Há cada vez mais séries para ver e a dificuldade está entre decidir a qual nos atirarmos primeiro depois de um dia stressante de trabalho. Nessa perspetiva, quase se torna aceitável ser pecador e agradecer quando uma série é cancelada. Se isso significar termos mais tempo para ver aquelas que realmente valem a pena, porque não? Só que, atualmente, isso coloca-nos dois problemas.

Não só há poucas séries elogiadas pela crítica a serem lançadas, como há cancelamentos que são tão imprevistos ao ponto de deixar uma frustraçãozinha que só passa depois de vários dias de amuo.

Aconteceu, por exemplo, com "The OA" que, depois de uma segunda temporada com um final aberto, foi cancelada pela Netflix quando nada previa que fosse esse o desfecho de uma série muito elogiada pela crítica. E, mais recentemente, com "Ray Donovan", que foi cancelada quando nada previa que isso fosse acontecer.

Os fãs fizeram-se valer das amplificação que as redes sociais promovem. Queixaram-se, mostraram-se insatisfeitos e exigiram que a decisão pudesse ser revertida. Mas o dinheiro (e as audiências) são quem falam mais alto e, por isso, não é esperado que o cenário vá mudar.

A série que ninguém está a ver. "Fariña" é para quem já não pode ver "Narcos" à frente
A série que ninguém está a ver. "Fariña" é para quem já não pode ver "Narcos" à frente
Ver artigo

Mas há cancelamentos que vêm por bem: ora porque a história de uma série já deu o que tinha a dar, ou porque o melhor é terminar em grande para evitar cair na monotonia a que outras grandes — leia-se, populares — séries se prestam (estamos a bocejar só de pensar em "The Walking Dead").

Além de "Por Treze Razões", uma das séries da Netflix que termina este ano depois de várias temporadas recebidas com pouco entusiasmo pela crítica, a empresa decidiu também terminar "Insatiable" — depois de o público não ter aderido a uma das histórias mais polémicas da plataforma.

Ao longo de duas temporadas, esta comédia negra dá a conhecer a história de Patty (Debby Ryan), uma adolescente americana com excesso de peso que é diariamente vítima de bullying por parte dos colegas da escola. Entre comentários como “cheira a bacon”, cada vez que Patty passa pelos corredores da escola, ou cartazes com a cara da personagem colada ao corpo de um porco, todas as armas são válidas para a atacar.

Mas não foi a única a terminar em 2020. Mostramos-lhe todas as séries na Netflix que chegam (ou já chegaram) ao fim este ano.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.