Depois do sonho de ser jogador de futebol, veio a ambição de uma carreira militar, mas ambos terminaram devido a uma lesão no pé. Rafael Teixeira tem 28 anos e apresentou a Curva da Vida durante a gala do "Big Brother" deste domingo, 17 de outubro.

"Big Brother". Concorrentes só vão saber que estão nomeados no próximo domingo. Saiba quem são
"Big Brother". Concorrentes só vão saber que estão nomeados no próximo domingo. Saiba quem são
Ver artigo

Aos 8 anos, apaixonou-se pelo futebol. "Não aceitava que dissessem que eu era fraco, não aceitava que dissessem que eu fazia um jogo mau. Nunca mostrei o meu ponto fraco e acho que foi um bocadinho isso que me tornou o que sou hoje."

Mas quem é, hoje, Rafael? Um jovem que se viu obrigado a desistir dos sonhos e cujos pontos fracos são o orgulho, a família e jogarem com os seus sentimentos, segundo revelou o próprio durante o segmento do reality show.

Jogador de futebol em Fafe, partiu um pé aos 17 anos e acabou por ser expulso da equipa. "Quando recuperei, o treinador disse que não me queria porque não queria aleijados na equipa dele", contou o concorrente, acrescentando que aquele foi o momento em que viu o seu maior sonho chegar ao fim.

Dois anos mais tarde, deu início à que diz ter sido a maior aventura da sua vida. Entrou para o exército, com nota máxima nos exames físicos e psicotécnicos de acesso. Contudo, durante o curso de combate, começou a sentir os primeiros efeitos da lesão no pé. "A dor ja estava a entrar no cérebro, tive vários trejeitos e disseram para eu parar, mas eu disse ' só saio daqui morto'."

Apesar do sofrimento, completou não só o curso de combate, como o de paraquedismo. Apesar de considerar que foi a pior decisão da sua vida, Rafael escolheu ser colocado no batalhão de paraquedista do exército por ser conhecido como a "ilha da morte lenta".

O empresário de Fafe recordou uma fase em que foi necessário andar à volta do quartel com uma mochila de 65 quilos às costas durante 24 horas e sublinhou que a lesão piorou com os treinos militares intensivos. "O médico disse-me a mim e à minha mãe que a única hipótese era amputar o pé", relatou, mencionando que a previsão era nunca mais conseguir andar direito, correr, saltar de paraquedas ou jogar à bola. "Aí percebi que era o fim da vida minha militar. Foi a pior fase da minha vida e abalou-me bastante."

Ex-namorada foi quem o ajudou a reconstruir a vida

Em 2014, Rafael conheceu a mulher que foi o grande amor da sua vida e o que ajudou a reerguer-se. Um ano depois de começarem a namorar, começou a recuperar da lesão e foi capaz de se endireitar. Em 2017, deu início a um novo desafio: as provas de culturismo.

Para o empresário, a pandemia da COVID-19 não foi o único marco no ano de 2020. Foi, também, quando começou a atingir as maiores vitórias. Sagrou-se campeão nacional da modalidade, ficou em 4.º lugar no campeonato mundial e em 5.º no europeu.

A relação amorosa durou sete anos e terminou antes de entrar na casa do "Big Brother". "Foi o pior dia da minha vida", confessou, acrescentando que, atualmente, não tem outro objetivo senão vencer o programa.

Rafael Teixeira sobre a irmã: "É a única pessoa por quem eu morreria"

Durante o segmento da Curva da Vida, o jovem de Fafe não entrou em detalhes sobre a sua infância, mas mencionou a relação de grande proximidade com a irmã e os pais, os seus pilares, e que os três são as pessoas mais importantes para si. "A minha mãe é basicamente a minha melhor amiga. Eu conto tudo à minha mãe."

Irmã de Rafael Teixeira esclarece comentários "machistas": "É a forma dele de ser bronco"
Irmã de Rafael Teixeira esclarece comentários "machistas": "É a forma dele de ser bronco"
Ver artigo

Em relação à irmã, Diana, nove anos mais nova, afirmou que é o seu ponto fraco, a mulher da sua vida e a única pessoa por quem morreria, mas apenas lhe conseguiu dizer que a amava no dia em que se inscreveu no reality show. Apesar de nutrir do mesmo sentimento pelo pai, nunca lho manifestou, e à mãe disse uma semana antes de entrar na casa.

O concorrente do "Big Brother" acredita que tem um coração gigante e ressalvou: "Quando gosto, eu não gosto, eu amo. Fica a ser a prioridade na minha vida".

No confessionário, a Cláudio Ramos e Manuel Luís Goucha, contou que, depois de ver o segundo sonho terminado, ficou mais agressivo, muito revoltado consigo próprio e com a vida, em geral. Começou a fumar, não tinha paciência para nada, nem conseguia ouvir conselhos e, na perspetiva da mãe, a fase de militar tornou-o pior pessoa. "Foi a maior derrota da minha vida", revelou aos apresentadores, a quem partilhou, também, a lição que aprendeu: "Nem tudo o que pensamos que está ganho, está ganho".

Rafael Teixeira é o líder da casa na próxima semana. Hoje, aos 28 anos, tem novos sonhos: vencer o "Big Brother" e ser pai, sendo que, este último, sente que o vai tornar num indivíduo mais tranquilo e controlado.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.