M.I.A acaba de criar a sua própria conta na plataforma de subscrição Patreon e é nela que, junto de outros artistas, vão caber os trabalhos desenvolvidos pela intérprete de "Paper Planes", à semelhança do que acontece no iTunes, Spotify ou Youtube.

"Criei o Patreon, porque faço muitas coisas e gravo tantas coisas que não são música e não se encaixam em outras plataformas", explicou M.I.A à revista "Rolling Stone".

Mas em causa está também o descontentamento com todas as plataformas que existem, onde potencialmente a artista poderia colocar o seu trabalho. “Eu tentei todas as outras plataformas e é assim: uma é muito cruel e odiosa, outra é muito falsa e obcecada em si mesma, e outra vende todos os nossos dados para o Cambridge Analytica."

Christopher Wylie. "Se conseguimos legislar a energia nuclear, porque não conseguimos legislar a merda da internet?"
Christopher Wylie. "Se conseguimos legislar a energia nuclear, porque não conseguimos legislar a merda da internet?"
Ver artigo

O dinheiro das subscrições tem um fim específico: "Quero usar o dinheiro das subscrições para o próprio Patreon. Quero mesmo ter um projeto que seja capaz de ajudar outras pessoas. Construir uma escola ou ser capaz de inaugurar uma exposição, ajudar futuros artistas ou até mesmo construir uma coisa que vocês precisem. Eu quero voltar a usar a internet de uma maneira positiva. Eu não quero ser uma influenciado. Eu quero ser uma distribuidora a sério."

A artista vai agora andar a viajar pelo mundo, sempre com uma câmara às costas para registar momentos e usá-los na conta da plataforma. "Eu também quero que isto seja divertido e aleatório. Posso estar no Sri Lanka a cozinhar ou posso estar num Ashram silencioso na Índia durante um mês e não poder falar. Ou a entrevistar pessoas interessantes, fazer reportagem, fazer roupas, quadros, ver até onde é que me leva."

Há duas possibilidades de subscrição para seguir os trabalhos de M.I.A na plataforma: um de cinco dólares (Arular) e outro de dez (Kala). Nos dois, o subscritores terão acesso às filmagens do documentário que M.I.A vai produzir nesta viagem, assim como acesso exclusivo a arquivos de arte, livestream, fóruns de fãs e diários em vídeo. Os subscritores Kala podem ainda ter acesso a livestreams da artista em tempo real e ter acesso a conteúdo exclusivo.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.