Vivemos num mundo em que os convites presenciais ou não acontecem ou são, de facto, muito raros. Já lá vai o tempo em que cruzar olhares num bar, num restaurante ou no café servia de mote para alguém se aproximar e fazer um convite para um encontro – agora, só temos contacto com essa realidade nos filmes (vá, praticamente).

Para o bem ou para o mal, o mundo dos relacionamentos foi-se adaptando a esta nova forma de as pessoas procurarem um grande amor. Graças à Internet, surgiram aplicações como o Tinder ou o Bumble para facilitarem essa tarefa. No entanto, não tardou até os utilizadores serem confrontados com um cenário diferente: estas aplicações podiam funcionar como catapultas para um relacionamento duradouro, mas, na maioria dos casos, serviam apenas para construir conexões efémeras.

Assim, no final de 2014, surgiu o Felizes.pt, um site criado para "suprir uma lacuna do mercado", segundo Rui Sousa, o co-fundador, que considera o "povo português mais romântico e sério no que toca aos relacionamentos". Ora, se os portugueses são românticos natos, aplicações de encontros que se pautem pela volatilidade dos relacionamentos não lhes acrescentam nada – e nesta plataforma só entra quem tem este perfil.

Felizes.pt
créditos: MAYER MATTER

Os pais dos utilizadores do Tinder usam o Felizes.pt, garante o site

O típico utilizador da Felizes.pt pode ser mais velho (o que até valeu a comparação com os pais de quem usa o Tinder, um paralelismo feito pela comunicação do site), mas nem por isso é menos merecedor de encontrar um companheiro no mundo digital.

"A nossa média de idades é de cerca de 41 anos", explica Rui Sousa à MAGG, acrescentando que "esse tipo de pessoas, muitas vezes, está à procura de uma segunda oportunidade para um grande amor". Logo, há lugar para os solteiros, viúvos e divorciados – sendo esses os três estados civis preferenciais, segundo o co-fundador.

Karma ou pouco cuidado? "Impostor do Tinder" burlado em mais de 6 mil euros no Instagram
Karma ou pouco cuidado? "Impostor do Tinder" burlado em mais de 6 mil euros no Instagram
Ver artigo

Por outro lado, a infidelidade também não é bem-vinda. "Não nos interessam pessoas casadas e também não apelamos a uma faixa etária muito nova", enfatiza Rui Sousa. Apelar a "uma faixa etária mais alta e com uma cultura de educação mais altas, que procuram as mesmas coisas" (relacionamentos) é o mote – e Rui Sousa acredita que essa tarefa tem sido bem sucedida.

Isto porque foi criado um ecossistema que exclui todos aqueles que não contribuem para o seu bom funcionamento. E é por isso que todas estas regras (sejam elas implícitas ou explícitas) têm como objetivo salvaguardar a plataforma e fazer com que a missão dos utilizadores seja cumprida.

Adeus, nudez. Olá, personalidade.

Com a Internet, o envio de fotografias de nudez (vulgo, nudes) tornou-se cada vez mais comum. Não que isso seja mau, uma vez que, quando acordado pelas duas partes, pode apimentar qualquer relação – o pior acontece, de tempos a tempos, ao surgirem aqueles conteúdos não consentidos. Felizmente, da mesma forma que criam problemas, as tecnologias também apresentam soluções. Por isso, para filtrar estes conteúdos na Felizes.pt, a inteligência artificial é protagonista.

"Alguém que se queira registar com uma fotografia de nudez, nós filtramos com um algoritmo baseado em inteligência artificial, que percorre a fotografia e nos dá uma resposta que nos diz de zero a 100 qual é a probabilidade de aquela fotografia ter nudez", revela Rui Sousa. Acrescenta ainda que "a partir dos 70% é considerado positivo", pelo que fica pendente de um controlo manual pela equipa de controlo de qualidade – e, havendo essa confirmação, o perfil não é aprovado.

Influenciado pelo Mirc, um programa de chat lançado nos anos 90, o ideal é que os utilizadores se conheçam e construam a sua relação com base na personalidade e não na forma física. "Se já tivermos um contacto prévio com as pessoas, acabamos por ser um bocadinho mais benevolentes em julgar algo físico que, à primeira vista, não nos atrairia", acredita Rui Sousa.

A inteligência artificial também entra em ação no que às descrições diz respeito. "A qualquer descrição que tenha palavras que remetam a um conteúdo sexual, que sejam traduções automáticas do inglês, com erros ortográficos é feita uma validação automática", garante o co-fundador. E isso reduz exponencialmente situações como burlas e outros cibercrimes.

Rui Sousa tem a certeza de que "esta filosofia e este esforço contribuem para o sucesso". De seguida, conclui: "O nosso sucesso é medido pelo número de pessoas que, depois, nos dizem que encontraram alguém". Por isso, se procura relacionamentos "de uma noite, de uma semana ou um Summer love [amor de verão]", não é aqui que os vai encontrar.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.