O conceito de trabalho mudou nos últimos meses: o teletrabalho veio para ficar e é nesse sentido que dois hotéis em Portugal acabam de transformar os quartos em escritórios para hospedar aqueles cujas empresas adotaram o trabalho remoto devido à COVID-19.

Por muito que o conforto de casa seja apelativo, nada como o conforto e luxos de um hotel para dar o ambiente de que precisa para trabalhar com motivação e, quem sabe, ser mais produtivo para no fim do dia ainda ter tempo para usufruir das ofertas do hotel.

Para responder a todas as necessidades e até localidades, o Lisbon Marriott Hotel, na Avenida dos Combatentes, em Lisboa, e o Hilton Vilamoura, no Algarve, são as duas unidades que, por instantes, deixaram de pensar nas férias dos hóspedes para se focarem nos luxos de quem quer trabalhar sob quatro e cinco estrelas, respetivamente.

Do oásis de Lisboa para o oásis do trabalho

Os conceitos andam lado a lado. Quem fica a trabalhar no Lisbon Marriott Hotel não fica indiferente aos quartos de decoração sofisticada, nem à vista para o jardim secreto no coração da cidade de Lisboa. É com este oásis como pano de fundo que pode agora trabalhar a propósito da iniciativa “Work Away”, que levou o Marriott a transformar os quartos em escritório.

E se pudesse trabalhar com vista panorâmica no Gerês? Esqueça os "ses", porque agora já pode
E se pudesse trabalhar com vista panorâmica no Gerês? Esqueça os "ses", porque agora já pode
Ver artigo

O que queríamos muitas vezes era mesmo mandar o trabalho embora, mas é mais fácil se o levarmos para um ambiente de hotel, onde terá todas as condições para trabalhar: uma mesa e cadeiras de escritório, internet de alta velocidade, televisão e casa de banho privada.

Estes são os básicos para satisfazer um dia de trabalho com o máximo de conforto, mas chegado o fim do horário laboral, não faltam opções para descontrair. É que quem aderir ao “Work Away” terá ainda acesso ao ginásio e a 30% de desconto no restaurante CITRUS e room-service (que pode desfrutar o tempo que quiser porque o estacionamento é gratuito).

Existem vários pacotes disponíveis — como escritório e quarto por uma noite ou apenas escritório — e os preços vão dos 60€ aos 120€. Pode ficar no quarto escritório entre as 8h e as 18h e ter a companhia de mais um colega, uma vez que são permitidas até duas pessoas por quarto.

No Algarve trabalha-se com vista piscina no Hilton Home Office

Como o trabalho nunca vem só, de vez em quando uma pausa sabe bem e o Hilton Vilamoura criou o Home Office já a pensar nos intervalos (quem não começa o dia de trabalho também assim?). Há então três programas temáticos para escolher antes de se aventurar entre reuniões e relatórios.

Um deles é o classic, nome que se deve ao tradicional coffee break que inclui pastel de nata, bola de Berlim, bolo de noz e cenoura, pasteis de bacalhau, café, chá, agua. Se café não chegar, pode optar pelo programa energy, que além de um coffee break para pessoas que precisam de dar energia ao corpo — com uma seleção de smoothies, mini brownie de cacau, bolo de limão e sementes de papoila, sandes de frango grelhado com puré de abacate e tomate, café, chá, agua —, oferece também acesso ao ginásio.

Já para os que têm dias frenéticos e tudo aquilo de que precisam são pausas tranquilas, têm o programa zen com um coffee break mais saudável, desde o iogurte com granola e frutos vermelhos, seleção de smoothies, cupcake de maça e canela, mini sandes integral com salmão fumado, até ao café, chá, e água, e ainda opção de receber uma massagem no 7 Seven Spa.

Para usufruir da experiência de trabalho no Home Office o valor é a partir de 17€ por hora, e o alojamento, com uma tarifa especial para quem está em teletrabalho, custa a partir de 90€ por noite para estadias mínimas de vinte dias no Deluxe Room, ou 110€ em apartamento, com pequeno-almoço incluído.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.