A Netflix tem apostado cada vez mais no segmento de filmes e séries de terror, mas não têm sido as grandes produções aquelas que têm cativado mais os fãs deste género, mas sim os filmes independentes e feitos muitas vezes com orçamentos pequenos. É o caso deste novo "Maldição", que está já nos tops mundiais dos filmes não-americanos mais vistos. E a razão parece ser evidente: é absolutamente assustador.

"Pessoal, não vejam o filme da Netflix 'Maldição' porque ele está a destruir-me a mente. Nunca nada me assustou tanto. Não vos estou a dizer para irem ver. Não. Estou a dizer-vos para o evitarem seriamente". As palavras são um tweet de Pablo Monti, um utilizador argentino, e tornaram-se virais, já com mais de 60 mil gostos.

"O Gabinete de Curiosidades". Está a chegar a série de terror da Netflix mais aguardada do ano
"O Gabinete de Curiosidades". Está a chegar a série de terror da Netflix mais aguardada do ano
Ver artigo

O filme passa-se em Taiwan e conta a história de uma mãe chamada Li Ronan que tenta salvar a filha de uma maldição mortal, depois de ela se envolver numa seita. Uma das originalidades do filmes é o facto de haver um apelo a que quem está a ver também participe na história. No início do filme, é pedido aos espectadores que ajudem Li repetindo um cântico misterioso que irá ajudar a eliminar a maldição. É pedido então a quem está a ver que repita: "Hou-ho-xiu-yi, si-sei-wu-ma". Mas estas palavras, que cada pessoa repetiu, vão ser importantes, muito importantes, mais para o final da história. Um dos atores principais do filme, Kao Ying-hsuan, diz que este cântico é um ditado chinês que significa "A boa sorte segue-se à catástrofe; a catástrofe persegue a boa sorte".

Embora tenha um ar muito realista, "toda a história é fictícia, e até a religião criada é falsa", garante a atriz principal, Tsai Hsuan-yen. "O mais importante é que os vossos pensamentos podem mudar o mundo, e os bons pensamentos trarão bons resultados". Para a atriz, a maldição "foi realmente espalhada pelo amor de uma mãe pela sua filha". "Acho que o amor torna-te forte e também te deixa louco para fazeres coisas tão parvas".

Meio a brincar, a atriz diz que "lamenta muito" ter assustado os espetadores. "Mas na verdade não estamos assim tão arrependidos. Aqueles que assistiram ao filme inteiro são verdadeiramente os mais corajosos".

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.