Criar um roteiro para 15 dias de férias não é tarefa fácil. Que atire a primeira pedra quem nunca perdeu horas a navegar por comentários online, a tentar perceber se o Instagram nos vai endrominar ou se, de facto, vamos mesmo encontrar uma paraíso digno de qualquer filme romântico ou catálogo de viagens. Depois de (demasiados) meses confinados, o melhor é não correr riscos no que toca às férias e seguir as dicas de quem sabe efetivamente do que fala.

Para isso, pela vasta experiência e provas dadas no domínio da arte de viajar, os Explorerssaurus (Raquel Janeiro e Miguel Mimosa)  juntaram-se à MAGG para lhe trazer o melhor roteiro para 15 dias de férias na Península Ibérica.

De malas feitas e de cabeça livre do stress e da azáfama do dia a dia, Raquel e Miguel sugerem que o roteiro comece pelo norte do País, mais precisamente pelo Parque Natural Peneda-Gerês. "O Gerês, em particular, em termos de beleza natural, é das zonas mais bonitas do país, com cascatas que não vemos em mais lado nenhum e praias fluviais de que gostamos muito. Sentes uma conexão diferente com a natureza", explica Raquel Janeiro.

De acordo com os planos do casal de exploradores, o ideal seria dedicar dois dias à descoberta do Gerês, com paragem obrigatória na cascata da Portela do Homem, cascata de Cela Cavalos e, ainda, na cascata do Tahiti. 

Da natureza do Gerês para o Grande Porto

Os jovens exploradores sugerem uma paragem breve pela cidade do Porto. "Se forem como nós e começarem o dia muito cedo e acabarem muito tarde, um dia é mais do que suficiente", avança Raquel Janeiro.

Para os adeptos de uma boa fotografia para o Instagram, o casal de exploradores recomenda vivamente um miradouro 'sem nome', junto ao famoso Jardim do Morro – onde se tem uma vista privilegiada para o grande Porto. "Como não é muito explorado, nunca tem muita gente e conseguem estar lá sozinhos e tirar fotografias à vontade", explica a Explorerssauru Raquel.

Explorerssaurus
créditos: Explorerssaurus

Seja para passear ou para fazer piqueniques ao final da tarde, o casal destaca o Jardim das Virtudes. Neste caso, porque, acima de toda e qualquer beleza, representa o início da relação de Raquel e Miguel. "Eu e o Miguel costumávamos fazer piqueniques por lá, quando começámos a nossa relação. Por isso, é um sítio muito especial para nós", recorda a jovem.

Ainda na cidade Invicta, "uma visita à livraria Lello é indispensável (o bilhete custa 5 euros) – tanto para quem é fã de Harry Potter como para quem não é, porque é mesmo muito bonita. Ah, e às caves, para provar o vinho, para quem gosta, é obrigatório",  garante o casal. Sem esquecer, claro, a estação de São Bento, conhecida pelos azulejos que tão bem a caracterizam. "Apesar de ser só uma estação de comboios, sempre que levamos amigo ‘de fora’ ficam deslumbrados", acrescenta Raquel.

Midnight Train: o comboio-hotel que vai ligar Paris ao Porto ou Lisboa numa viagem noturna
Midnight Train: o comboio-hotel que vai ligar Paris ao Porto ou Lisboa numa viagem noturna
Ver artigo

Já no que toca à escolha dos restaurantes, Raquel Janeiro 'passa a pasta' ao namorado e noivo Miguel Mimosa – "antes de me conhecer, ele já andava muito na vida boémia, tem muita experiência", brinca a jovem do Porto. No entanto, deixa uma sugestão: "Tenho sempre uma recomendação parva. Recomendo sempre uma paragem no McDonald’s da avenida dos Aliados – é fast food, mas, por dentro, quase que parece um restaurante gourmet e luxuoso. Já foi considerado o McDonald’s mais bonito da Europa e dos mais bonitos do mundo", explica a Explorerssauru Raquel.

Em termos gastronómicos, o casal de viajantes deixa a dica para os fãs da típica francesinha do Porto. "Para as francesinhas, diria que o Café Santiago é o melhor", avança Miguel. Já para os amantes de sushi, Raquel adiciona ao roteiro uma paragem obrigatória no restaurante Yakuza.

Fora as opções comerciais, o casal faz questão de incluir sugestões de restaurantes locais, como é o caso do Pátio da Avó. Para quem é vegan/vegetariano, o casal faz questão de destacar dois restaurantes: o Terrárea, por ser 'instagramável' e pet friendly, e o Fava Tonka.

Seguimos para a capital lisboeta

No que à capital diz respeito, o casal avança que o ideal seria investir três dias em Lisboa. "Já que se vai para Lisboa, é obrigatório parar em Sintra. Por isso, diria que dois dias em Lisboa e um dia em Sintra é o ideal", avança Raquel, enquanto destaca o Palácio da Pena e a Quinta da Regaleira como dois dos locais principais dentro da serra da Sintra.

Partindo para a capital, o casal recomenda o Padrão dos Descobrimentos (o bilhete incluí uma exposição, a visualização de um filme e, ainda, o miradouro e custa 6 euros para adultos e 3 euros para jovens até aos 25 anos) e revela o segredo de uma das fotografias da sua conta de Instagram. "Estejam atentos ao chão! Uma das nossas fotos, que mais curiosidade gerou, é uma imagem de drone, em que dá para ver o mapa mundo e toda a gente nos enviou mensagem a perguntar onde é e, pronto, é precisamente ao lado do Padrão dos Descobrimentos, mais é preciso olhar para baixo", revela Raquel.

Para além do centro da cidade, com locais como a Praça do Comércio ou a Rua Augusta, os Explorerssaurus destacam os miradouros de Lisboa como locais de visita (mais do que) obrigatória. À MAGG, o casal revela os seus preferidos e o Miradouro de Santa Luzia, o Miradouro da Graça e o Miradouro de São Jorge fazem, sem dúvida, parte da lista. No que diz respeito ao Castelo de São Jorge ,Raquel e Miguel dizem valer a pena. "A vista para a cidade é super bonita. Nós fomos ao pôr do sol  e ficou ainda mais mágico", justificam. Os bilhetes para a entrada no Castelo ficam a 5 euros para jovens até aos 25 anos, a 10 euros para adultos e são totalmente gratuitos para crianças até aos 12 anos.

Dos pontos turísticos para a gastronomia, Raquel Janeiro diz que parar para provar um 'pastelinho de Belém' (1,40€) tem de fazer parte do roteiro. "São os únicos que fazem concorrência aos pastéis de nata do meu pai [risos] e olha que é o meu doce favorito. São os únicos melhores do que os caseirinhos do meu pai", confessa a jovem do Porto em tom de brincadeira. "Ah, mas quentinhos e feitos na hora, é importante", faz questão de acrescentar.

Na Manjerica comem os saudáveis e os que não vivem sem Nutella
Na Manjerica comem os saudáveis e os que não vivem sem Nutella
Ver artigo

Em termos de restaurantes, o casal destaca o restaurante A Manjerica como sugestão vegan, onde o espaço é agradável e a comida é muito boa. Para agradar a 'gregos e troianos' , os Explorerssaurus recomendam uma paragem pelo Lx Factory. "Tem comida mexicana, portuguesa, brasileira, tem de tudo", completa Raquel.

Depois de Lisboa, o Algarve é o próximo destino

"Uh, descendo para o Algarve já é mais fácil", brinca o casal, que confessa adorar a cidade e, por isso, recomenda três dias por terras algarvias. "Lagos é paragem obrigatória e tem das praias mais bonitas da Europa", conta Raquel, destacando a Praia do Camelo e uma visita à Ponta da Piedade. "Apesar de não ser uma praia, é uma zona super bonita. Quer pelas formações rochosas quer pelas grutas e dá para fazer passeios de barco. É uma espécie de porto, onde se apanham barcos pequenos que fazem visitas às grutas (20 euros para 40 minutos)", acrescenta.

Férias no lado selvagem do Algarve: 4 alojamentos para mergulhar na natureza
Férias no lado selvagem do Algarve: 4 alojamentos para mergulhar na natureza
Ver artigo

De acordo com os jovens exploradores, a gruta de Benagil e a praia de São Rafael também têm de entrar obrigatoriamente no nosso roteiro. À MAGG, o casal adianta ainda que a Praia dos Três Irmãos é uma das suas favoritas. "Tem muitas grutas e, sempre que atravessamos uma, sentimos que estamos numa praia diferente. É quase mágico", conta Raquel.

Na elaboração do roteiro, os influenciares viajantes não se esqueceram de quem não descarta um bom dia de praia acompanhado dos seus amigos de quatro patas. "Para quem tiver animais, há algumas praias em Lagos que não são vigiadas, mas levamos sempre a Mirah [cadela dos Explorerssaurus] à praia do Trafal. É vigiada, mas se caminharem para o lado esquerdo, já não é controlada e já não tem praticamente ninguém. Aliás, há quem aproveite para fazer nudismo e tudo", conta a jovem.

Para o casal, a adrenalina deve constar nestes 15 dias de férias e, para isso, recomendam um dia exclusivamente dedicado desportos radicais. Neste caso, Armação de Pêra surge como destino ideal, com motas de água e vários insufláveis puxados por barcos. O parque aquático Aquashow também pode (e deve) constar no nosso roteiro.

A diversão reabre portas. 10 parques aquáticos para um dia refrescante em família
A diversão reabre portas. 10 parques aquáticos para um dia refrescante em família
Ver artigo

Para os fãs de cascatas, os Explorerssaurus recomendam a Queda do Vigário, mas alertam para a necessidade de fazer uma pesquisa prévia. "Antes de visitarem, pesquisem, porque, dependendo dos anos, quando há pouca chuva, fica seca e sem água", reforça Raquel. Já em Tavira, o destaque vai para o Pego do Inferno. 

Em termos gastronómicos, o Bamboo (pet friendly) e o Parrilla Natural são os restaurantes eleitos pelo casal.

De malas feitas, partimos além fronteiras

Os Explorerssaurus incluem uma paragem rápida em Sevilha, de apenas um dia, neste roteiro pela Península Ibérica. "Como teoricamente já fomos ao Aquashow, não vamos parar na Isla Mágica, mas também é muito divertido", esclarecem. Por isso, podemos começar pela famosa Praça de Espanha e seguir para os Alcáceres Reais de Sevilha (com entrada a 14,50 euros para adultos e 7 euros para jovens) sem esquecer, claro, a Catedral de Sevilha (10 euros para adultos e 5 euros para jovens até aos 25 anos).

5 coisas para fazer em Sevilha (mesmo que não vá ver o jogo de Portugal)
5 coisas para fazer em Sevilha (mesmo que não vá ver o jogo de Portugal)
Ver artigo

O casal revela à MAGG que, não só em Sevilha como na maioria das suas viagens, é muito raro optar pela reserva de restaurantes. No caso concreto desta primeira paragem por terras espanholas, Raquel e Miguel contam que costumam preferir gastronomia local e comer, por exemplo, as famosas tapas. "Como viajamos muito e visitamos tanta coisa no mesmo dia, geralmente estamos sempre cheios de fome e é quase a primeira coisa que aparecer. Do género 'estamos com fome, paramos já aqui'", reforça o casal, acrescentando que 'isto' de decorar nomes não é, de todo, o seu forte.

Explorerssaurus
créditos: @explorerssaurus_ / Instagram

O próximo destino é nada mais nada menos do que um dos locais onde a Explorrerssaru Raquel fez Erasmus nos seus tempos de estudante: Valência. Depois de uma viagem de aproximadamente seis horas de carro, entre Sevilha e Valência, começamos, então, por visitar aquele que é o maior oceanário da Europa e esta será a primeira paragem do nosso roteiro pela cidade espanhola: o Oceanográfic (a entrada custa 31,33 euros para adultos e 23,30 euros para jovens).

Depois, partimos para a Catedral de Valência (o valor da entrada custa 8 euros para adultos e jovens e 5,50 euros para crianças até aos 12 anos) e, de acordo com as horas do dia, o ideal seria passar também pelo mercado local. "Nós visitamos sempre os mercados tradicionais", conta Raquel. Sem descartar, claro, a passagem pela Paróquia de São Nicolau que, de acordo com Raquel Janeiro, é uma das paragens obrigatórias.

Dois dias depois de explorar a cidade das artes e da ciência, seguimos rumo a Palma de Maiorca, onde as praias conquistaram o coração dos jovens exploradores. O nosso roteiro termina por aqui, depois de passarmos pelas praias de Cala Figuera, Cala S'Almunia e Cala Pì. Ah, sem esquecer, claro, o Farol de Formentor.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.