicado ao cinema de terror ou fantástico, quase sempre independente, e que não se encontra em mais lado nenhum por vias legais.

Criada pela brasileira Julia Duarte e o italo-alemão Markus Duffner em 2018, a verdade é que a Spamflix é uma plataforma que foi pensada, idealizada e implementada em Portugal.

Um dos meios de financiamento do serviço é, aliás, o Programa Operacional Lisboa 2020 que permite a criação de um catálogo de filmes independentes, muitas vezes premiados em vários festivais, mas de difícil acesso ao grande público por não terem conseguido distribuição internacional.

E o catálogo da Spamflix está repleto de raridades, como "Embargo", a longa metragem baseada no conto de José Saramago, o thriller "Berberian Sound Studio", que integrou a seleção oficial do Festival de Cinema de Locarno ou até mesmo "A Floresta das Almas Perdidas" — o filme de 2017 que, realizado por José Pedro Lopes, conta a história de um local ficcional escolhido por várias pessoas para se suicidarem.

Libreflix é a nova plataforma de streaming totalmente gratuita (e legal)
Libreflix é a nova plataforma de streaming totalmente gratuita (e legal)
Ver artigo

Em média, são mais de 70 filmes que vão sendo atualizados regularmente no catálogo e que não precisam de uma adesão a uma mensalidade como é habitual na concorrência. Pelo contrário, a criação de uma conta na Spamflix é totalmente gratuita e o utilizador só paga aquilo que quiser ver através de um sistema de aluguer.

Cada filme, seja ele mais ou menos recente, tem um preço fixo estipulado em apenas três euros. Uma fez feito o aluguer, através de cartão de crédito ou PayPal, o filme fica disponível por 72 horas e pode ser visto no browser, ou nas aplicações disponíveis para iOS e Android.

Apelidada, pela revista "Geek Spin", como "a Netflix para os fãs de filmes de culto", o serviço promete ser um complemento a quem já subscreve outros como a Filmin, também especializada numa curadoria de cinema independente que alterna entre a modalidade de aluguer e de mensalidade fixa.

Numa tentativa de reforçar a sua presença no mercado português, a plataforma está a oferecer um cupão a novos utilizadores que se registem na plataforma. O voucher é automaticamente associado à conta de cada utilizador e é válido para qualquer conteúdo disponível em catálogo.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.