Jay Oliver foi expulso do "Big Brother Famosos" na terça-feira, 1 de fevereiro, com 52% dos votos do público. Em segundo lugar ficou Jardel, com 48%. Já cá fora, o cantor angolano conversou com os jornalistas sobre o seu estado civil, a prestação dentro da casa e as polémicas em que esteve envolvido.

Lá dentro, lidou com "muitas emoções, muitas tensões". "Sinto-me livre disso agora", garantiu. A expulsão não foi surpresa. "Pelas pessoas que estavam nomeadas, sabia que era o menos jogador", avançou. "Em termos de ações de jogo, fui um bocado fraco", continuou.

Quem é Jay Oliver, o músico angolano que entrou mais tarde na casa do "Big Brother Famosos"?
Quem é Jay Oliver, o músico angolano que entrou mais tarde na casa do "Big Brother Famosos"?
Ver artigo

"Sou de poucos escândalos. É mesmo a minha forma de ser. Tenho muito cuidado com esse tipo de atitudes", explicou, quanto à sua postura mais discreta no jogo. "Tive oportunidades de me chatear com as pessoas, mas não consegui", adiantou. O artista destacou-se mais devido à dinâmica com Jaciara, que o acusou de ser "machista" e "conservador" — algo que o cantor veio a confirmar como sendo verdade.

Para Jay Oliver, foi este o episódio que ditou a sua expulsão. Considera que Jaciara "está a fazer um jogo que é um bocado perigoso". "Sei que vou ter uma explicação fora das câmaras de porque é que o jogo da Jaciara foi daquele jeito", esclareceu, garantindo preocupar-se "muito" com a brasileira por pertencerem à mesma agência. "Era a pessoa mais chegada a mim", afirmou, justificando essa preocupação. "Houve vezes em que eu podia chatear-me, mas percebi. Podia nomear a Jaciara, não nomeei", argumentou.

"As pessoas têm de se portar bem. Eu não vou querer que uma mulher minha se vista com roupas muito vulgares"

Jay Oliver e Jaciara chegaram a trocar um beijo por iniciativa da brasileira e falaram sobre os sentimentos que nutriam um pelo outro. "Tive interesse, sim. Não fingi ser uma coisa para poder sobressair no jogo. É uma pessoa que me chamou a atenção, apesar de ter alguns comportamentos de que eu não gostei na casa", avançou.

"Acho que estive bem, não fui invasivo. Percebi quando a Jaciara se desligava de mim e dava atenção para as outras pessoas, deixava a Jaciara ir. Mas eu sentia mesmo que ela também sentia falta e perguntava 'porque é que ele já não vem ter?'", relembrou. "Eu percebi qual era o jogo da Jaciara", esclareceu.

O músico explicou a sua perspetiva quanto às acusações de ser "machista" e "conservador". "É importante saber que eu não dirigi as palavras para a Jaciara. A pergunta foi feita: 'qual é o teu tipo de mulher?'. As pessoas é que percebem que eu disse que a Jaciara é o tipo de mulher mais isso, mais aquilo. Eu não disse isso", garante, "para as pessoas não levarem isso para 'o Jay é machista'", justifica.

"Não é tão relevante. Todos os homens têm um bocado de machismo. É uma preocupação que a gente tem com as nossas parceiras", argumentou. "De maneiras a que não provoque as outras pessoas, em termos de maus comentários. As pessoas têm de se portar bem. Eu não vou querer que uma mulher minha se vista com roupas muito vulgares, muito apertadinhas em todos os sítios", continuou. "É normal que eu tenha algumas coisas mais reservadas por causa da imagem e por causa dos meus princípios. A minha cultura é fechada, mas eu percebo a cultura dos outros", acrescentou.

"Houve um momento em que quis sair"

Jay Oliver revelou aos jornalistas que considerou desistir do desafio. "Houve um momento em que eu quis sair, porque já não me sentia bem no meio das pessoas", avançou. Pensou: "Acho que não estou aqui a fazer nada. Se calhar, a imagem que eu estou a passar lá fora é de um pobre coitadinho, que veio de Angola, que não aprendeu isso e não fala isso", elaborou. "Senti que saí no momento certo", assegurou.

Entrou com pessoas portuguesas com as quais tem "pouco contacto", disse. "E que pessoas. Bruno de Carvalho...", exemplificou. "Pessoas muito talentosas, que tiveram oportunidades de formação, de vida e tudo mais. Coisas que eu não tive", continuou. "Senti-me, às vezes, um bocado limitado, e um bocadinho também de parte, porque não havia muitas pessoas que se identificassem comigo", esclareceu.

Uma das razões que o levou a aceitar o desafio foi a hipótese de "crescer em Portugal", país onde quer passar a viver. "Este ano consegui tirar a residência. Estou a pensar seriamente em trazer os miúdos para cá. Há uma dificuldade em termos de vistos e tudo mais. Vou tratar desse assunto. Quero muito que os meus filhos venham para cá estudar e viver", revelou.

Jay Oliver é pai de Zoé e Aquiles, filhos de mães diferentes. A mãe de Aquiles concorda com a vinda do menino para Portugal, já a mãe de Zoé, de quem está "um bocado afastado", parece mais reticente. "Eu sou muito ligado aos meus filhos", afirmou, apenas considerando emigrar caso eles venham consigo. Outro dos motivos desta vontade prende-se com a segurança.

"Tenho medo, porque Angola é muito diferente daqui"

Em  2017, Jay Oliver foi assaltado e brutalmente espancado em Luanda. O medo continua consigo. "Mas hoje vivo numa segurança mais intensa", garantiu. "Aquilo por que passei foi devido a uns negócios que eu tinha à parte, e hoje tenho mais cuidado com isso. Tenho medo, porque Angola é muito diferente daqui", considerou, referindo perseguições.

O cantor angolano tem vários episódios intensos com a própria legião de fãs, algo que já considera "normal". Durante a sua estadia na casa mais vigiada do País, surgiram rumores de que estaria casado com uma mulher de Esposende, algo que desmentiu. "Eu sou solteiro. Por acaso, não tenho compromissos com ninguém cá em Portugal", esclareceu.

Jay Oliver explicou ainda que passou recentemente por uma separação de uma relação de sete anos, neste caso com a mãe da filha mais nova. "É uma coisa muito recente. Ainda não tive oportunidade de falar e saber como estão as coisas", disse. "É uma das razões que me fez entrar para o Big Brother", afirmou também. "Se eu tivesse um compromisso, entrava no Big Brother, mas não teria a postura que tive lá. Tive momentos com a Jaciara", garantiu.

"Entrei um homem sem compromisso e, até agora, sou um homem sem compromisso", reforçou. "Em Angola, nós levamos com cada uma. Não contava que cá em Portugal fosse ter esse tipo de fãs, pensava que era só em Angola", referiu. "Tenho películas no carro, porque se eu baixar o vidro, é um escândalo", exemplificou.

"Acredito muito nos sentimentos do Bruno. Já vivi uma situação igual"

Jay Oliver falou com os jornalistas acerca do que passa na casa, que, para si, "está prestes a pegar fogo". "O Jardel já não se aguenta. Ele falava do Bruno nas costas, agora ele já consegue falar algumas coisas. Diz que desde o princípio que ele não estava a encaixar muito bem o Bruno", revelou, salientando também que era a Jardel que daria o prémio final. "É uma pessoa extrovertida, tem um bom coração, opina pouco", disse, acerca do colega.

Quanto à relação entre Bruno e Liliana, o cantor angolano apenas duvida dos sentimentos da artista. "Não julgo. Acredito muito nos sentimentos do Bruno. Já vivi uma situação igual", contou. "Já gostei muito de uma mulher que gostava de mulheres e percebo, porque também ela tinha um carinho por mim", explicou. "Quanto à Liliana, sei que, no princípio, ela estava aí com 'vai, não vai'. Não consigo dizer se é aquele conforto de estar sempre protegida, se é mesmo amor. Não sei. Mas nos sentimentos do Bruno, eu acredito", garantiu.

Na final, vê Jorge Guerreiro e Bruno de Carvalho. "O Bruno é muito bom jogador e sabe defender-se bem", considera. "Mas o Jorge nunca teve choques e tem um jogo muito limpo", argumentou também. "O Kasha também, mas já há aí uns choques com o Bruno", recordou. É Marta Gil a concorrente com a qual menos se identificou. "Eu já cheguei, ouvi uma voz alta e já me fazia confusão. Não estava acostumado. Cada vez que a Marta falava, eu assustava-me", brincou.

"Mas é uma pessoa muito querida e muito preocupada. Ela é uma atriz mesmo 24 [horas]", disse, revelando que chegava a fartar-se desta atitude. Por outro lado, o cantor já conhecia Laura Galvão, que desistiu do "Big Brother Famosos" a 16 de janeiro. O par apenas esteve junto dois dias fora do contexto, mas já tinha grande cumplicidade. Para Jay, Laura é "uma pessoa muito top".

"Percebi a saída da Laura. Ela é muito ligada à filha. Qualquer pessoa que não está acostumada a este tipo de tensões, a estar distante da família... Acho que não há dinheiro nenhum que compense", considerou. Disse que todos os concorrentes conseguiam entender o "sofrimento" de Laura. "Havia vezes em que a Laura sorria só mesmo para não mostrar aquela imagem. Mas ela estava a sofrer muito, e fez ela muito bem", rematou.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.