Zé Lopes foi o convidado deste sábado, 2 de outubro, do programa "Conta-me", da TVI. Em entrevista a Manuel Luís Goucha, o jovem de 23 anos falou sobre a infância difícil, o bullying de que foi alvo na escola e a vinda para Lisboa à procura do sonho.

A personalidade exuberante, que o próprio admite ter, fez com que passasse por situações pouco agradáveis na vida. Uma delas foi o preconceito de que foi alvo por parte de Manuel Luís Goucha. Numa conversa sincera, o veterano da TVI assumiu que devia um pedido de desculpas público a Zé Lopes.

Zé Lopes troca a SIC pela TVI. Cronista volta a trabalhar com Cristina Ferreira
Zé Lopes troca a SIC pela TVI. Cronista volta a trabalhar com Cristina Ferreira
Ver artigo

"Eu fui preconceituoso contigo por causa da tua exuberância. Faço questão de te pedir desculpa publicamente. Tu abriste a minha cabeça. Eu pensei 'como é que é possível eu ser preconceituoso?'. Todos nós temos preconceitos e eu entendi que tens todo o direito à tua exuberância. Tens todo o direito a ser feliz. Se a tua felicidade passa por seres como és, eu tenho de a respeitar", disse Manuel Luís Goucha.

Apesar de admitir que a atitude de Goucha o fez duvidar das suas capacidades como profissional, o jovem refere que não guarda ressentimentos e realça que Goucha foi "muito generoso" quando lhe pediu desculpa. "Pus-me em questão nessa altura. Mas fiquei muito satisfeito quando recebo aquela mensagem. Foi no dia em que ia começar o 'Passadeira Vermelha'", recorda o jovem.

"Nunca te faltei ao respeito, mas disse-te 'eu não te quero em reportagem num programa apresentado por mim', queres coisa pior? Chama-se a isto cortar as pernas a uma pessoa e por isso eu pedi-te desculpa", acrescentou Manuel.

Zé Lopes entrou pela primeira vez na TVI a 9 de abril de 2018, para estagiar no "Você na TV" no âmbito do curso de Comunicação Social que estava a tirar em Coimbra. Acabou por não ficar após o estágio, mas Cristina Ferreira não se esqueceu dele. Depois de uma passagem pela SIC, regressou à TVI para o "Somos Portugal", programa do qual acabou por ser afastado.

"Acho que a opinião pública também teve impacto na decisão. Vi coisas muita feias e que me magoaram muito. Acho que as pessoas foram muito violentas sem sequer termos começado", disse Zé, considerando que não houve tempo para mostrar a sua verdadeira personalidade.

Zé Lopes fala sobre infância difícil e bullying de que foi alvo

Zé Lopes sempre foi uma criança feliz, pertencia a uma família abastada e nunca lhe faltou nada, até ao dia em que o pai acaba por ser preso. "O meu pai foi preso porque foi enganado por alguns dos fornecedores do café e achou que conseguia resolver tudo sozinho, não percebendo que estava a cavar mais buracos. Nem à minha mãe recorria. Acaba por ser preso porque atropela um agente de autoridade. Foi condenada a cinco anos, mas esteve quatro porque saiu por bom comportamento", conta a Manuel Luís Goucha.

Durante esse período, entre os 5 e os 9 anos, Zé sempre visitou o pai na prisão. Questionado por Manuel Luís Goucha sobre como foi ver o pai atrás das grades, o jovem não esconde que foi "muito complicado. "Via muitas vezes pessoas a tentar entrar com droga, era muito agressivo e viver isto tudo com aquela idade deixa marcas. Mas sei que também era uma vontade minha ir ver o meu pai".

Durante este período, Zé diz que a mãe "nunca baixou a guarda" e admite que o pai saiu um homem mudado da prisão, para melhor. "A minha mãe é o maior exemplo que eu tenho de perdoar. Passou-se isto tudo e a minha mãe ficou sempre ao lado dele", conta.

Na escola, Zé também viveu momentos difíceis. A Goucha, o jovem confessa que foi alvo de bullying severo. "Quando falamos de bullying de forma leviana incomoda-me porque todas as situações de bullying têm de ser denunciadas. Eu passei muito. Levei tareias. Era gordinho, era exuberante, era o saco de pancada."

Ainda assim, Zé Lopes frisa que não quer que o "achem um coitadinho". Numa publicação partilhada na rede social Instagram, minutos antes da entrevista ir para o ar, o jovem disse: "Quero sim que pensem na resiliência com que temos de enfrentar as situações mais desafiantes e na forma como o sonho deve ser sempre o nosso foco".

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.