Em 2019, os atores Marta Andrino e Frederico Amaral compraram uma casa em Vila Franca Do Campo, na ilha de São Miguel, arquipélagos dos Açores, com o objetivo de ter um pequeno refúgio para poderem estar em família, juntamente com os pequenos Manuel, de 7 anos, e António, de 4, mas acabou por tornar-se num alojamento local chamado Casa Família Açoriana.

Trata-se de uma casa antiga na ilha que precisou de um trabalhoso restauro para ser aquilo que é hoje: a concretização de um sonho do casal e que só foi possível realizar graças ao apoio da família de ambos, incluindo da mãe e tios do ator micaelense e dos pais de Marta, que ficaram com as crianças enquanto ambos restauravam a casa "de cima a baixo".

Casa da Moira. O refúgio alentejano onde não somos recebidos como hóspedes. Somos família
Casa da Moira. O refúgio alentejano onde não somos recebidos como hóspedes. Somos família
Ver artigo

"Apostar num alojamento local aconteceu por acaso. Adquirimos a casa sempre para nós. Tínhamos vontade de ter uma casa de férias em conjunto. Surgiu ser na terra onde nasci, por ser um paraíso, por estarmos perto da minha família, que também é a da Marta, só que a casa tornou-se algo maior para nós", começa por contar Frederico Amaral à MAGG.

"Era para ser uma casinha assim mais pequenina e de repente acabámos por encontrar uma maior que fez mais sentido. Como passamos muito tempo no continente a trabalhar e fazemos vida aqui, não fazia sentido ter uma casa daquele tamanho constantemente fechada, só à espera que chegássemos lá", continua.

Foi então que decidiram partilhar a própria casa com outras famílias e foi daí que nasceu o nome Casa Família Açoriana: é para a família de Marta Andrino e Frederico Amaral, e para os demais que lá quiserem ficar quando os atores não precisarem de um refúgio nos Açores.

E não nos parece que sejam poucas as pessoas com vontade de conhecer este cantinho renovado pelas próprias mãos do casal de atores. É que desde início foram partilhando o processo da renovação da casa — na altura supostamente ainda para uso pessoal — e os seguidores começaram a ficar entusiasmados.

"Comprámos a casa em 2019 e fomos partilhando, porque é algo que faz parte do nosso dia a dia, a reciclagem de coisas, o restauro, todo o aproveitamento. Gosto muito de coisas antigas e o Frederico também ganhou esse gosto. Portanto, nas redes sociais, fomos partilhando o nosso dia a dia a tratar daquela casa e as pessoas começaram como que a pedir para abrir aquela porta", diz Marta Andrino.

Marta Andrino e Frederico Amaral
Marta Andrino e Frederico Amaral créditos: divulgação

Marta Andrino e Frederico Amaral decidiram mesmo fazê-lo e ao fim de dois anos de obras e conseguida a devida legalização, abriram a porta da frente da casa, que dá então acesso ao alojamento local composto por três quartos (com capacidade para seis pessoas), duas casas de banho, cozinha totalmente equipada para um pequeno-almoço ou almoço açoriano, pátio com jardim, churrasco e até um forno a lenha para quem quiser fazer pão ou pizzas.

Contudo, apesar de partilharem, quando estão de regresso aos Açores, é aqui que fica o casal de atores. "Esta é a nossa casa, é a Casa Família Açoriana, é assim que nos intitulamos, e abrimos as portas para as outras pessoas. É essa a ideia", reforça Marta.

Estrelas no céu açoriano e no chão especial do alojamento

Estrela Casa Família Açoriana
Estrela Casa Família Açoriana créditos: divulgação

A pandemia teve das suas coisas menos boas, mas ajudou a avançar com a recuperação da agora casa de férias dos atores e de figurantes que andem pelo Airbnb e Booking à procura de um alojamento simpático nos Açores. Durante dois meses da pandemia e muitos outros que se seguiram, o casal dedicou-se à restauração da antiga habitação, mantendo a traça típica açoriana desde o telhado à pedra vulcânica, assim como os alguns segredos que estavam lá dentro.

"A própria casa tinha muitas coisas antigas que restaurámos. Por exemplo, um escadote que estava lá passou a ser um candeeiro, umas das portas passou a ser uma mesa de jantar. Tentámos utilizar tudo ao máximo", diz Frederico, referindo-se à preocupação de ambos com o ambiente, refletida na casa. Marta Andrino dá seguimento aos exemplos e lembra um pormenor que torna a casa "original".

Joana Freitas transformou um barracão numa casa de sonho. Pedimos licença e ficámos à porta
Joana Freitas transformou um barracão numa casa de sonho. Pedimos licença e ficámos à porta
Ver artigo

"Temos uma estrela. Via-se que a casa tinha um chão vermelho no corredor, mas não era vermelho, coitadinho. E quando começámos a limpar e vimos que era vermelho, tentámos encontrar a cor original e salientar. Curiosamente também tinham deixado umas cadeiras velhas e ao lixar ficou com várias cores, incluindo o vermelho. Encontrámos também um funil vermelho e é o candeeiro. Portanto, essa zona ficou enquadrada com vermelho porque tínhamos esses vários elementos", refere Marta.

Outro segredo da casa é que esconde duas adegas nas quais o antigo proprietário da casa produzia vinho, razão pela qual se encontram aí pipas e lagares. Para já estão fechadas, mas "poderá fazer parte" do alojamento no futuro, quem sabe para algo "ligado às artes", avança Marta.

"Este é um projeto em construção, é isso que queremos que seja. Gostávamos muito de vir a ter uma piscina lá fora. Mas queremos que seja através do nosso trabalho, tempo. Não queremos que seja um projeto acabado. [Queremos] que faça parte da nossa vida e que cresça com os nossos filhos", continua Marta.

E é isso que diferencia a Casa Família Açoriana: o facto de ter a essência, criatividade e o trabalho árduo de Marta e Frederico, a estrutura das casas típicas açorianas e peças únicas no interior, desde coisas encontradas na rua ou "da família da Marta, o sofá que era da mãe dela e que já não queria foi para lá", revela Frederico, e uma localização privilegiada.

Uma casa para descobrir São Miguel

A Casa Família Açoriana é um sítio feito para estar, incluindo o pátio onde as crianças podem divertir-se a colher araçá, limão galego dos Açores (semelhante a uma tangerina) e outros frutos das árvores, mas também para visitar as imediações, como sugere o casal de atores.

Limão galego
Limão galego créditos: divulgação

Desde logo permite ir às praias mais próximas, a praia do Corpo Santo e a praia da Vinha da Areia, aceder a todos os outros locais da ilha através da via rápida, incluindo as Furnas de São Miguel, apenas a 15 minutos de carro. Sem ir para longe, pode visitar o ilhéu de Vila Franca do Campo — pequeno vulcão que é avistado a partir da Casa Família Açoriana — e a Ermida de Nossa Senhora da Paz e provar as queijadas de Vila Franca do Campo.

Para descobrir o interior e exterior da casa na ilha de São Miguel, reserve através do Airbnb ou Booking. A Casa Família Açoriana é alugada por inteiro para o mínimo três noites e a cada noite custa desde 150€ (variando conforme as épocas do ano).

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.