A prova de que a atividade vulcânica nos Açores continua ativa é a nova casa de férias em Cabrito, Santa Luzia. Depois do projeto Lava Homes, Benedita Branco lança agora a Adega do Fogo, um alojamento de luxo de frente para a montanha do Pico. Antes de ter seis quartos, camas confortáveis e piscina, este espaço era uma casa com 200 anos e destilaria, que não desapareceram por completo. No novo conceito coexiste o descanso, a gastronomia tradicional e a aguardente que vai continuar a ser produzida como noutros tempos.

Antes de abrir ao público, já andávamos de olho nesta casa e a acompanhar todo o processo. Quando em maio de 2021 vimos uma fotografia do arquiteto Diogo Mega, com um copo de espumante junto a uma espreguiçadeira de madeira, com colchão preto, ao lado de uma casa de pedra, percebemos que estava para chegar algo em bom.

Esperámos, fomo-nos apaixonando pela vista e o resultado está agora disponível fora das fotografias do Instagram que continuam a mostrar as mesmas espreguiçadeiras, com diferentes perspetivas. Eis a nossa favorita.

O exterior é desde logo apaixonante, quer pela montanha do Pico ao fundo, quer pela piscina panorâmica. Contudo, de nada vale ir para a Adega do Fogo a se não for bem acompanhado — só assim fará jus ao nome da casa que convida à partilha. "Adega porque no Pico as adegas são umas pequenas casinhas onde as pessoas fazem o seu vinho e para onde convidam os amigos para passar bons momentos a comer e a beber. É sempre associado a um lugar de convívio, abundância e onde se toca e dança", explica à MAGG a proprietária do novo alojamento, Benedita Branco. "Fogo porque estamos mesmo na base do vulcão, porque toda a água ardente é feita com fogo e quando a bebemos, não sei quanto aos outros, mas pelo menos eu fico a arder até ao estômago", brinca Benedita.

Ao contrário do projeto Lava Homes, que são casas individuais com espaços partilhados, a Adega do Fogo é uma casa que se aluga por inteiro — com capacidade para 12 pessoas — e é ideal para um grupo de amigos que quer passar uns dias a conviver num ambiente de campo, com tudo a que tem direito. Bebida já percebemos que está garantida e a comida também pode ser requisitada. Ainda que a nova casa seja de luxo, o que se serve à mesa não é feito por um chef, mas por Isilda que conhece as receitas típicas como ninguém.

Os ingredientes juntam-se como manda a tradição e ganham forma ora no tacho, ora no forno a lenha instalado sob uma árvore. Tudo é degustado na mesa exterior da zona de piquenique ou na sala de jantar que era antes a destilaria e que fica mesmo ao lado, dividida por um vidro, da destilaria que ainda se encontra em funcionamento e de onde resulta a água ardente que os hóspedes podem beber. O serviço de refeições feiras por Isilda custa uma média de 50€ por pessoa, com bebidas.

É no forno a lenha que é confecionado o bolo lêvedo presente às refeições, bem como ao pequeno-almoço cheio de iguarias da ilha. "Vários queijos do Pico, salada de frutas, ovos, bolo, pão de milho e trigo e depois o bolo lêvedo que, da minha experiência com os hóspedes, não pode faltar e as pessoas ficam altamente viciadas", refere Benedita. "A proposta é a pessoa ter um pano de tradição", remata.

Tradição com um quê de luxo: piscina aquecida

A Adega do Fogo está inserida na Paisagem da Cultura da Vinha da Ilha do Pico, Património Mundial da UNESCO desde 2004, razão pela qual teve de ser construída à semelhança do que já existe na região. "A zona é protegida pela UNESCO e tivemos que recuperar e fidelizar. As cores e tudo são limitadas. Tivemos de fazer uma recuperação integral de fachada como era antigamente e as janelas são de vidro duplo, mas de madeira", explica Benedita Branco. A própria casa mantém-se fiel à região e à estrutura de pedra original do antigo solar.

No interior, o mobiliário é de madeira de castanheiro e de outros materiais locais, combinados com uma decoração definida pelas "linhas sóbrias, elegantes e confortáveis, mas que traduzem a ideia de campo e mar", diz Benedita.

Após acordar num dos seis quartos de decoração elegante e chique, pode dar de imediato um mergulho na piscina de água salgada e aquecida para que não se sinta o frio da manhã. Também para começar o dia da melhor forma, depois do pequeno-almoço, claro, a Adega do Fogo oferece sauna para relaxar o corpo e deixar na ilha todo o stresse que motivou umas férias no campo, com uma vista que merece minutos de meditação.

Afinal, nesta casa não há apenas "abundância" em comida e bebida, abunda também no que pode fazer. Uma massagem é uma das opções, praticar ioga outra, há também provas de vinhos locais e workshops de bolo de milho. Para os que precisam de mais movimento, há bicicletas cedidas gratuitamente e que permitem ir até à poça dos Arcos, apenas a seis minutos da Adega do Fogo, que faz parte de uma das 82 águas balneares da região autónoma dos Açores aprovadas para este ano.

A estadia na Adega do Fogo custa desde 2 mil euros por noite, com pequeno-almoço incluído.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.