A sustentabilidade não está só nos sacos de pano que levamos para as compras (e nas vezes que os usamos) ou no facto de fazermos compras a granel. Abrange também as viagens de avião que contribuem em muito para os gases com efeito de estufa, por exemplo. Naquela que foi a maior conferência internacional sobre turismo sustentável, que decorreu em setembro, no Évora Fórum, foram definidos os cinco atos urgentes para mudar o panorama do turismo e minimizar o impacto do mesmo no ambiente.

Contudo, enquanto os cinco atos não são postos em prática, podemos relaxar de consciência tranquila num dos alojamentos de turismo rural galardoadas em 2021 pela Green Key.

Ao ficar em Portugal, já está a combater um dos primeiros atos definidos na conferência "A World for Travel": oferecer opções fiáveis de compensação de carbono, uma vez que apenas 10% das companhias aéreas oferecem compensações voluntárias à redução das emissões de carbono.

White Shell, a pérola no Algarve com vilas de luxo, piscinas e decoração sustentável prestes a abrir
White Shell, a pérola no Algarve com vilas de luxo, piscinas e decoração sustentável prestes a abrir
Ver artigo

As restantes ações sugeridas são definir um plano de redução de emissões de carbono no setor do turismo, com o objetivo de evitar que aumentem até 2030, como se prevê; aumentar o investimento em turismo sustentável internacionalmente; criar incentivos e planos de boas práticas para os turistas; e promover junto das empresas a escolha de fornecedores locais de modo a contribuir para a economia das regiões.

Há ainda muito trabalho em mãos para tornar o turismo mais sustentável, mas há algo que pode já fazer quanto ao último ponto: contribuir para a economia das regiões e ficar num alojamento rural em Portugal que é distinguido pelas boas práticas para o planeta. Selecionámos alguns por regiões, só tem de escolher o que mais lhe agrada porque todos os que fazem parte do galardão internacional que promove o Turismo Sustentável em Portugal, o Green Key, tentam reduzir ao máximo o impacto negativo do turismo para o ambiente.

1. Norte — Casa Valxisto

Entre os hotéis e alojamentos de turismo rural na região norte de Portugal, está a Casa Valxisto, em Penafiel. Razões? Passamos a enumerar: na quinta (que em tempos serviu para criação de gado), pratica-se agricultura sustentável, da qual os hóspedes podem fazer parte quer a colher, quer a alimentar os animais que aqui habitam. Depois, o que é colhido é transformado em compotas, marmelada e licor de medronho, permitindo sentir o verdadeiro sabor dos alimentos que a terra nos dá.

Quanto alojamento em si, os quartos têm nomes de flores e frutas que encontra também na quinta, como alfazema ou framboesa, mas não pense que a decoração é cheia de floreados. A Casa Valxisto deixa isso para o exterior, porque na hora de descansar a ideia é fazê-lo num ambiente tranquilo, de decoração moderna e simples, e com vistas para a piscina e colina montanhosa. O quarto natur é indicado para grupos de quatro pessoas e tem cozinha equipada para preparar refeições. Se não quiser ter trabalho, no restaurante são preparados pratos com ingredientes que vão diretamente da árvore para a mesa.

Uma noite para duas pessoas custa a partir de 95€ em setembro, com pequeno-almoço incluído.

2. Centro — Luz Charming Houses

A Luz Charming Houses, em Fátima, é como um santuário de bem-estar — dos hóspedes e do planeta. Uma das ações sugeridas na "A World for Travel" é cumprida por este alojamento e diz respeito à parceria com o comércio local. Outra das medidas sustentáveis é a preservação de árvores e flores autóctones, que beneficia do circuito de compostagem que existe na propriedade. A água é aproveitada ao máximo, incluindo a da chuva, e são tomadas outras medidas, como a redução do caudal das torneiras, autoclismos com dupla recarga e painéis solares térmicos para o aquecimento da água. Escusado é referir aquela que já todos conhecemos (e devemos adotar): reciclar.

Sobre o alojamento, fora o forno a lenha do qual sai pão quente, pode descansar nos quartos cujas tipologias vão do duplo superior à master suite. Uma noite para duas pessoas custa desde 140€ em setembro, com pequeno-almoço incluído.

3. Alentejo — Casa das Letras

É verdade que os livros são feitos com papel que provém das árvores, mas graças à Casa das Letras, vila de Cabrela, muitos dos que já foram lidos e iriam parar à reciclagem, foram reaproveitados de todas as formas. Estão em candeeiros de teto, de mesa e nas estantes para os hóspedes conhecerem autores sobre os quais nunca ouviram falar. Mas não foi por isso que esta casa recebeu o galardão Green Key. Foi pelo facto de apostar na poupança energética, de água, na utilização de produtos locais e ecológicos e na sensibilização dos hóspedes para a reciclagem, gestão de resíduos e para caminhadas pela natureza ou passeios nas bicicletas disponíveis.

Fora isso, a Casa das Letras é um espaço para ler e também para criar novas histórias em redor da piscina, do jardim (no qual pode fazer uma massagem), ou da salamandra na sala de estar comum, com piano, snooker e livros. O espaço que em tempos foi uma creche e fechou porque deixaram de nascer crianças em Cabrela, continua a ser ideal para ver as crianças crescer, enquanto leem.

Uma noite para duas pessoas custa a partir de 177,28€ em setembro.

4. Algarve  — Vila Valverde

O Vila Valverde Design Country Hotel, em Lagos, Algarve, junta luxo próprio de uma unidade de cinco estrelas, natureza e sustentabilidade. A antiga quinta do século XIX está atualmente adaptada para corresponder aos desafios ecológicos e uma das formas é usar na cozinha os produtos da quinta, que vão desde o laranjal aos ingredientes colhidos na horta de cultura biológica. A piscina também é mais amiga do ambiente, dado que resulta do reaproveitamento do antigo tanque de água da quinta agrícola original da propriedade, que não alterou a paisagem natural.

Por falar nisso, em vez ficar apenas a admirar, pegue numa bicicleta e percorra a quinta. Contudo, se o corpo está mesmo a precisar de relaxar, há massagens a partir de 70€ por 50 minutos ou outros serviços como crioterapia (uso de gelo) e termoterapia (com aplicação de calor). No total há 15 quartos modernos, com varanda ou terraço, para desfrutar durante umas boas horas de sono antes de acordar e atacar os pão e doces, presunto, waffles, doces caseiros, mel das montanhas e iogurtes naturais do pequeno-almoço.

Uma noite para duas pessoas custa a partir de 211€ até 21 de outubro.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.