Quando bebemos um café há várias coisas que nos passam pela cabeça. Se é mais ou menos intenso, a sua origem, que método foi utilizado na sua preparação ou para os conhecedores de café, se é um café arábica ou robusta. Aquilo em que talvez nem sempre se pense é se este café é, ou não, proveniente de cultivo sustentável.

Existe uma preocupação, cada vez mais crescente, em relação às origens do café e as marcas procuram obter o seu café através de fontes de cultivo sustentável. Em 2020, a Fábrica do Porto, onde é produzido todo o café SICAL desde a fundação da marca, em 1947, obteve 89% do seu café através de cultivo sustentável. Mas não vai ficar por aqui.

Até 2022, SICAL pretende que 100% do seu café seja proveniente de fontes de cultivo sustentável, de forma a garantir a qualidade do produto, mas também o respeito pela produção desta bebida com mais de 400 anos de história em todo o mundo.

Mas o que é que faz, afinal, este café ser de origem sustentável?

O café utilizado nos lotes SICAL é certificado pela 4C (Associação do Código Comum para a Comunidade do Café), uma entidade independente que assegura que os grãos de café respeitam critérios de sustentabilidade assentes em três dimensões: ambiental, social e económica.

O café proveniente de Cultivo Sustentável segue as boas práticas de agricultura, proteção do solo, água e ar durante a produção de café e promove melhores condições de vida para as comunidades de cafeicultores, enquanto garante que os diretos humanos e de trabalho são respeitados.

O café SICAL forma parte de um projeto de criação de valor para agricultores, comunidades e planeta. SICAL apoia os agricultores nos seus projetos de melhoria de processos, nomeadamente promovendo a preservação da paisagem natural e biodiversidade dos locais onde o café é produzido. Por outro lado, ao apoiar estes projetos, desenvolve condições para que a agricultura seja uma atividade economicamente atrativa para as atuais e futuras gerações de produtores de café.

Através da certificação 4C, a marca consegue rastrear os grãos de café até aos produtores. encontrando fornecedores que garantam boas condições de trabalho a todos os seus trabalhadores. Assim, estão envolvidos com as comunidades de modo a gerar valor sustentável para todos os agricultores, bem como para as comunidades em que estão envolvidos.

Além disso, os agricultores e produtores têm acesso a formação de qualidade, passando assim também a saber utilizar práticas de agricultura que protejam o solo e a utilizar os recursos naturais de forma sustentável. Desta forma, não contribuem para a desflorestação e beneficiam a biodiversidades destes solos. Os agricultores ficam assim capacitados a que eles próprios sejam capazes de identificar os melhores grãos de café. Assim, a produção é rentabilizada economicamente ao mesmo tempo que se garante que os grãos de café selecionados têm a melhor qualidade possível e o respeitam o planeta.

SICAL celebra a autenticidade e genuinidade das origens do café, com respeito e especial atenção a todas as etapas de produção, desde a seleção dos grãos de café até à chávena.

Saiba mais em SICAL.PT

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.